Pular para o conteúdo principal

A Secretaria da Educação lamenta?...

Mais uma notícia sobre aluno impedido de assistir aula por ter chegado com atraso na escola.     Desta vez a informação foi publicada na Folha de São Paulo do dia 31. 


A menina que você vê nesta imagem é Júlia, uma criança de 7 anos, despejada com sua família sem-teto de um prédio invadido na Av. Ipiranga.  No dia seguinte ao despejo, após ter acampado na rua, Júlia chegou com oito minutos de atraso à escola onde está matriculada, a EE Prudente de Moraes. Júlia se atrasou porque foi tomar banho em outro prédio invadido e havia fila. A escola, como é de praxe na rede pública paulista, não permitiu a entrada da aluna após o fechamento do portão. Estranhamos muito o depoimento da SEE, segundo a Folha: "A Secretaria da Educação do Estado lamentou que a aluna tenha sido impedida de assistir à aula e afirmou ainda que ia apurar a conduta da agente que atendeu a aluna e sua mãe".

Como assim?... Em nosso último post publicado - leia clicando aqui -  a mãe de um aluno de 9 anos contou o que o filho sofreu um dia em que chegou atrasado: ele esperou 45 minutos na calçada e, após a mãe ter ligado para a escola, finalmente foi permitida sua entrada no prédio, mas ele foi impedido de assistir aulas, sendo alvo de chacotas por parte dos colegas. A mãe ficou impossibilitada de buscá-lo, por isso o menino permaneceu na escola até o final do período, sentado em um canto e olhando para a parede. Quando a mãe reclamou pelo tratamento dado ao filho, recebeu a explicação de que nenhum aluno entra após o fechamento do portão, conforme regimento da escola. A entrada do aluno após 45 minutos teria sido uma "irregularidade" e isso só foi permitido após a mãe insistir de que não poderia buscar o filho, devido a uma torção no tornozelo.

A Secretaria da Educação SABE PERFEITAMENTE que as escolas fecham o portão na cara dos alunos, principalmente do aluno trabalhador, esse que chega sempre em cima da hora no período noturno. Elas fecham o portão sim, e não o abrem, fingindo que estão educando os alunos, mas o que realmente querem é ter a escola vazia: quanto menos alunos, menos trabalho.

Levamos esse fato ao conhecimento do Chefe de Gabinete da SEE através do Twitter e ele mandou encaminhar "esses casos" para a Corregedoria da Educação. Como assim, Prof. Padula? Para o jornal vocês respondem que lamentam a aluna ter sido impedida de assistir à aula e para os demais alunos quem "apura" é a Corregedoria?... A SEE desconhece então os regimentos das escolas?


Comentários

Glória disse…
Quanta tristeza, meu Deus!!!!
Luis disse…
O pior, é que na minha escola acontece!
Nininha Correia disse…
Acho um absurdo. Meu filho faz Senai e quando acontece um atraso,ele é obrigado a perder todas as aulas porque a diretora acha que fazer curso profissionalizante não é importante. Talvez seja mais interessante pra ela passar nas ruas próximas à escola e ver alunos usando drogas e jogando conversa fora.Quem pode de fato botar ordem nessa bagunça?
Giulia disse…
A arrogância dessa classe que se diz "docente" não respeita o aluno nem seu projeto de vida. Só vocês pais de alunos podem tentar botar ordem nessa bagunça! Como? Se unindo, reclamando em grupo e registrando as ocorrências. Aliás, existe um projeto que defende o curso técnico concomitante. Me manda seus dados pelo e-mail educaforum@hotmail.com: nome da escola, cidade, que ano seu filho frequenta, quantas aulas ele costuma perder por mês e a distância entre as duas escolas. Um abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…