A escola tabu nº 53 - EE Afiz Gebara, uma escola-faroeste

Esta é a terceira postagem sobre a EE Afiz Gebara, leia as anteriores para entender o assunto:
Apuração vai acabar em pizza?
Mais crimes na EE Afiz Gebara

Eu sei, eu sei, este é um blog chato, tem que entrar em links, ler um monte de textos!... Então vamos combinar: se você não está interessado no assunto, daqui a pouco tem Tela Quente, rsrs. Ou então você pode assistir a uma maratona de seriados na Net, enfim, não faltam programas para os embalos do sábado à noite.

Bom, iniciando o terceiro capítulo desta novela, na quarta-feira passada fomos na Subsecretaria de Articulação Regional da SEE falar com o Prof. José Benedito, finalmente restabelecido de uma cirurgia. Os assuntos se acumularam nesse meio tempo, então fomos tratar especificamente de 6 escolas da DE Sul 2. A mais problemática delas é a Afiz Gebara, que agora podemos chamar de "escola-faroeste", pois em vinte anos nunca soubemos de outra onde, durante uma investigação, se cometessem ainda mais crimes. Às vezes, a direção é afastada; quando não, ela se comporta direitinho, para fingir que as denúncias não procedem. 

Você leu, no segundo link acima, como a diretora e sua turma tentaram se vingar dos depoentes que tiveram a coragem de enfrentá-las, na tentativa de coibir outras testemunhas. Durante a reunião da quarta-feira, a dirigente Maria Ligia disse que soube das represálias em andamento, mas que a investigação já estava concluída e que na próxima semana tomaria uma decisão a respeito da apuração, ou seja, se iria ou não afastar a direção da escola. 

Na quinta e sexta-feira recebemos mais mensagens da comunidade contando novidades da EE Afiz Gebara. Realmente, o que ocorre nessa escola é um show de horrores! Vamos tentar resumir os fatos:

Terça-feira passada houve uma discussão entre alunos no intervalo, que culminou numa "guerra de cascas de mexericas". Naquela hora, as duas inspetoras, que deveriam estar nos corredores supervisionando os alunos, se encontravam na sala da coordenação, batendo papo com a vice-diretora e a coordenadora pedagógica. Elas não viram a confusão, apareceram depois junto com a vice-diretora. Como sempre, a diretora não estava na escola.

Muito brava, a vice começou a chamar os alunos de ANIMAIS, CRIANÇAS SEM EDUCAÇÃO. A diretora, que mora próximo à escola, foi chamada e chegou rapidamente, reforçando a fala da vice: ANIMAIS SEM EDUCAÇÃO,  CAMBADA DE CRIANÇAS, VOCÊS VÃO FICAR SEM INTERVALO, SEM MERENDA!

Na quarta-feira o intervalo foi suspenso, todos os alunos ficaram nas salas e NÃO RECEBERAM SUCO NEM ACHOCOLATADO, COMO ESTÁ NO CARDÁPIO DA ESCOLA. A diretora disse: VOU JOGAR NO LIXO, MAS ESSES ANIMAIS NÃO VÃO TOMAR NADA!

Na quinta- feira a mesma coisa, nada de intervalo nem merenda! Todos os alunos levaram brinquedos para escola: ursinhos, carrinhos, bonecas, dinossauros, em protesto por terem sido chamados de ANIMAIS e CRIANÇAS SEM EDUCAÇÃO.

Na sexta-feira houve reunião de pais, mas o assunto não foi abordado com eles, a direção da escola fingiu que nada disso ocorreu. Esses acontecimentos mostram que, independentemente da sindicância em curso, nada nessa escola funciona: os alunos ficam largados no intervalo, quando podem ocorrer acidentes e ocorrências graves, a coordenadora é "antipedagógica", a direção autoritária e a merenda simplesmente some. Onde foram parar as caixas de suco e achocolatado que os alunos deveriam ter tomado na quarta e na quinta-feira?...

Professor José Benedito, Sra. Dirigente Maria Lígia, essa direção tem condições de continuar na escola??? Até quando?

Comentários

CREMILDA disse…
Giulia
A Ivana disse pelo telefone que na reunião estaria a professora Neide do Conselho e me esperaria ( sózinha) na sala 20.
Chegando lá ela estava na sala da Central de (Des) atendimento, do lado esquerdo do saguão e sozinha.
Eu fui muito incisiva. Vai ou não vai ? Tem competencia ou não tem ?
Como ela disse que não, eu virei as costas, me poupa.
O José Benedito vai fazer algo ?
Na verdade tanto a SEE como o Conselho Podem mas sobretudo devem fazer algo para ajudar a menina.
Giulia disse…
Estou passando as últimas informações para o José Benedito por e-mail e amanhã o Claudemir vai ligar para ele para cobrar uma posição.
Anônimo disse…
Giulia

A Dirigente pediu aos pais da Valéria um Laudo atestando que ela é super dotada. Muito difícil. Não é um atestado, é um laudo. Demora e muito.
Precisa de profissionais especializados.
E não fizeram o pedido por escrito, então fica a palavra do Claudemir contra a deles.
Periga de chegar diante do Juiz e eles negarem tudo.
Estou esperando o Mauro me dar uns contatos.Amanhã vou protocolar na OAB.Comissão dos Direitos Humanos
Isso caracteriza e muito, que violação de direitos humanos é quaisquer abuso de direito de cidadão por agente do poder público.
Giulia disse…
Infelizmente fiquei sem internet e não pude postar mais nada a respeito, mas já cobrei de manhã do José Benedito o absurdo de o pai da menina ter perdido mais um dia de trabalho para ir à Diretoria de Ensino para ouvir o que ele próprio, José Benedito, havia sugerido uma semana antes em seu gabinete: pedir o laudo de superdotação da menina! Mais uma semana perdida para a aluna e para a família!!! Mais desrespeito para o cidadão brasileiro! Se a escola havia mandado a menina fazer o teste de aptidão para o 2º ano e ela acertou 100% das respostas, o que impede que ela seja reclassificada??? Isso tem cara de perseguição e vai ser apurado. Tem mais: a família deve exigir o ressarcimento de danos morais do estado, não por uma questão de dinheiro, mas porque só assim os "nossos" governantes tomam vergonha na cara e TRABALHAM. Desculpem o desabafo, estou p... da vida!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola