Exigência de uniforme e expulsão sumária de aluno! Que escola é essa???


A pobreza do nosso sistema educacional continua colocando o uniforme no topo das prioridades, como denunciamos aqui há anos. Por isso, muitos colégios impedem a entrada dos alunos sem uniforme. É um sistema educacional BURRO e INCOMPETENTE, que valoriza mais o vestuário do que o conhecimento e o aprendizado. Um sistema educacional que quer UNIFORMIZAR os alunos, para que fiquem tão BURROS e INCOMPETENTES quanto ele próprio. 

O sistema é também hipócrita, pois toda vez que comunicamos à Secretaria da Educação que uma escola obriga os pais a adquirirem o uniforme e impede o acesso de alunos não uniformizados à sala de aula, a resposta é que isso "não existe", já que a obrigatoriedade do uniforme é proibida, de acordo com a Lei estadual 3.913/83. Segue então a imagem da "nota fiscal" de compra do uniforme, realizada por uma mãe com muito sacrifício. Foram suados R$ 163,00 que ela teve que desembolsar, caso contrário seu filho seria impedido de entrar na escola! 




Mas a questão do uniforme não foi o principal motivo pelo qual essa mãe nos contatou: o problema é ainda mais grave: seu filho foi expulso da escola! 

Já que a expulsão de alunos também é ilegal e temos denunciado demais a atuação dos Conselhos de Escola "legitimando" essa prática, as escolas estaduais mudaram de tática: agora a expulsão é realizada sem qualquer cerimônia, no vapt-vupt!!


A história que essa mãe nos contou chega ao limite do absurdo: seu filho de 15 anos, que nunca teve problemas disciplinares em sua vida escolar, entrou este ano em uma escola da DE Leste 1 e desde o início foi vítima de bullying por parte de colegas. O garoto foi levando na esportiva, ouvindo os conselhos da mãe, mas um dia perdeu a paciência e revidou o "ataque" de um colega, que lhe atirou tinta guache. A tinta acabou na parede da sala de aula e o menino foi chamado na diretoria. Até aí, nada demais. Em seguida, porém, a mãe foi convidada a comparecer na escola para assinar a expulsão do filho, camuflada de "transferência compulsória". Transtornada e sem orientação, ela assinou o papel e ao perguntar para onde o garoto seria transferido, ouviu um "se vira!". Ainda não conseguimos falar com o dirigente da Leste 1, mas logo cedo tentaremos de novo e vamos pedir uma solução para o assunto. A mãe não quer que o filho continue na mesma escola onde sofreu bullying e ainda por cima foi expulso, mas não podemos deixar que a situação se repita com outros alunos. Vamos primeiro garantir a vaga do garoto numa escola melhor e depois divulgaremos o nome dessa escola que exige uniforme e expulsa alunos por motivo fútil. CONTINUA

Comentários

Anônimo disse…
Olá estudo no IF-AL e queria expor um acontecimento aqui... Não sei quem está correto então, gostaria da opinião.
Hoje, na primeira aula às (13:00horas), eu já estava na sala a alguns minutos antes do professor entrar. Ele exatamente as 13, deu boa tarde e começou a dar a aula, às 13:07, eu me levantei pedi licença e sai, fui ao bebedouro, ao voltar a sala ele disse: '' pegue seu material e se retire da sala''. Eu sou uma pessoa bem culta então, peguei minha mochila e sai da sala.

Eu me senti humilhada, constrangida e prejudicada...não sei ao certo por que fui expulsa da sala, ele me fez perder 2 aulas importantes para mim e me fez acumular mais 2 faltas...
É direito do professor expulsar o aluno dessa forma? Obrigada desde já.

2º Ano, If-Al. Campus Maceió
Giulia disse…
Provavelmente, o professor pensou que você poderia ter ido beber água no intervalo entre as aulas, mas não seria motivo para dispensar você da aula.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola