Pular para o conteúdo principal

Coragem, mães e pais de alunos!!!



Parece que a maior conquista dos alunos que estão ocupando as escolas estaduais de São Paulo é o exemplo de coragem que estão dando para as próprias mães e pais!

Numa demonstração inédita de cidadania, alunos de mais de uma centena de escolas paulistas estão enfrentando todas as possíveis dificuldades, desde a falta de água e de gás para poderem fazer comida, até à certeira perseguição que irão sofrer no próximo ano, quando serão taxados de alunos "baderneiros", "vagabundos", "laranjas podres", expressões em voga entre diretores de escola, coordenadores e falsos educadores que infestam a rede pública, onde muitos profissionais se preocupam mais com sua própria aposentadoria do que com o futuro de seus alunos.

Por outro lado, muitos pais ficam preocupados com a integridade física dos filhos, trancados dentro de uma escola cercada por policiais, que de acordo com seu Geraldo "não vão usar a força", mas exibem tranquilamente seus fuzis!...


Outra preocupação das mães e pais é com respeito à época de avaliações e provas, pois a Secretaria escolheu bem o momento para divulgar seu projeto de "reorganização", contando com a pressão da família sobre os filhos para que não percam as últimas provas do ano!

Quanto às intenções do seu Geraldo e sua rede, tão bem tecida pelos secretários que passaram pela gestão PSDB nos últimos 20 anos, já falamos exaustivamente delas aqui e aqui. Merecem especial destaque a Rose Neubauer, que promoveu a primeira "reorganização" das escolas, Gabriel Chalita, que sacramentou a expulsão de alunos via Conselho de Escola e o atual secretário fantasma Herman Voorwald, que deu continuidade ao processo de esvaziamento das escolas e finalmente apareceu pra divulgar uma nova "reorganização" da rede.

Coragem, mães e pais de alunos, se espelhem no exemplo dos seus filhos! 

Mas aqui sabemos que o buraco é ainda mais embaixo! A coragem das mães e pais já se perde nos primeiros anos da vida escolar dos filhos, quando o autoritarismo do sistema os exclui da participação na gestão escolar, que lhes é garantida até pela Constituição Federal, em seus Artigos 205 e 206! A maioria deles não sabe disso e se deixa intimidar por diretores e coordenadores que não querem o envolvimento da comunidade em seus muitas vezes escusos negó$ios...

Acabamos de receber uma mensagem muito reveladora de uma mãe de aluno que parece ter toda a boa vontade para fazer a diferença, mas infelizmente... deixou isso para o futuro:

     Estou no segundo período de Pedagogia e tenho um filho de seis anos que estuda numa escola pública. Eu acho incrível que estudamos tanto teorias e teorias sobre aprendizagem, mas a práxis é ainda a tradicionalista ou militarista. 
     Impediram meu filho de entrar na escola por eu ter chegado atrasada com ele. Como uma criança, principalmente numa fase que está se acostumando com as regras sociais, seja impedida de entrar num lugar que é seu direito por lei estar? Ninguém pergunta as dificuldades da criança em se levantar... Ou, parece que ninguém nunca se atrasa alguma vez, inclusive professores e diretores...
     Eu fico indignada, mas não posso fazer nada, pois os pais só tem acesso à escola pra receber orientações, nunca pra participar efetivamente da comunidade escolar. O que eu posso fazer é, no dia que entrar de fato na educação, fazer diferente... Tentar ver a criança como um ser em desenvolvimento, não um número numa lista de chamada.

Não, mães e pais, procurem se unir e enfrentar o autoritarismo do sistema desde o início da vida escolar dos seus filhos! Exijam uma eleição democrática do Conselho de Escola e participem! Espelhem-se no exemplo desses meninos e meninas que se uniram e estão enfrentando todas as autoridades, inclusive passando fome, para garantir sua permanência nas escolas onde estudam!

Segue o link para o enésimo post com as dicas básicas de legislação, anote aí!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…