Pular para o conteúdo principal

A canção do professor


I can get no satisfaction!

Os professores estão indo às ruas para exigirem a satisfação de seu maior desejo: reprovar o aluno. Já que eles não sabem ensinar e não têm o menor prazer no trabalho que escolheram (sim, pois poderiam optar por vender imóveis, fazer artesanatos, ter uma locadora de vídeos ou um quiósque na praia), a única forma de conseguirem um orgasmo é reprovar o aluno. Que satisfação! Assim no ano seguinte ele vai ser também reprovado e, se Deus quiser, no próximo já estará fora da escola. Menos um!

Evasão do aluno - ah! essa é a satisfação mais profunda do professor. E é nisso que a classe docente é craque, como todas as estatísticas mostram.

Abriu assim a nova temporada de passeatas e greves em nome da volta da repetência.

ABRAM ALAS PARA ELES!

Leia os excelentes comentários da professora Glória Reis e o artigo do professor da USP Vitor Henrique Faro, no blog http://gloria.reis.blog.uol.com.br/

Comentários

Giulia disse…
Gente, que bicho sagrado é o professor?! Ninguém se atreve a comentar nada! Isso deve ser produto da lavagem cerebral que todos nós recebemos quando crianças:
Respeite o professor!
Seu professor está sempre certo!
A primeira professora a gente nunca esquece!
A professora é sua segunda mãe!...
Lúcio disse…
Giulia, sou professor. Grande coisa pra vcs né! Mas sou. E me orgulho disso! Comparam professor com pai , mãe, tio, tia, porque assim como pai será eternamente pai, professor será eternamente professor! Pelo menos pra quem já teve professor!
Giulia disse…
Prezado Lúcio, se você se orgulha de ser professor, é porque deve ser um ótimo professor. Também tive alguns excelentes professores. Meus filhos também, que só estudaram na rede pública de ensino, tiveram alguns ótimos professor. Professor é que nem pai, mãe, engenheiro, motorista, eletricista... Pode ser bom, médio, ruim, péssimo. O que não se pode é tratar professor como "santo", principalmente quando ele demonstra que não está nem aí com o aluno.
Ricardo Rayol disse…
E contra isso a população nao protesta
Glória disse…
Giulia,adorei a ilustração...Dei boas risadas.
Giulia disse…
Pois é, Glória, de vez em quando precisamos desopilar o fígado...
Costajr disse…
Acho que você está equivocada, mas talvez eu seja um desses professor que vê na reprovação uma... sei lá, satisfação sexual.

Protestar contra o fim da reprovação não quer dizer, no meu entender de professor preguiçoso, que nós, excluo você, claro, estejamos ávidos pela reprovação. Na maioria dos casos, a deficiência na aprendizagem têm duas causas que se combinam: Professor ruim - talvez seja o meu caso - e aluno negligente.
Costajr disse…
Não seja apressada, o erro de concordância foi proposital. Em tempos de Lula, quero me adptar à uma nova gramática, afinal, uma progressão continuada ajuda a resolver esse problema.
Giulia disse…
Olá, CostaJr, o analfabetismo funcional nestepaizzz vem de bem antes de Lula, infelizmente. Seria tão bom se varrer Lula resolvesse os problemas do Brasil! Quanto ao aspecto formal da língua, é mera convenção e não dou a mínima para isso. Se os erros fossem somente de gramática e ortografia, mas as pessoas conseguissem estruturar seu pensamento ou entender um texto simples, já estaria muito bom. Mas parece que uma coisa puxa a outra. Você vê que mesmo na Internet os textos são prolixos ou repetitivos, é muito blá-blá-blá e pouco conteúdo. O que defendemos aqui é o princípio da progressão continuada e não a forma como ela é conduzida hoje. Reprovar um aluno vale tanto quanto deixá-lo passar de ano, ou seja, não altera em nada seus conhecimentos. A avaliação não acrescenta nada ao aluno, acrescenta ao professor, se ele estiver interessado a trabalhar com o aluno. E professor que se preocupa em avaliar o aluno apenas uma vez por ano mostra que não está minimamente interessado.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…