Black bloc de verdade ou de mentirinha?...




Neste dia 13 o Brasil inteiro viu na tevê uma cena muito interessante: jovem de 16 anos "estilo" Black Bloc (camiseta preta na cabeça), sendo retirado pelos pais da manifestação contra a copa realizada na zona leste de São Paulo. Assista ao vídeo:





O que em muitas reportagens foi resumido a um simples ato de autoridade paterna revela porém detalhes interessantes, como a preocupação dos pais pelo filho com muita ênfase, mas sem aparentar autoritarismo, e a sinceridade do jovem, demonstrando raro interesse cívico e argumentação convincente. 

Outros detalhes, ainda, mostram indícios de alguns tabus da nossa sociedade, que só se revelam em situações inusitadas e espontâneas (nem o pai nem o filho perceberam na hora que estavam sendo gravados):

O pai entende que o filho deveria estar satisfeito com a educação, já que os pais pagam escola particular para ele. Aparentemente, esse pai não tem consciência de que está pagando duas escolas, uma para o filho e uma para os filhos... dos outros. E ele repete muitas vezes ao jovem que é filho dele, dando a impressão de que sua preocupação é... apenas com seu próprio filho. Isso é bem típico da classe média brasileira, que pratica um apartheid velado.

Por outro lado, o fato de aceitar que o filho participe de manifestação sem máscara mostra um compromisso com a verdade bastante raro numa sociedade hipócrita como a nossa.

E agora toda a história fica bem intrigante: por que o jovem foi para a manifestação mascarado? Será ele um autêntico black bloc, ou seja, alguém que se programou para o quebra-quebra? Talvez sim, talvez não...

Entretanto, nas duas hipóteses esse jovem parece estar bastante isolado. Se ele for um verdadeiro black bloc, o figurino está de acordo, pois black blocs operam de forma individual, eles não constituem uma comunidade.

Mas, se ele não for um verdadeiro black bloc, por que ocultou sua identidade? É uma questão intrigante, mas pode haver N motivos por trás dessa máscara: 

- Ele não se sentiu à vontade para discutir o assunto em casa ou até tentou, conforme diz no vídeo: "Você não tava falando comigo, por que quer falar agora?". Aparentemente, o assunto "manifestação" é proibido em muitos lares brasileiros, até naqueles onde existe amor e possível compreensão, como é o caso dessa família.

- Ele não conseguiu formar uma turma de amigos ou colegas de escola para participarem da manifestação, o que pode ser explicado pela falta de engajamento político comum na atual juventude brasileira ou até pelo medo da repressão policial.

- Ele pretendia conhecer o movimento black bloc por dentro, já que a sociedade e a mídia brasileiras o repudiam a priori, o que impede uma divulgação mais ampla ou isenta.

Apesar de todos os questionamentos, fica dessa história uma imagem muito positiva: tanto o pai quanto o filho foram corajosos, não por se exporem publicamente (já que não sabiam que estavam sendo filmados), mas por terem tomado atitudes coerentes com sua consciência. O jovem sabia a quais perigos estava exposto e o pai estava coberto de razão ao temer pelo pior, pois as manhas da polícia no país são as mais variadas possíveis. Vejam abaixo mais um vídeo exclusivo sobre a experiência de um jovem que teve o azar de ser detido durante outra manifestação. Este é aliás o verdadeiro motivo que tirou a população das ruas. Há razões de sobra para protestar, mas poucos têm a coragem de enfrentar os riscos.


Comentários

Anônimo disse…
E a voz do rapaz, hein? Não sei não...
Yra doced disse…
O filho questionado pelo pai diz em certo momento:

Deixa eu,,quero lutar por uma educação melhor.
E o pai responde que ele paga escola para o filho.

Fiquei com a impressão que o pai não entendeu (naquele momento) o pq do filho estar ali.

O filho quis dizer que a luta era pelos outros...não por ele.

Estarei enganada?

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola