A escola que deseduca II - Livradas e reguadas em alunos


O vídeo contido na reportagem publicada pela Record em novembro do ano passado (leia e veja clicando neste link) é um claro exemplo da escola que deseduca e da mídia que não dá a mínima. A reportagem só teve um tom mais sério porque as câmeras de segurança da escola gravaram as imagens da professora dando "livradas" e jogando uma aluna no chão. Outra mãe já havia registrado BO contra a mesma professora, mas sabemos que o caso só veio a público porque havia um registro visual, que porém não foi mostrado na reportagem! O assunto não teve a mínima repercussão na mídia, morreu e nem pensar de alguém retomá-lo para saber se a professora foi punida.

nessa outra reportagem, que se refere à agressão brutal de um aluno por uma professora nos EUA, gravada por um colega no celular, o apresentador brasileiro não perde a oportunidade para falar que vida de professor não é fácil, que ganha pouco, que precisaria ganhar mais... Está muito certo o amigo Mauro, do COEP, ao reclamar que esse jornalista não chama a professora de bandida nem "di maior”, como costuma fazer em caso de crianças ou adolescentes que praticam agressão dentro da escola.

O vídeo abaixo, sobre a agressão sofrida por uma criança de seis anos numa escola em Vera Cruz, interior de São Paulo, mostra a covardia não apenas da professora, mas da direção da escola, da secretaria da educação e até da reportagem do G1, pois nem mesmo o nome da escola foi mencionado. Assunto tabu, já que não havia registro visual do fato: foi a palavra do aluno contra a da professora, que irá receber uma "advertência", CASO a agressão for comprovada... Que não se espere da Globo qualquer investigação a respeito de agressões de alunos por profissionais da "educação"!

Repetimos que esta nova série A escola que deseduca foi criada em contraponto ao preconceito arraigado na classe média brasileira, de que aluno da rede pública é um trombadinha em potencial que vem deseducado de casa e vive agredindo a "pobre" classe docente indefesa. Não estamos aqui declarando que todo professor agride aluno, mas não podemos tolerar que a imagem da nossa infância e juventude continue sendo manchada por esse preconceito, largamente difundido pelos sindicatos da "educação", que recebem todo o apoio da mídia quendo um aluno torce um cabelo a um professor. Vimos aqui que o apoio é nulo quando ocorre o contrário. Diga-se de passagem que a proibição do uso de celular dentro das escolas brasileiras foi legalizada atendendo a um pedido dos sindicatos da classe, amplamente aplaudido por toda a mídia. Vendo o vídeo sobre o espancamento do aluno americano pela professora, filmado por um colega, entende-se direitinho os motivos que "justificam" a proibição do uso do celular nas escolas brasileiras...

Comentários

Giulia, o caso da professora do Texas é mais grava. As agressões ocorreram no dia 5 de maio. A mãe reclamou para a direção e a escola teria apenas afastado a professora da sala de aula. Somente após o vídeo ser divulgado na FOX NEWS (11/05) é que a professora fora demitida.
Giulia disse…
Mas pelo menos o vídeo foi divulgado. Como fica o vídeo das "livradas", que não foi exibido?... E os 40 alunos que o secretário da educaçaõ de Barueri expulsou e mandou estudar nos quintos dos infernos? Ninguém filmou a cena, é a palavra deles contra a da "otoridade". E o menino de 6 anos que levou a reguada e foi acusado de mentir ao culpar a professora? Câmeras de vídeo já em todas as salas de aula brasileiras!
Anônimo disse…
Mas porque não postam de uma vez por todoas algum vídeo de professor da rede pública estadual de São Paulo fazendo a mesma coisa? Já que vivem afirmando que a violência contra o aluno ocorre diariamente aqui no Estado?
Giulia disse…
Pois é, anônimo, justamente porque o celular foi proibido nas escolas...
Anônimo disse…
Que fofo! Vou fazer isto com os meus monstrinhos... digo aluninhos kkkkkkkkk
Minha irma mais velha quando estava no ginasio teve uma professora que usava regua para agredi-la, puxava seu cabelo e fazia comentarios derrogatorios. Minha irma era uma menina muito timida, estudiosa,responsavel que nunca fez nada para merecer as agressoes. Ela ficou com tanto medo da professora que minha mae so ficou sabendo o que acontecia na escola quando um colega de classe da minha irma explicou o que estava acontecendo. Minha mae comunicou o fato a diretora da escola que nao demitiou a professora mas deu uma bela advertencia. Nunca mais aconteceu. Por conta da atitude cruel da professora, a auto-estima da minha irma ficou muito comprometida. Perdeu a auto-confianca por muito tempo.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola