A voz dos pais nº 3 - Um caso de superdotação

Recebemos dos amigos Claudemir e Cristina a seguinte mensagem e queremos parabenizá- los pela firmeza e  confiança com que buscaram a solução para o problema de sua filha Valéria, perfeitamente alfabetizada aos 6 anos e obrigada a cursar o 1º Ano por razões burocráticas.


Giulia e Cremilda,

Agradecemos por serem uma voz que fala a favor dos pais e alunos, que na maioria das vezes são ignorados pelas escolas, Delegacias de Ensino, Secretaria da Educação. Para eles é como se realmente fossemos mudos, como se não tivéssemos voz, eles nem sequer querem nos ouvir.

Agradecemos pelos textos tão bem escritos, realmente vocês têm o dom da palavra e o usam muito bem.

Graças a Deus e à ajuda de vocês, que nos colocaram em contato com a Secretaria da Educação em um momento em que já havíamos tentado de tudo, quando a aceleração da nossa filha parecia impossível, quando parecia não ter mais nenhuma saída, em conversa com os dirigentes, foi exigido um laudo que comprovasse que a Valeria tinha altas habilidades. Mesmo sabendo que não tínhamos condições de arcar com os custos de tal laudo (pois é caro), mesmo assim foi uma luz no fim do túnel. Confiamos em Deus e corremos atrás, encontramos o Núcleo Paulista de Apoio à Superdotação que nos auxiliou no laudo. A Valeria fez todos os testes, foi comprovada a superdotação, e depois de uma longa batalha (desde fevereiro), finalmente ganhamos a “guerra”.

Com a apresentação do laudo, a Valeria foi automaticamente acelerada de série e está muito feliz, se adaptou muito bem à nova turma e à professora, retomou o interesse pela escola.

Continuem esse trabalho sem desanimar, pois sabemos que lidar com essa gente é um árduo trabalho e eles vencem na maioria das vezes pelo cansaço. Mas todo esse esforço não é em vão. Somos a prova disso. O que vocês fizeram por nós, sem nos conhecer, sem preconceitos, não tem preço. Até pessoas próximas a nós não entendiam a nossa luta, mas vocês abraçaram a nossa causa. Agradecemos por tudo!


Nós é que agradecemos o encontro com pais tão esclarecidos e corajosos, Claudemir e Cristina. Recebam essas flores em homenagem à sua "superdotação" em cidadania!

Pais de alunos com habilidades especiais, leiam a romaria que os pais da menina Valéria enfrentaram clicando aqui e aproveitem suas dicas. Se a escola dos seus filhos não tiver sensibilidade ou competência para entender a necessidade de uma reclassificação, como foi o caso da menina Valéria, busquem um laudo de superdotação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola