Pular para o conteúdo principal

SME: TRANSPARÊNCIA ZERO

Há anos batemos na tecla da importância da educação infantil PARA TODAS AS CRIANÇAS. Aqui em São Paulo o déficit de vagas deve superar 130 mil, mas, quem confia em números, em um país que não investe em estatísticas? É possível que haja muito mais crianças fora da educação infantil, em São Paulo.


Já cansamos de repetir que as crianças que entram no ensino fundamental sem base anterior costumam estar em desvantagem, inclusive porque a maioria dos professores não são alfabetizadores competentes e seu trabalho não se baseia em estimular a curiosidade natural da criança, mas na ineficiente cópia/decoreba, instrumento consagrado pelos governos que pretendem manter seus povos no analfabetismo. O Brasil é um dos campeões mundiais de analfabetismo funcional, o que confirma esta teoria.

Uma educação infantil de qualidade é portanto um grande diferencial na vida escolar de toda criança. Como ficam então os milhares de crianças que nem mesmo têm acesso a essa modalidade, sendo que os pais são obrigados a “matriculá-las”? – mais um contrassenso tupiniquim...

Desde o início do ano estamos tentando obter da SME informações claras sobre a matrícula de alunos nas creches e EMEIs da prefeitura de São Paulo, estivemos inclusive pessoalmente na Secretaria, mas as explicações não convencem. O caso da menina Sarah foi resolvido, ela já está matriculada, mas parece que tudo ocorre como “passe de mágica”. Depois disso, enviamos à SME uma troca de e-mails com outro pai, que inclusive comprovou a flutuação inexplicável da posição de sua filha no ranking das inscrições, da seguinte forma:

No dia 4 de fevereiro a criança estava na 12ª posição.
No dia 6 de março sua posição era a 57ª, ou seja, 45 crianças haviam entrado na sua frente!
No dia 01 de abril ela estava na 2ª posição.
Foram dadas explicações nebulosas para justificar essa flutuação, que não convenceram em absoluto, e - o que é pior – mesmo estando em segundo lugar no ranking das inscrições, essa criança continua fora da escola... Ainda por cima, a pessoa com quem estávamos em contato na SME entrou de férias e ninguém está nos respondendo no lugar dela. Nosso pedido de reunião com o Secretário Cesar Callegari não foi aceito nem negado, simplesmente ignorado... Como interpretar toda esta situação? Crianças seriam apenas números???

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…