Pular para o conteúdo principal

DE SUL 1 inicia processo de transparência!



Pela primeira vez em anos, uma Diretoria de Ensino nos responde oficialmente, eliminando a necessidade de outros procedimentos burocráticos, principalmente visitas à Secretaria da Educação, que fica sempre muito fora de mão para os pais de alunos da rede pública, que costumam morar na periferia e têm dificuldades para pedir o dia livre às empresas onde trabalham. Quem deu o start para este novo processo de transparência foi o Prof. Sandoval Cavalcante, Dirigente da SUL 1, diretoria da qual até hoje recebemos pouquíssimas reclamações, nenhuma séria como a que nos levou a enviar o e-mail abaixo:

Prezado Prof. Sandoval,

Como já relatamos, até hoje nunca tivemos denúncias graves da sua DE e queremos dar-lhe os parabéns!

No ínterim, surgiu um caso que demonstra as dificuldades de uma das suas escolas em manter a disciplina e entendemos que essa unidade precisa de esclarecimento nesse sentido. No início de fevereiro, uma mãe nos procurou dizendo que a rematrícula do filho estava "condicionada à assinatura de um termo de compromisso" devido a indisciplina e perguntando o que deveria fazer. Respondemos que não assinasse nada e tentasse conversar com a direção da escola para entrar num acordo. Ela o fez e nos respondeu agradecendo que finalmente o filho estava rematriculado. Esta semana ela voltou a nos contatar dizendo que o filho havia sido suspenso por 3 dias e que a diretora pediu que ela fosse amanhã assinar a transferência compulsória dele para outra escola, devido a uso do celular em sala de aula. Diz a mãe que deixa o filho levar o celular pois ela é doente e pode precisar falar com ele.

Expulsão de alunos é uma constante na rede estadual e já tivemos muitos casos, que o prof. José Benedito foi resolvendo. O caso desse aluno não nos parece tão sério a ponto de termos que incomodar o Padula ou o Secretário, então pedimos a sua ajuda no sentido de orientar a direção da escola. O termo que essa mãe precisa assinar é de não deixar o filho levar o celular para a escola, pois ele já causou problemas por esse motivo. Caso ela tenha algum recado urgente para dar, poderia ligar para a própria escola e pedir para transmitir ao filho. Assinar termo de compromisso ou transferência compulsória é ilegal, não é?

Contamos com a sua ajuda para que mais um aluno fique livre da expulsão, que só leva a estimular a evasão.

Leia agora a resposta que acabamos de receber da DE Sul 1, esperando que ela represente, para os pais de alunos, o início de uma nova era de transparência na Secretaria Estadual da Educação, depois da lamentável perda do Prof. José Benedito (ex-coordenador da COGSP e hoje prefeito eleito de Espírito Santo do Pinhal, SP), que foi até hoje nosso melhor contato na SEE. A partir de agora, iremos encaminhar as denúncias diretamente para cada Dirigente de Ensino e esperamos que todos tenham conosco a mesma nobre atitude de respeito e transparência demonstrada pelo Prof. Sandoval. Mais uma vez nosso MUITO OBRIGADO, professor!

DESPACHO DO DIRIGENTE REGIONAL DE ENSINO 
                                       O Dirigente Regional de Ensino no uso de suas atribuições legais após ofício da Direção da Escola e manifestação do Supervisor tem a informar o que segue:
1.    O aluno ..... portava celular na sala de aula, ouvindo música e balançando a cabeça como se estivesse dançando.
2.    A Vice Diretora ... solicitou ao aluno ... que desligasse o celular, pois não era permitido seu uso em sala de aula e a mesma estava repassando orientações quanto aos procedimentos da escola.
3.    Como o mesmo não atendeu sua solicitação pediu que o mesmo a aguardasse próximo da sala da Direção para que pudessem conversar sobre suas atitudes.
4.    O mesmo saiu da sala rebolando, debochando o que fez com que houvesse um tumulto na sala de aula.
5.    No ano de 2012 o responsável foi convidado a comparecer na escola e não o fez alegando não ter tempo e querendo resolver os problemas por telefone.
6.    O aluno não foi suspenso e não teve seu celular apreendido pela escola.
7.    O aluno está matriculado regularmente na escola.
                                       A Direção da Escola coloca-se a disposição mais outros esclarecimentos que se fizerem necessário.
                                       Aproveitamos a oportunidade para convidar a Sra. ... a participar do CE – Conselho de Escola e APM - Associação de Pais e Mestres da escola onde seu filho está matriculado e assim contribuir para a melhoria da educação, desejo de todos nós.
                              São Paulo, 12 de março de 2013 
                             Sandoval Cavalcante
                             Dirigente Regional de Ensino Sul 1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…