Pular para o conteúdo principal

O que é pior: AULA VAGA ou aula ruim?...





Por que  aula vaga  é  pior do que  aula  ruim? Pela lógica, ficar sem aulas poderia ser melhor do que receber aulas ruins. Afinal, a soma de aulas ruins arruína a vida escolar do aluno...

Entretanto, a observação mostra que as aulas do professor que falta muito costumam ser ainda piores do que as aulas ruins de professores que faltam menos. Por uma simples razão: se falta continuidade na sequência pedagógica, também fica difícil a avaliação do que o aluno aprendeu. Professor que falta muito não consegue manter a continuidade e precisa voltar aos assuntos mais vezes. A avaliação também é mais difícil, pois o que o aluno aprende hoje ele vai esquecer rapidamente, se não houver revisão. Tem mais: na hora da revisão, por onde começar?...

No final da década de 90 provocamos a mídia para fazer uma matéria sobre AULA VAGA, essa expressão ainda hoje proibida na rede pública, por caracterizar oferta irregular do ensino, que constitui crime. Na época, o PaisOnline havia lançado um formulário para os pais preencherem as aulas vagas dos alunos por disciplina, dia a dia, bem bonitinho e com fórmulas que puxavam as somas a cada mês. Muitos pais tinham receio de divulgar o formulário, outros não sabiam lidar com ele e ficavam confusos se, por exemplo, festas, projeção de filmes e tapa-buracos, como bate-bola na quadra, deveriam ser considerados aulas vagas ou não. Por isso não conseguíamos apresentar dados concretos que comprovassem a percentagem de aulas vagas na rede pública brasileira que, de forma pragmática, estimávamos entre 20 e 40%, portanto, na média, 30%. Também provocamos o INEP, que como sempre se fez de surdo. No final, a Folha de São Paulo resolveu publicar uma matéria arriscando 20%, uma percentagem baixa mas que despertou muita polêmica,  por não haver comprovação dos dados.

No último dia 1º de dezembro, a Folha de São Paulo publicou uma análise de Naercio Aquino Menezes Filho, professor do Insper e da Usp, dando um quadro incrivelmente mais sombrio do que o nosso, feito há mais de uma década... O artigo foi uma resposta a uma matéria sobre escolas particulares com mensalidades baratas, porém, em média, com infraestrutura pior do que as públicas. Por que, então, os alunos de tais escolas particulares apresentam desempenho melhor que os da rede pública?... A resposta está no fenômeno da AULA VAGA, que praticamente não existe na rede particular, mesmo nas piores escolas, pois quando os professores faltam eles são demitidos, enquanto na rede pública não há fiscalização nem punição.

Agora pasme para o estudo apresentado pelo professor Naercio e realizado em uma amostragem de escolas públicas:

Nas escolas mais problemáticas, os alunos tiveram apenas 1 hora e 17 minutos de aula por dia, em média. Então, mesmo o aluno tendo direito a 5 AULAS DE 50 MINUTOS POR DIA, nessas escolas ele está recebendo apenas UMA AULA E MEIA POR DIA. 

Nas melhores escolas da amostra, o tempo efetivo de aula foi de 2 horas e 13 minutos, ou seja, o aluno recebe pouco mais de DUAS AULAS E MEIA POR DIA.

Resumo da ópera: na melhor das hipóteses, o aluno de escola pública teria METADE DAS AULAS, ou 50% DAS AULAS diárias.

Durma-se com um barulho desses! Ficam duas perguntas que estamos encaminhando ao professor Naercio, especialista em políticas públicas:
  1. Onde foi realizado esse estudo e qual a amostragem?
  2. Por onde começar a promover uma mudança na legislação que impede a demissão do professor, no caso, funcionário público?
 Cabe observar que nem todo funcionário público é efetivo, aliás, na educação a minoria dos profissionais o é. Veja o que costuma acontecer aos bons diretores de escola que se atrevem a demitir os professores não efetivos, quando não demonstram assiduidade, pontualidade e resultados: Diretoras afastadas por intrigas de maus profissionais e da APEOESP.

Refrescando a memória, o antigo e "eterno" artigo AULA VAGA: você sabe o que é isso?


Comentários

cremilda disse…
Giulia.
Estou em pé por misericórdia de Deus e as orações dos amigos, mas o caso da professora ameaçada de morte, era para você que o Tertuliano queria dar. Ele só me pediu porque não conseguiu falar consigo.
Segundo ele a professora foi na Delegacia e o delegado recomendou que ela divulgasse o fato.A grande imprensa não está nem aí, então ele achou que seu blog seria uma grande pedida.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…