Pular para o conteúdo principal

Massacre do Carandiru: 20 anos de impunidade





20 anos após o massacre do Carandiru, vemos as prisões tão lotadas quanto naquela época. Nossos jovens presos por qualquer motivo banal e misturados com presos perigosos. O que poderão aprender numa cadeia? Que nunca mais terão a chance de se reintegrar à sociedade, aquela chance que já lhes foi tolhida quando foram expulsos da escola?

Veja como a situação é delicada: 

"O país tem a quarta maior população carcerária do mundo. São mais de 500 mil presos, literalmente espremidos num complexo penal em que há um crônico déficit de 200 mil vagas. É uma equação perversa: aplicados na prática, estes números se traduzem numa desumana taxa de ocupação de 1,65 preso por vaga (relação que, na América do Sul, só é superada pela Bolívia, com 1,66).

Em algumas unidades a média explode: no presídio Aníbal Bruno (PE) vai a 3,6 detentos por vaga, e no complexo de Pinheiros (SP) a taxa alcança 2,9. No Presídio Central de Porto Alegre chega a 2,2, a mesma relação presos/vaga do Carandiru à época do massacre de 111 presos, em 1992."
Fonte: O Globo

O que as autoridades estão esperando? O que elas construíram durante esses 20 anos? Será necessária uma outra tragédia para que finalmente alguém acabe com essa vergonha internacional que é o nosso sistema carcerário?

Comentários

Tive a chance de conhecer os dois lados dessa história, por sorte e exigência da minha profissão. Por sorte digo por não depender apenas da nossa midia, que nos limita a compreensão do todo. Lembro-me de um comercial da Folha de SP, onde dizia-se que "é possível contar um monte mentiras dizendo só a verdade". Se pinçarmos algumas informações (verdeiras) acerca de um fato, mas omitirmos outras, podemos mudar totalmente a compreensão daquele fato. Isso é muito utilizado no mundo todo pelos governos para os mais diversos fins. Quanto a situação, nossos estabelecimentos penais são indecentes. É um depósito de gente, não recupera ninguém, pioram os que teriam recuperação e, por incrível que pareça - para as pessoas que não tem contato direto com criminosos que não desejam se recuperar, o sistema não mete medo neles (criminosos). Vêem a cadeia como uma continuação do ambiente a que estão acostumados (estou falando de criminosos irrecuperáveis). Usam drogas lá dentro, jogam bola, fazem sexo, comandam negócios do crime, corrompem, subjugam os presos primários. É um sistema perverso. É um sistema caro para o Estado. E corrupto ! Os políticos sabem disso. Daí a razão para não avançar os projetos de privatização de estabelecimento prisionais aos moldes dos países mais adiantados. Não interessa aos bandidos que estão soltos e no poder.
Giulia disse…
É isso mesmo, Eduardo, parabéns pelo seu senso crítico.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…