A escola tabu nº 69 - O aluno, esse estorvo!

O aluno, esse desconhecido, não tem voz na escola, nas secretarias da educação e muito menos na mídia, neste país que tradicionalmente despreza sua infância e juventude, principalmente a que vive em bolsões de pobreza.

Este blog é um dos poucos meios que permitem a livre expressão dos jovens e frequentemente recebe mensagens que, por sua espontaneidade, mostram claramente o autoritarismo da instituição escola. O e-mail a seguir foi recebido de uma aluna da rede estadual de São Paulo, de 12 anos de idade, que junto com alguns colegas tomou uma atitude rara, mostrando espírito de iniciativa e de liderança, qualidades que a escola brasileira tende a abafar. A mensagem pinta também um quadro da desolação cultural e pedagógica em que estão mergulhadas as escolas de periferia das metrópoles brasileiras, onde a singela iniciativa dessas crianças poderia enriquecer a vida escolar, fugindo à mesmice. Mas, como é habitual, aqui também o aluno foi tratado como estorvo e sua atitude deu início a um processo de repressão que instituiu o terror. Por este motivo omitimos o nome da escola e dos alunos envolvidos. Essa é a escola que mata o protagonismo e a liderança em sua origem, limitando-se a formar alunos apáticos e conformados. É a típica "gaiola" de que fala o saudoso Rubem Alves, a escola que não apenas desencoraja, mas reprime o voo de seus alunos.

Estamos encaminhando o assunto à Secretaria da Educação, para que mais uma vez tome ciência do autoritarismo comum em suas escolas e proteja os alunos das habituais perseguições. 

Bom dia, sou aluna da rede pública, curso o sétimo ano, sexta série. Junto com alguns amigos resolvemos fazer um abaixo assinado para que a escola levasse a um passeio. Pois a escola nunca, em momento nenhum saiu para passeios, nem educativos nem recreativos. Moramos em um bairro pobre, e não temos muitos recursos, nosso único meio de participar de eventos recreativos e educativos, como conhecer museus, o Masp,o Cata Vento, e até mesmo o Hopi hari, seria através de excursões da escola. Perguntamos a uma professora se podíamos fazer um abaixo assinado, ela disse que sim, então fizemos o abaixo assinado, levamos em sala em sala e todos os alunos assinaram, pois todos nós queríamos sair um pouco. Já havíamos visto varias vezes ônibus de excursão saindo de uma escola vizinha a nossa, e como ela também é do estado, pensamos que também podíamos. Mas não, as coordenadoras disseram que não podiamos, que nem podíamos ter feito um abaixo assinado, que menores não podem fazer abaixo assinado e que iriam chamar nossos pais. Na ultima aula elas foram a nossa sala e nos deram um sermão, pior acharam que a professora que disse que podíamos fazer o abaixo assinado estava envolvida e na verdade ela não estava, só deu permissão. Pois bem, a aula acabou e elas pediram que eu e mais uma amiga que começamos o abaixo assinado continuasse na sala, mesmo depois do sinal bater, e nos disse que não podemos de forma nenhuma fazer esse tipo de documento porque somos menores e que não podíamos sair da  escola porque o Estado não autoriza passeios, que era perigoso e que não era para insistir senão ia chamar as mães. Cheguei em casa tremendo,e minha mãe já estava no portão preocupada porque cheguei tarde, me senti muito mal, parecia que eu havia cometido um crime. Por favor, me responda, tudo isso que ela disse é verdade? E porque só nossa escola não pode, se todas as outras escolas vizinhas podem? E se podemos, o que devo fazer para conseguir esse benefício para mim e meus amigos.Tenho certeza que se pudéssemos sair de vez em quando os alunos se sentiriam mais felizes e recompensados, já que a escola só nos da regras, se ela nos desse algum beneficio tudo seria mais fácil para todo mundo.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola