Pular para o conteúdo principal

Delação na escola: quem recebe esse "prêmio"?...


Está sendo travada na sociedade uma discussão sobre delação premiada A princípio, a delação só é "necessária" quando o "culpado" de algum crime não se identifica, seja por covardia, seja por estratégia. O prêmio só faz sentido se a delação for realizada por alguém já  condenado, com a promessa de ter a própria pena diminuída ao entregar algum cúmplice, evitando assim que esse continue cometendo crimes. A delação premiada é portanto instrumento de prevenção e não de vingança.

Diz o bom senso que as crianças devem ser orientadas a dizer a verdade  e a ter coragem de admitir os próprios erros.  Entretanto, em muitas escolas públicas de todo o país, a delação é estimulada como algo normal, apenas para "tirar da frente" problemas disciplinares que incomodam  a direção da escola.  Trata-se de uma espécie de vale-tudo, em que coloca-se colegas contra colegas a bel prazer pelos motivos mais banais, muitas vezes devidos à falta de supervisão dos alunos durante as aulas vagas. Quem pichou a parede da escola? Quem começou a guerra de giz? Quem escreveu bilhete contendo palavrões? Quem  quebrou a descarga do banheiro?...

Imediatamente começa uma inquisição braba, muitas vezes culminando na famigerada suspensão coletiva de uma semana, com separação da classe: primeiro as meninas, depois os meninos, ou vice-versa. Nesse meio tempo, a direção da escola costuma receber denúncias anônimas, às vezes utilizadas para culpar alunos inocentes. Muitos pais revoltados por ter seus filhos em casa durante a semana os estimulam a entregar os colegas, fazendo o jogo da escola. Depois de a direção "decidir" quem é o culpado, que ninguém se atreva a contrariar o veredicto. A "honra" da direção é inviolável!

Esse tipo de atitude é o cúmulo do antipedagógico. Uma delação desse tipo não premia ninguém, apenas coloca os alunos uns contra os outros e levanta suspeitas muitas vezes infundadas. É impressionante que a suspensão coletiva ainda seja tão usada nas escolas públicas brasileiras, principalmente na rede estadual de São Paulo, cuja Secretaria da Educação já recebeu diversas denúncias nesse sentido e continua se fingindo de morta, quando seria tão simples publicar, em seu blindado site, textos que condenassem essa medida e sugerissem soluções pedagógicas para problemas de disciplina muitas vezes causados pela ausência de professor em sala de aula ou de inspetor durante o recreio. Para não falar dos alunos largados na quadra, no pátio ou nos corredores da escola, sem qualquer supervisão.

Professor Padula, alguma mudança para o ano que vem?...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…