Pular para o conteúdo principal

Escola estadual de São Paulo: tolerância zero!



Desde o início do ano chovem reclamações de pais e alunos sobre a intolerância aos atrasos de alunos, que geralmente permitiam 10 minutos após o fechamento do portão. Cada vez mais, os alunos são barrados na entrada, até mesmo na hora em que toca o sinal. Entrar na segunda aula? Nem pensar!

Isso não tem nada a ver com a tentativa de "disciplinar" os alunos, trata-se mesmo de intolerância e do desejo de que as escolas fiquem cada vez mais vazias, como já denunciamos no post A escola intolerante, autoritária e excludente.

Para variar, a campeã nacional é a rede paulista, que porém tem "a seu favor" o fato de ser a maior do país... (não custa dar uma colher de chá! rs). Segue denúncia de pais de alunos da EE Maria Leoni, em Guarulhos, que acabamos de encaminhar à Ouvidoria da Educação, com cópia para a Central de Atendimento da SEE, resguardando, é claro, a identidade dos pais que nos enviaram a mensagem, para evitar as infalíveis perseguições e represálias.

Na escola Maria Leoni, em Guarulhos, não existe tolerância... As normas da escola mudaram, os pais não foram avisados nem por documento, nem por telefone, nem por reunião (que ainda não teve nenhuma este ano). As normas internas da escola informam: 10 min de tolerância de atraso, apenas mediante justificativa comprovada, presença dos pais ou responsável e autorizada pela direção.
Todos os dias eles batem o portão na cara de vários alunos (20 ou mais) que já estavam com o pé na porta de entrada, apenas porque tocou o sinal, e cada um segue para um lado, tem pontos de drogas nas esquinas da escola, tem badernas... e cada aluno fica à própria sorte após ser barrado na entrada.

Costumamos chamar a Ouvidoria de "Surdoria", devido à sua falta de retorno, ainda mais depois que foi extinto o e-mail ouvidoria@edunet.sp.gov.br, tanto que hoje as denúncias só podem ser enviadas através do site da Secretaria da Educação e a maioria dos pais de alunos desiste de encaminhá-las, devido às dificuldades. É por isto que enviamos cópia para a Central de Atendimento e na semana que vem iremos pessoalmente à SEE para cobrar retorno. A inserção desta denúncia no site, aliás, demorou quase uma hora (apesar de o texto já estar pronto e colocado em anexo, para não estourar o limite exigido de 8 mil caracteres). Imaginem então as dificuldades dos próprios pais de alunos, para serem "ouvidos"...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…