Pular para o conteúdo principal

Diretoria de Ensino de Piracicaba, que vergonha!!


A imagem acima mostra a escola rural Augusto Melega, na região de Piracicaba, que estava na "lista negra" do fechamento de escolas da Secretaria Estadual de São Paulo. Acontece que nesta sexta-feira a Secretaria recuou da decisão e resolveu manter a escola em funcionamento. De acordo com a Folha de São Paulo, a comunidade escolar ficou sabendo do fechamento da escola através da mídia e acionou o Ministério Público. Parabéns para esses pais e alunos por sua iniciativa!!

Mas aqui não se trata apenas uma conquista da comunidade, o caso dessa escola é a mais pura demonstração da incompetência e do descaso da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, em especial, da Diretoria de Ensino de Piracicaba!

Então vejamos: teoricamente, o papel de uma Diretoria de Ensino é conhecer e acompanhar o desenvolvimento das escolas de sua região, inclusive dos alunos, através de supervisores que deveriam visitar as escolas periodicamente e fazer relatórios, apontando problemas e buscando soluções. 

A matéria mostra porém que, aparentemente, a diretoria de Piracicaba não tinha a menor ideia da existência dessa escola!! A ponto de o próprio dirigente ter expressado que precisou da "expertise" dos pais e alunos para entender que, se a fechasse, obrigaria a maioria dos estudantes a percorrer um longo caminho da área rural para a cidade, onde se encontra a escola que os absorveria. Entre as duas escolas há uma distância de 8 km!! Não precisa ser expert em nada para saber que quem frequenta uma escola situada na área rural não mora no perímetro urbano, e que muitas vezes precisa chacoalhar bastante por estradas de terra para finalmente chegar à sala de aula.

Que vexame, sr. dirigente de Piracicaba! É bem provável que nenhum de seus supervisores jamais se deu ao trabalho de visitar a EE Augusto Melega, não é? Como assim, chacoalhar por uma estrada rural?! Nem mesmo para informar à comunidade que sua escola seria fechada, certo? Pra que!, todos saberiam mesmo através da mídia...

E que bom que os pais e alunos não foram diretamente para a Diretoria de Ensino, mas procuraram o Ministério Público! Isso lhes poupou a certeira arrogância com a qual seriam tratados, e assim sua visita não daria em nada, a não ser humilhações.

Mas tem mais uma prova da incompetência e do descaso da Secretaria da Educação e da Diretoria de Ensino de Piracicaba: a EE Augusto Melega é uma escola cujo IDESP é superior à média da própria Secretaria. Será que nem isso era sabido por essas autoridades (in)competentes? É oportuno fechar escolas com desempenho melhor que a média da rede, seu Geraldo???

Mas nada disso é importante para esses buRRocratas de carteirinha! Eles viram que a escola tinha apenas 165 alunos e que havia um ônibus passando pela outra que absorveria os alunos, então foi só uma canetada, simples assim. E os alunos que se virassem! Pois é, na prática a maioria das diretorias de ensino não passam de cabides de emprego...

Mas os alunos se viraram muito bem!! Mais uma vez, parabéns para essa comunidade escolar, que soube se defender da melhor forma possível, colocando frente a frente o dirigente de ensino e o promotor. Assim, o dirigente teve que baixar a crista e ouvir o que precisava, mas merecia muito mais: ser punido por sua incompetência, descaso e conivência com um programa de "reorganização" que só visa desestabilizar uma rede de ensino já sucateada ao máximo. 

Leia clicando aqui sobre o movimento de ocupação das escolas estaduais por alunos, que estão dando um exemplo de cidadania para todo o país. Se você é aluno de uma escola estadual de São Paulo, organize-se com seus colegas e ocupe a sua!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…