Pular para o conteúdo principal

Esperando a tragédia?

Fiquei chocada com essa notícia que vi no Diário Nacional da jornalista Isadora Faber:


E ainda dizem que a menina deveria ficar brincando de boneca... Fiquei chocada, não com a notícia em si, mas porque acabei de assistir ao Jornal da Cultura, que na minha opinião é o melhor do país, e nada da notícia... Falou-se das tragédias naturais, da condição dos índios, da insegurança - inclusive em Florianópolis, mas nem uma palavra sobre essa que poderia ter sido uma grande tragédia, se o desabamento tivesse ocorrido durante o dia. Mas, como "deus é brasileiro", isso ocorreu durante a noite, o jornal "do almoço" deu a notícia em Santa Catarina, mas nada saiu em nível nacional. Bati o olho no índice dos assuntos no site do Jornal Nacional e também não vi nada lá sobre o desabamento da escola. Será que a notícia só vai sair no Fantástico, requentada?... 

Vou parar de escrever para assistir ao Jornal da meia noite na Globo News, ok? Já volto para informar se o Grilo vai falar do assunto.
...................................
...................................
...................................

Pronto. Assisti ao jornal de cabo a rabo e nada. Ironicamente, o Grilo (é o âncora, tá? rs) começou com a notícia dos ataques em Florianópolis e até mencionou o bairro Palhoça, mas nada sobre a escola. Depois, desgraças e mais desgraças em todo o Brasil e no mundo. Se o mundo inteiro parece estar desabando, quem vai se importar com o desabamento de uma escolinha de periferia, ainda por cima sem vítimas?...

Pela primeira vez, em vinte anos de ativismo em apoio aos pais e alunos de escolas públicas, vou responsabilizar OS PAIS pelo ocorrido, dando esse imenso prazer às autoridades governamentais e aos sindicatos da "educação", que sempre tentam  culpar as famílias por qualquer falha da escola. 

Desta vez os pais são culpados, sim! Como é que se deixa os próprios filhos correrem risco de vida dentro de uma escola prestes a desabar!!! Só porque há cinco meses o caso saiu na imprensa? Acham que basta denunciar e ficar esperando sentados acontecer uma tragédia? E que denúncia é essa, por acaso?? Denúncia é coisa séria, é ir na polícia fazer Boletim de Ocorrência!! Denúncia é abraçar a escola com as mãos ou fazer greve de fome até a situação ser resolvida! Denúncia é 1.200 pais + vizinhos interditando o trânsito e batendo panelas na frente da Secretaria da Educação, da Câmara Municipal, da Assembléia Legislativa, do Ministério Público! Nunca, por nenhum motivo, permitam que a vida de seus filhos seja colocada em risco!

Cabe aqui uma especial cobrança à Secretaria da Educação: não existem, em Florianópolis, supervisores de ensino??? Não deveriam eles visitar as escolas pelo menos uma vez por mês e fazer relatórios sobre dificuldades, problemas e ocorrências, pedindo e cobrando soluções???

E o diretor da escola, ficou fazendo o quê: "esperando Godot"? E os professores, ficaram olhando as rachaduras das paredes e do teto com cara de lesma, esperando a escola cair em suas cabeças?... Quanto às autoridades "superiores", não fizeram nada diferente do habitual, ou seja, buRRocracia.

Mas nosso papel, aqui, é apoiar os pais, apesar da bronca. Então, prestem bem atenção, senhores pais de escolas cujos prédios estejam colocando em risco a segurança de seus filhos. Fiquem de olho em fios expostos (o que a Isadora Faber soube tão bem noticiar em sua página), portões enferrujados, vidros quebrados, brinquedos avariados no parquinho, carteiras e móveis velhos jogados atrás do prédio (juntando bichos ou mofo), caixa d´água suja, pátio ou quadra com rachaduras etc. Com respeito à quadra, quero relembrar um caso que você pode ler clicando aqui: numa escola de Araraquara, uma menina se pendurou numa trave de futebol que estava solta, a trave caiu e a atingiu na barriga, ela foi imediatamente hospitalizada, mas precisou sofrer duas cirurgias. Sua agonia durou 40 dias, antes de falecer. Não preciso dizer que esse caso não passou no Jornal Nacional e muito menos no Fantástico...

Outro caso grave, que mostra a indiferença do poder público para com os alunos, aconteceu em São Paulo, na região de Parelheiros: o para-raios de uma escola ficou avariado e o prédio pegou fogo. Numa escola vizinha, o para-raios avariou e a comunidade denunciou o caso para a Secretaria da Educação, mas nada aconteceu. O que os pais devem fazer numa situação como essa? NUNCA esperar sentados que a direção da escola "aguarde as providências". Caso ela não traga a solução dentro de alguns dias, a primeira medida é fazer BO e divulgá-lo na mídia. Outras sugestões estão acima. E não se intimidem com as resmungações do diretor e dos professores, de que a escola vai "ficar exposta", com a imagem "denegrida" etc etc. Seu filho é seu bem mais precioso, se a escola não zelar por ele, olho nela!

E parabéns para a jornalista Isadora Faber, por mais esta notícia em nível nacional!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…