Cobranças para a SME

Desde a semana passada, deixamos diversos recados para a secretária do Secretário Alexandre Schneider, Cláudia Oliveira, e para o Chefe de Gabinete, Waldecir Pelissoni, para que comentem o inquérito instaurado na 69ª Delegacia de Polícia contra as mães da EMEF Imperatriz Dona Amélia, que denunciaram as graves irregularidades citadas no post Processe as Mães! http://educaforum.blogspot.com/2008/12/processe-as-mes.html. Aliás, o documento que encaminhamos ao próprio Secretário no dia 14 de dezembro não mereceu qualquer resposta. Leia o documento aqui http://educaforum.blogspot.com/2008/12/escola-pblica-deformando-cidados.html.

Essas mães receberam um telefonema da delegacia, que não as intimou por escrito, mas ameaçou que se não comparecessem no dia e hora estipulada uma radiopatrulha iria buscá-las em casa. Na delegacia, NÃO PUDERAM LER os documentos que as incriminavam, apenas uma escrivã LEU PARA ELAS alguns tópicos, de forma que elas não têm certeza alguma do real teor do inquérito.

Entendemos que a SME precisa apurar imediatamente o que está ocorrendo, pois, mesmo que tenha sido a diretora da escola, a supervisora ou a dirigente de ensino a denunciar as mães, a Secretaria é responsável pela forma antipedagógica e pelo abuso moral que seus funcionários praticam contra os cidadãos que pagam seus salários:
  • No ano passado, essas mães foram "trituradas" por uma comissão da SME que realizou uma apuração preliminar onde deveriam ter sido investigados crimes claramente registrados no Livro de Ocorrências da Escola.

  • No dia 09 de abril deste ano as mães foram novamente humilhadas e constrangidas durante reunião promovida pela SME na própria EMEF, com faixa que convidou toda a comunidade escolar a rejeitar sumariamente quaisquer denúncias feitas por elas, denúncias aliás que não foram sequer mencionadas durante a reunião! Veja a foto da faixa neste post e leia o relato da reunião aqui http://educaforum.blogspot.com/2008/04/armao-ilimitada.html. Estavam sentados à mesa da reunião, além de autoridades da Secretaria e da diretoria de ensino, diversos representantes de sindicatos e de vereadores.

  • A SME não comunicou às mães o resultado da apuração preliminar, até hoje desconhecido por elas.

  • A SME não deu explicação alguma à Rádio AM da Cidade, que solicitou esclarecimentos sobre as denúncias feitas pelas mães e sobre o inquérito instaurado contra elas.

A omissão da SME representa, para toda a comunidade, o aval ao mau comportamento de professores, diretores, supervisores e diretores de ensino que, além de promoverem ou permitirem os maiores abusos contra alunos, resolvem vingar-se dos denunciantes, na certeza da impunidade.

ESTE É O TRISTE FIM DA TENTATIVA DE ALGUMAS MÃES E ALUNOS VISITAREM O SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO, APÓS TEREM OUVIDO SEU PRONUNCIAMENTO EM UM PROGRAMA DE RÁDIO, DE QUE ESTAVA ABERTO AO DIÁLOGO COM A COMUNIDADE. NO DIA 08/10/07 ESSAS MÃES E ALUNOS FORAM ATENDIDOS POR UMA ASSESSORA EM UM SAGUÃO DA SME E, A PARTIR DESSA DATA, ELAS E SEUS FILHOS PASSARAM A SOFRER TODO TIPO DE PERSEGUIÇÃO, CULMINANDO NO ATUAL INQUÉRITO POLICIAL.

Entendeu agora por que os pais preferem se calar diante dos crimes da escola?...

Comentários

Anônimo disse…
Não entendi
Não pode denunciar a escola ?
Pensei que difamação era crime contra pessoa
Pensei que podia denunciar escola corrupta e violenta
Quer dizer que sendo agente do poder públicco como é o caso de diretora e professora não pode denunciar?
Ué...pensei que a Ditadura tinha acabado...
Só observando disse…
Mães,

Levem tudo até o final, faça a SME provar onde as denúncias de vcs foram caluniosas, pois, pra processar vcs, eles terão que PROVAR que vcs mentiram, certo!?
Aí, todo o material (livros, atas, testemunhas, inclusive alunos com idade acima de 11/12 poderão ser ouvidos)que está dentro da escola terá que ficar a disposição da justiça....Vão em frente!!!
Vcs perderam a batalha, mas a guerra está apenas começando.

Força meninas!
Parabéns!
Professor(a) disse…
CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

Sônia, o vídeo é verdadeiro, cabe à todos nós zelar por nossas crianças. Devemos cobrar das autoridades que a constituição seja cumprida.
Professor(a) disse…
ARTIGO 227 da CONSTITUIÇÃO FEDERAL


http://www.youtube.com/watch?v=nQwWESN7JGg
SSP disse…
Ora minhas Senhoras, procedimento normal e de rotina as equipes da Polícia Civil entregar intimações e/ou notificações.
Não é nenhum absurdo tal procedimento.
Se a equipe já possui endereço e telefone de quem precisa prestar esclarecimentos, nenhum absurdo em fazer o contato por telefone, até mesmo para agilizar o trabalho. Porém, havendo recusa, o procedimento é a equipe comparacer no endereço da pessoa para entregar a intimação e/ou notificação, com dia e hora para comparacer no Distrito Policial.
SSP disse…
Ora minhas Senhoras, procedimento normal e de rotina as equipes da Polícia Civil entregar intimações e/ou notificações.
Não é nenhum absurdo tal procedimento.
Se a equipe já possui endereço e telefone de quem precisa prestar esclarecimentos, nenhum absurdo em fazer o contato por telefone, até mesmo para agilizar o trabalho. Porém, havendo recusa, o procedimento é a equipe comparacer no endereço da pessoa para entregar a intimação e/ou notificação, com dia e hora para comparacer no Distrito Policial.
Giulia disse…
E é normal, também, impedir ao intimado a leitura do inquérito???
Contribuinte disse…
Vixi!!!

Acho que a SSP ficou sem resposta.
SSP disse…
Ora, se o escrivão fez a leitura das denúncias.... ninguem foi impedido, todos ficaram sabendo o motivo pelo qual foram convocados à comparecer no DP.
Contribuinte disse…
O escrivão leu TUDO??????????????
Contribuinte disse…
O escrivão leu TUDO??????????????
Anônimo disse…
Por que as mães intimadas não foram conversar com o Delegado de Polícia então?
Se elas foram impedidas, deveriam ter conversado com a autoridade policial, que é a responsável pelo Inquérito.
Deveriam ter falado que não tiveram acesso ao Inquérito, etc.. etc..