O Moita ficou na moita... e a CPI da Merenda vai rolar!




Não foi fácil entender o imbróglio que ocorreu hoje à tarde na Alesp...

Oficialmente, haveria uma reunião da Comissão de Educação que não visava a possível instauração de uma CPI da Merenda, mas a “visita” do operador do escândalo da merenda, o Moita, convidado para  dar seu depoimento. A palavra visita está entre aspas porque houve apenas um “convite”, não uma convocação...

Já fizemos duras críticas à Comissão de Educação por sua omissão com respeito à CPI, que você pode ler clicando aqui. Mas fizemos questão de comparecer à reunião, mesmo sabendo que ficaríamos esperando sentados, pois o Moita, em tendo sido apenas convidado, apareceria... a troco de que? rs

E de fato, o Moita ficou na moita... Ele não se apresentou à Comissão de Educação, foi porém visto e até abordado pelos Jornalistas Livres, veja aqui:





A reunião da Comissão de Educação foi cancelada, mas ficou difícil saber o motivo, por uma questão bem filosófica: ainda não se descobriu quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?... Ou seja, a presidente da Comissão, a hiperautoritária Rita Passos (PSD), explicou que houve falta de quórum, mas ao mesmo tempo argumentou que o Moita não compareceu... Ela não quis papo, encerrou a reunião sem permitir que ninguém se manifestasse e todos ficaram em dúvida se a reunião foi melada por falta de quórum ou porque o Moita ficou na moita...

A questão ainda não ficou clara, mas houve uma certeza: da Comissão de Educação não sairia nada que pudesse forçar a instauração de uma CPI da Merenda. Ora, se o objetivo fosse esse, em lugar de “convidar” o Moita, os deputados da Comissão teriam se mexido há bem mais tempo, promovendo a busca de documentos junto à Secretaria da Educação e ao Ministério Público, onde o escândalo da Merenda já está sendo investigado há meses.

Só começamos a entender o que estava de fato ocorrendo na Alesp, após a tal reunião melada. Em seguida, fomos visitar os gabinetes dos deputados que haviam se posicionado contra a CPI, entregando para eles um documento cobrando sua adesão. Quando chegamos ao deputado Roberto Engler (PSDB), caiu a ficha... Bem, ele nos convidou com toda a “simpatia” de que um político é capaz (já foi visitar algum político em seu gabinete? rs) e fez questão de nos explicar que não tinha assinado o pedido de CPI porque... queria uma CPI! A CPI que ele queria não era essa proposta pelo PT, era uma CPI mais ampla, e disse que quase todos os deputados governistas já estavam aderindo a essa “nova” CPI, blá blá blá...

Saímos da Alesp tão enojados quanto costumamos ficar depois dessas visitas para os digníssimos representantes “do povo”. No entanto, horas depois, fomos surpreendidos pela notícia dos alunos da Ocupação Alesp, informando que hoje mesmo estiveram em reunião com o presidente Fernando Capez, e que o mesmo já havia conseguido os votos para essa “nova” CPI.

Sinceramente, fazemos muitos votos de que os estudantes não tenham sido enganados pelo Capez, pois até o momento, 23:30, não nos chegou uma confirmação oficial. Temos porém certeza de que, mesmo sendo uma CPI “chapa branca”, ninguém vai conseguir fazer esses alunos de bobos, veja neste novo vídeo dos Jornalistas Livres: 



Pela primeira vez uma nova geração de brasileiros nos orgulha com sua coragem, determinação e inteligência! Salve, secundaristas de São Paulo!! #OcupareResistir! 

Comentários

Fatima disse…
Tudo que é CPI acaba em pizza. Esse blog só fala em lei, lei, lei, nada disso adianta!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola