Professor fotografa alunos





Roubei essas fotos do blog do amigo Leandro http://maiscontradicoes.blogspot.com, um dos poucos professores que não se queixam de seus alunos. Aliás, o fotógrafo é o próprio Leandro, que as tirou antes das férias.
Suas palavras são quase inacreditáveis (né, "anônimo"?), por isso faço questão de reproduzi-las aqui:

Foram (sempre são!) tardes muito gostosas. Sentirei falta da agitação deles todos.

Comentários

Mário disse…
Giulia, publiquei agora o post de amanhã...rs. Digno do seu blog. Passa lá para conferir.
Giulia disse…
Querido Mário, respondi para você lá no seu blog. Um abraço!
Mário disse…
Já li Giulia e vim te agradecer o seu excelente comentário, franco, sincero e que abre os horizontes. Faz pensar e repensar...rs. Muito bom mesmo. Fico grato pela atenção e tenha certeza que você me mostrou um lado diferente e que eu mesmo desconhecia totalmente. Esta, Giulia, é a grande vantagem de blogarmos. Entendo perfeitamente o seu ponto de vista, fruto da experiência. Agradeço imensamente pelo belo ensinamento que me ofertou.
Creio que o seu comentário tornou aquele post completo, na medida em que deu ao leitor a oportunidade de ver, a um só tempo, dois lados da mesma moeda.
Forte Abraço,
Mário.
Ana disse…
Giulia:
Fantástico seu comentário lá no Mário.
Você está certíssima, se houvesse punições em todos os lados, não haveria tanta violência, o que impera é a impunidade.
A escola pública infelizmente é um suplício para os filhos dos pobres, não conseguem estudar, por falta de aulas, de comprometimento dos professores, pela certeza da estabilidade.
Depois quando chegam à universidade (particular é claro) para acompanhar é praticamente impossível. Pois bem a duras penas, quando conseguem terminar o curso superior, e tentam fazer uma especialização em universidade pública, não são aceitos, pelo curriculo que trazem, ou seja um estigma, uma doença, as portas continuam sendo fechadas.
Mas o poder público pode e deve fazer algo para que isso mude.
Sem esquecer aqui, claro, aqueles bons professores, que amam o que fazem, que lutam por um ensino melhor, mas com toda certeza são impedidos de levar seus sonhos adiante.
Acho que me estendi demais.
Deixo um beijo prá você.
Patrick Gleber disse…
Giulia

O que você achou das vaias a Lula no Maracanã? Opina lá no meu blog

www.blogdopatrick.br21.com
Mário disse…
Pois é...rs. Te citei de novo, agora no "FAÇA VOCê MESMO - PARTE II". Continuemos a conversar sobre educação fundamental e superior, professores prepotentes e governo omisso. Passa lá quando for possível. Abraços, Mário.
Leandro disse…
Giulia:
Não sei se consigo ser um bom professor, mas me esforço muito e o retorno que os alunos me dão é bastante animador.
Talvez eu esteja mesmo no caminho certo e constar aqui em seu espaço ajuda na motivação.
Abraço
Giulia disse…
Leandro, com certeza você é um bom professor: percebe-se pela expressão de seus alunos, à vontade na frente de sua câmera. Para mim, você é o professor ideal (e nunca assisti suas aulas, hein? rsrs). O professor "ideal", no meu entender, é GENTE, ou seja, um ser humano com qualidades, falhas, contradições (!), mas sincero e bem intencionado, querendo acertar e se esforçando para isso.
É querer muito? Parece, pois não é o que vemos na rede pública. A má vontade e o queixume imperam. O pior é que o mau exemplo vem de cima! As diretorias de ensino e demais gabinetes educacionais estão repletos de burocratas incompetentes e arrogantes, colocados lá por indicação política, para deixar o barco correr...
É um prazer ter professores como você aqui no EducaFórum!