Quando a escola vai dar certo?




Mais um excelente artigo de Gustavo Ioschpe na Veja! Na minha opinião, o melhor e mais abrangente, até hoje. Leia clicando no título: Nossa escola não é feita para dar certo

O texto é bem explicativo e vem de encontro ao que sempre dizemos aqui: é preciso conhecer a rede pública de ensino POR DENTRO, para perceber o tamanho do rombo e querer mudar. A escola pública ainda é assunto TABU na sociedade e sua melhoria não interessa ao imenso cabide de empregos formado pela classe "docente", nem aos formadores de opinião, incluindo aqui obviamente  políticos e jornalistas, cujos filhos estudam na rede particular.

Dentro do marasmo geral, que pode parecer mistura de preguiça com incompetência, portanto algo    ingênuo estilo "macunaíma",  existem alguns aspectos mais críticos:
  • A corrupção do sistema, onde as leis não são minimamente respeitadas, com a complacência das autoridades superiores: mesmo os crimes mais evidentes, como atirar o apagador na cabeça do aluno ou dispensar o aluno por não estar de uniforme (cuja exigência é proibida por lei) dependem de intermináveis apurações e processos administrativos. A "bola da vez" está com a EE Afiz Gebara, onde a diretoria da escola, sob apuração, está cometendo mais crimes a fim de amedrontar os denunciantes e tentar abafar seus desmandos. Isso, porque PODE, já que as investigações costumam ir a passos de lesma, muitas vezes para facilitar a manipulação...
  • As perseguições e represálias de que são vítimas todos aqueles que se atrevem a reclamar do serviço público escolar, sejam pais ou alunos, como aconteceu aqui, aqui e aqui.
  • A rotatividade de diretores, coordenadores pedagógicos, professores e demais funcionários do sistema escolar, provocando a descontinuidade de eventuais bons projetos e principalmente a incidência da AULA-VAGA, praga que infesta praticamente todas as escolas públicas do país (umas mais, outras menos), sendo o principal fator que leva muitos pais a fazerem qualquer sacrifício para matricular os filhos numa escola particular, seja de qualquer nível, muitas vezes até inferior à pública. Veja assim que existem outros interessados em manter a escola pública vazia, além dos próprios profissionais.
Por onde então vai iniciar o processo de melhoria do ensino público, já que o sistema é corrupto, a academia do país é inerte, o usuário da rede pública é ameaçado  na primeira reclamação e a mídia não dá a mínima para tudo isso?

Comentários

Anônimo disse…
visitem a EE Francisco Antonio Martins Junior, Diretoria Sul 2, localizada no capão redondo
a escola está abandonada , a diretora granfina não aparece na escola, além disso o desvio de verbas e a corrupção é muito grande

semelhantemente na EE Margarida Maria Alves, Também da Sul 2, o diretor não comparece a deixa a escola a cargo de um agente de organização escolar, e na escola ao lado a recém inaugurada EE Chácara Santa Maria, não tem banheiro e as crianças precisam ir na escola vizinha e tem que ser acompanhadas porém os professores se recusam a acompanhar as crianças até a escola vizinha e eles se recusam a fazêr isto a escola está sem água, o diretor não comparece a escola e deixa a escola por conta de agentes escolares, outra escola é a EE JD Feitiço da Vila, recém inaugurada , falta rtudo e as crianças estão sendo prejudicadas, a diretoria sul 2 não toma providências

precisam investigar estas escolas do capão redondo

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola