Pular para o conteúdo principal

Nova parceria com a Secretaria Estadual de São Paulo



Desde o final de 2012, estamos “órfãos” da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo, que é de longe a maior rede estadual do país. São os pais e alunos das escolas estaduais que nos enviam o maior número de denúncias, sejam de expulsão de alunos, de intermináveis suspensões, de cobranças e vendas ilegais de todo tipo dentro da escola, da falta de acesso de alunos à sala de aula por estarem sem uniforme ou material, por usarem cabelo estilo moicano ou qualquer outro motivo fútil. São poucos os pais e alunos que conseguem, sozinhos, garantir aos seus filhos acesso e permanência na escola, sem submetê-los a perseguições e represálias de toda sorte, por parte de diretores e profissionais autoritários e arrogantes.

Entre 2008 e 2012 tivemos grande apoio de parte do Prof. José Benedito de Oliveira, que dirigia a extinta COGSP. Muitas saudades do “Zé”, compreensivo, paciente, bem humorado e sempre rápido em resolver os problemas! Até hoje dizemos que nosso trabalho é de formiga e nada conseguimos "no atacado", mas o José Benedito resolvia tudo "no varejo", ou seja, reintegrava alunos expulsos injustamente, exigia que as escolas tratassem os alunos com respeito e de acordo com a legislação. Desde a saída dele da SEE temos tido muitas dificuldades para ajudar os pais e alunos a resolver seus problemas. Alguns nos procuram após buscar a ajuda da Ouvidoria e confirmam que a solução nunca vem ou então que a resposta chega após a saída do aluno da escola. Sem comentários...

Durante estes três anos de “orfandade” não procuramos mais ninguém da SEE, por pura falta de confiança em profissionais “antigos” (em todos os sentidos...). Estamos tentando agora uma nova parceria, através da Profª Raquel Volpato, nova Subsecretária de Articulação Regional, que esperamos tenha o foco mais voltado para o aluno, já que esteve longos anos afastada da Secretaria e ficou longe dos vícios que permitiram a proliferação do autoritarismo na rede.
Estivemos em reunião com ela, sua assessoria e membros de uma diretoria de ensino do interior, no dia 16. Avaliamos a reunião como boa, apesar de alguns desentendimentos que porém garantiram clareza e franqueza sobre o que desejamos: respeito aos alunos da rede, que tenham garantido seu direito básico de acesso e permanência, numa escola democrática e justa.

Por sua vez, a diretoria de ensino nos convidou para uma reunião em sua região, a fim de ajudarmos na boa reintegração de um aluno cuja vida escolar não tem sido nada fácil. Até lá, não vamos comentar nada sobre este caso em particular, apenas continuamos fazendo votos de que a Profª Raquel possa se tornar uma verdadeira aliada na garantia dos direitos dos alunos.

Para conhecer a legislação básica da educação, clique aqui.


Comentários

ISABEL PORTO disse…
"...sobre o que desejamos: respeito aos alunos da rede, que tenham garantido seu direito básico de acesso e permanência, numa escola democrática e justa".
É difícil aceitar que algo tão básico e necessário seja tão difícil de alcançar!
Sucesso na nova caminhada em defesa das crianças, jovens e suas famílias! Admiro muito o trabalho que vocês realizam!
Abraço fraterno!
Isabel

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…