Mídia nota zero - a série XIII - Assunto tabu


A omissão da grande mídia com respeito ao milionário desvio de verbas da educação em Araraquara, amplamente documentado no "Podrão", inquérito com mais de 20 volumes de notas fiscais frias que se encontra no 2º DP da cidade, priva a população brasileira do direito a informações muito mais úteis do que os corriqueiros "escândalos" que envolvem celebridades.

A corrupção está também comprovada pela recente e inesperada demissão a bem do serviço público de uma das figuras mais emblemática desse esquema, o "Wally de Araraquara".

A divulgação desse esquema aqui no blog tem provocado opiniões interessantes de nossos leitores e seguidores. Devido à falta de espaço, vamos copiar apenas trechos de algumas delas, que nos deixam felizes por perceber que existe vida inteligente na net! Agradecemos a todos os leitores que costumam contribuir com seus comentários e pedimos que continuem a dar suas opiniões, pois como sempre dizemos, Araraquara é apenas "a ponta do iceberg". Qualquer hora o Brasil vai perceber que o maior problema da educação não é a qualidade do ensino, mas a corrupção e a falta de respeito para com o aluno.

Dan disse:
Isso é coisa bem velha, trabalhei como professor em Escolas Publicas desde 1978 até 1994, já acontecia, quantas diretoras enriqueceram, oh cala-te boca. A grande pergunta é: Para que serve a Educação? E a grande resposta é: Para perpetuar os donos do poder. Por isso se desvia os processos.
Leonardo disse:
Já sugeri ao Ministro da Justiça que se construa presídios de segurança máxima para políticos corruptos, diretores de escola e supervisores de ensino devido roubarem a esperança das pessoas, o leite das crianças, os livros, o dinheiro dos remédios, a aposentadoria de quem percebe 1 SM, muitos fundam verdadeiras capitanias hereditárias. Justiça rápida e eficaz, colocando-os na Prisão Politica , colocar os bens a leilão, há que doer no bolso dessa corja, só preto e pobre vai p/ cadeia no Brasil, por que???? JUSTIÇA JÁ!!!
Adriano disse:
Estamos vendo que o judiciário não é uma maravilha. Ao contrário, tem corrupção, mordomias e protecionismos.
Edivan disse:
Vamos fazer algo, o Brasil ainda dá! Vamos assistir menos televisão e pensar mais. Uma nova revolução? Aos poucos? Não sei como vai ser, mas boto fé. Parabéns pelo texto.
Gabriela disse:
Num sistema democrático como o nosso, mais gente tem oportunidade para agir corruptamente à custa do Estado porque há uma dispersão de competências e de meios, que facilitam esse tipo de atitude.
Magda disse:
Na teoria tudo funciona. Na pratica é um baita cabide de emprego e não funciona!
Judiciario: Lento. Legislativo: de cócoras, com interferências e sem representatividade. Executivo: Não governa -vide: segurança, saúde, educação, moradia, emprego, reforma agrária, estrutura de transportes, corrupção…
Yara disse:
A simples leitura dos autos contra estes diretores de escola de Araraquara demonstra por que a Secretaria da Educação de SP tem dificuldade para se livrar da corrupção. Acusados de desviar recursos das escolas, uso de notas fiscais frias para amortizar verbas em prestações de contas, balancetes, entre outras... A estratégias da defesa é responsabilizar as Associações de Pais e Mestres e o escritório de contabilidade, assim livram a cara da ex dirigente e a deles.
Livia disse:
É preciso modificar os procedimentos do processo e agilizar a Justiça, tanto no âmbito criminal quanto civil, para que a situação de impunidade faça parte do passado do País.
Fátima disse:
Para desatar o nó da impunidade, a melhoria da gestão tem de ser levada para dentro do Poder Judiciário.
Viviane disse:
Gente, isso é inacreditável, tenho que concordar com o chega abaixo. Este povo tem a memória curta, nao estão vendo que esses ladrões só querem terminar de afundar a educação em São Paulo?
Rita Maria:
Façam uma lavagem na diretoria de ensino de Araraquara! Está cheia de comparsas do deputado e da dirigente, todos blindados por uma imunidade parlamentar conferida a estes pelo curral eleitoral construido por eles próprios. Acorda, São Paulo e Araraquara! Caiam na real!
Karen disse:
Acredito que a era do coronelismo acabou. Alguns ainda ficarão com a marca do cabresto por muito tempo, porém terão que aprender a semear e a plantar seu próprio pasto, ou, então, aprender o caminho da dignidade, da honestidade e da honra. O povo deu seu grito de liberdade. A situação dos diretores de escola de Araraquara está com seus dias contados...
Margarida disse:
Com esta situação deve sair o resultado da demissão a bem do serviço público dos 22 diretores de escola processados. Não adianta esperar as eleições, o escândalo já está escancarado e o povo que ver a justiça.
Jéssica disse:
Esses diretores processados têm certeza da impunidade. A dirigente de ensino continua recebendo uma farta e gorda aposentadoria e os políticos cada vez mais milionários. E os conchavos? Vamos exigir que essa procuradora faça justiça em relação a esses 22 diretores de escola e resolvam punir a a dirigente aposentada e os supervisores de ensino deitados em berço esplêndido na diretoria de ensino de Araraquara.
Ademir disse:
O primeiro efeito da impunidade é a lassidão moral que se abate sobre a sociedade. Os brasileiros se acostumaram a associar corrupção ao desvio de verbas públicas. Mas ela é mais que isso. Vai do “presentinho” que a empresa oferece ao funcionário público até a compra de sentenças no Judiciário.
Jaime disse:
Quando vejo a situação da Diretoria de Ensino de Araraquara e até agora 22 diretores impunes e dentro da escola felizes da vida, sabe-se lá fazendo o que, confesso que às vezes penso em desistir! Ando cansado de ver tanta ignorância!
Flávia disse:
Investigar, identificar e prender suspeitos é, porém, apenas o primeiro elo da corrente de combate aos corruptos. Condená-los a penas severas na Justiça é o passo seguinte – e é nesse ponto que o Brasil, o Estado de São Paulo e a Secretaria da Educação têm falhado.
Maria Diva disse:
Coisa de louco! Só os pais de alunos são culpados dos desvios de verba da educação, será??????? Quanta coisa ruim num só lugar, cadê as mudanças? Só mudou de dirigente, o endereço continua o mesmo e ela tbém faz parte do abafa, 'cumpre ordens", pois a incompetencia é muito superior ao passado.
Vergílio disse:
O povo soube e pôde dar o grito de liberdade, a panela furou, a mafia vai sumir, será que agora a Secretaria da Educação vai levar as vassouras e os rodos para sua casa? Aqui se faz, aqui se paga. Nunca pise nos outros pensando que o seu dia não virá.
Vanessa disse:
FIQUEM DE OLHO NOS RESULTADOS DOS PROCESSOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO. NÓS ESTAMOS DE OLHOS BEM ABERTOS, AGUARDANDO O RESULTADO DOS PROCESSOS ADMINISTRATIVOS DISCIPLINARES DOS 22 DIRETORES DE ESCOLA PROCESSADOS NA 1ª UNIDADE PROCESSANTE - Dra. Helena Omena Lopes de Farias Zuffo – Procuradora do Estado. Coordenadoria de Procedimentos Disciplinares da Procuradoria DA DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA.
Gustavo disse:
É PRECISO MUDAR ESSA CONCEPÇÃO DE APOIAR CORRUPTOS. É PRECISO TER CIÊNCIA QUE SÃO ELES QUE DESTROEM TUDO DE BOM QUE TEMOS COMO EDUCADORES E SERVIDORES PÚBLICOS. É PRECISO ACABAR COM A CORRUPÇÃO.
Celina disse:
CORRUPÇÃO, UMA DOENÇA QUE PRECISA SER VENCIDA NA DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA. COM POLITICOS, GOVERNANTES, JUSTIÇA, PROCURADORES DE ESTADO QUE ESTÃO LÁ PARA JULGAR E NÃO PARA PROTEGER CRIMINOSOS QUE DESVIAM VERBAS DA EDUCAÇÃO.
Marilene disse:
PARABÉNS POVO! FIQUEM DE OLHO NOS PRÓXIMOS PROCESSOS, TODOS DEVERÃO SER DEMITIDOS A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO.

Comentários

No dia 31 de agosto de 2010, o Diário Oficial do Estado publicou a “demissão a bem do serviço público” do diretor de escola Valmir Rodrigues (Processo 1981/000/04 - 02 Volumes). Mas não explica o que motivou tal demissão... teria algo a ver com sua passagem por Araraquara? Por que a imprensa não investiga o caso?
E os sindicatos? Cadê o sindicato dos diretores? Vão fazer manifestação em solidariedade ao diretor “demitido a bem do serviço público”?
E o sindicato dos professores? O sindicato não sabia das fraudes nas 20 escolas públicas estaduais de Araraquara? Há denúncias de que professores assinavam o ponto e davam no pé (leia aqui).
Giulia disse…
Nessas horas os sindicatos ficam bem quietinhos, rsrs! Mas tem alguém que vai nos contar essa história direitinho, adivinhou quem?...
Judite disse…
Aplicando, em face dos elementos que instruem o processo,
em especial o Relatório nº 037/10, da 6ª Unidade da
Coordenadoria de Procedimentos Disciplinares (fls.633/696) e
o Parecer da Consultoria Jurídica nº 1758/10 (fls. 700/709), com
fundamento no artigo 251, inciso V c.c.os artigos 252 e 257,
inciso IV, todos da Lei 10.261/68, a pena de demissão a bem do
serviço público, ao servidor VALMIR RODRIGUES, RG 18.291.452,
Diretor de Escola, classificado na EE “Professor João Silva”,
localizada no Município de São Paulo, circunscrita à Diretoria
de Ensino Região Sul 2, subordinada à Coordenadoria de Ensino
da Região Metropolitana da Grande São Paulo (COGSP), por
restarem comprovados os ilícitos administrativos imputados ao
interessado na Portaria de Enquadramento Inicial nº 054/05 – 2ª
U.P. (fls. 288/294). (Processo 1981/000/04 (02 Volumes)).
(Intime-se o Dr. Luso Arnaldo Pedreira Simões, OAB/SP
12.365, bem como o Dr. Varnei Castro Simões, OAB/SP 117.411).
Judite Bernardes Veloso
Amália Ventura disse…
Giulia, o ex Diretor de Escola Valmir Rodrigues foi demitido a bem do serviço público com base em alguns artigos da Lei 10261/68 - Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo.
Artigo 257 - Será aplicada a pena de demissão a bem do serviço público ao funcionário que:

I - for convencido de incontinência pública e escandalosa e de vício de jogos proibidos;

II - praticar ato definido como crime contra a administração pública, a fé pública e a Fazenda Estadual, ou previsto nas leis relativas à segurança e à defesa nacional; (NR);

- Redação dada pelo artigo 1°, II da Lei Complementar n° 942, de 06/06/2003.

III - revelar segredos de que tenha conhecimento em razão do cargo, desde que o faça dolosamente e com prejuízo para o Estado ou particulares;

IV - praticar insubordinação grave;

V - praticar, em serviço, ofensas físicas contra funcionários ou particulares, salvo se em legítima defesa;

VI - lesar o patrimônio ou os cofres públicos;

VII - receber ou solicitar propinas, comissões, presentes ou vantagens de qualquer espécie, diretamente ou por intermédio de outrem, ainda que fora de suas funções mas em razão delas;

VIII - pedir, por empréstimo, dinheiro ou quaisquer valores a pessoas que tratem de interesses ou o tenham na repartição, ou estejam sujeitos à sua fiscalização;

IX - exercer advocacia administrativa; e

X - apresentar com dolo declaração falsa em matéria de salário -família, sem prejuízo da responsabilidade civil e de procedimento criminal, que no caso couber.

XI - praticar ato definido como crime hediondo, tortura, tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins e terrorismo; (NR)

XII - praticar ato definido como crime contra o Sistema Financeiro, ou de lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores; (NR)

XIII - praticar ato definido em lei como de improbidade.(NR)

- Incisos XI, XII e XIII acrescentados pelo artigo 2°, II da Lei Complementar n° 942, de 06/06/2003.

Artigo 258 - O ato que demitir o funcionário mencionará sempre a disposição legal em que se fundamenta.

Amália Ferrari Ventura
Pais Online disse…
Aparentemente, o diretor foi demitido por "praticar insubordinação grave" que é o que diz o art. 257, inciso IV. Também, foi apenas "demitido a bem do serviçõ público" e não sofreu nem "cassação de aposentadoria ou disponibilidade", mas continuamos sem saber se tudo isso é relacionado com o esquema de Araraquara ou algum fato occorrido na escola de Sampa.
Anônimo disse…
pessoal não sejamos muito otimistas
pois esta pena aind a pode ser revertida para pena de suspensão por 90 dias

as penas podem ser recursadas
e isso ainda pode ser revertido
Anônimo disse…
gente

na EE Professor Leopoldo Santa diretoria sul 2 acontece a seguinte questão:

a diretora foi afastada por 90 dias a diretora e os dois coordenadores
inclusive um deles (emerson) é candidato a deputado estadual pelo partido verde
ele fez campanha até no provão que o s alunos fazem
ele vai sempre na escola para pedir votos
o vice diretor (flavio) é dono da empresa que confecciona uniforme para a escola
os alunos sao obrigados a usar uniforme se não usam são impedidos de assistir aulas

professor que organiza formaturas (é dono da empresa que faz formaturas) e arregada cerca de 45 mil e para onde vai o dinheiro

precisamos investigar
Daniela Lima Caldas disse…
Será que não trocaram a ordem de VI - lesar o patrimônio ou os cofres públicos; para IV - praticar insubordinação grave;É provavel que tenham se confundido porque o uso de notas fiscais frias em prestações de contas (firmas fantasmas), pode ser considerado como lesão ao cofres públicos.
Mas Giulia como o ex diretor de escola é vaidoso, deslumbrado e muito abusado e mais..., tinha certeza da impunidade deve ter abusado demais e não ter dividido "supostamente", o bolo direitinho com os seus superiores.
Ah, ah, ah,...,duvido que seja revertida para suspensão de 90 dias e se reverter a do Valmir terão que reverter a da ex dirigente para demissão a bem do serviço público.
Abraços;
Daniela
danilimacaldas@gmail.com
Ermelinda disse…
Giulia, DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA - SP
Qual escola terceiriza a organização de seus arquivos??? Para quem uma escola pagaria comissões??? Além disso, algumas notas vinham de lojas de “rações para animais”. Como assim?!

Para encurtar, veja a imagem de uma série de notas fiscais “frias”, todas de um único talão da empresa Rodrigo Fernando Magrini. O proprietário da mesma declarou à Folha Ribeirão, em 09/12/05, que sua prestadora de serviços havia sido fechada em 2003, que ele havia mudado de ramo de atividades e que as notas apresentadas pelas escolas seriam de um antigo talão, que não havia sido destruído. “Eu nunca emiti nenhuma nota desse talão e nunca prestei nenhum serviço em escolas. Fiz boletim de ocorrência do extravio desse talão e minha conta bancária está à disposição de todos”, afirmou Magrini.

Sr. Secretário Paulo Renato, seria possível saber como as Comissões Processantes da Secretaria trataram o caso das notas fiscais desse talão?

Perceba que cada uma das notas fiscais é destinada à APM de uma escola diferente, mas todas foram emitidas em dezembro de 2004 e se referem ao pagamento de “comissões”. Que comissões seriam essas, Secretário? (Janaina Cristina Xavier de Barros)
Ermelinda Pacini Esteves
extraido do blog do Glauco Cortez
e-mail: ermepaciniesteves@hotmail.com
Ana Claudia disse…
Giulia, Durante 10 anos uma dirigente regional de ensino de Araraquara e Região fraudou os cofres públicos através de uma lei imposta por ela que todos os diretores de escola deveriam “comprar ” notas fiscais frias e empenhar em prestações de contas que eram repassadas as escolas e todos os diretores que por lá passaram repassavam em dinheiro uma certa quantia acertada dentro de seu gabinete, tudo isso acontecia com conhecimento e apoio dos supervisores de ensino, que a cada diretor que ousasse descumprir a ordem era punido com processos administrativos pela dirigente e pelos supervisores de ensino.
Muitos se enriqueceram com essa corrupção, alguns estão processados, mas a grande maioria de diretores de escola está dentro das escolas estaduais trabalhando normalmente como senão tivesse participado do esquema fraudulento.
E nenhum Supervisor de Ensino foi processado pela Secretaria da Educação, nossa indignação é enorme diante desse descaso e desrespeito com o bem publico.
Quem foi de fato lesado? O aluno que perdeu com essa imoralidade. O Processo Administrativo dessa dirigente está lá na 3ª Unidade Processante PAD – 95/06 e ainda ela garante que tem apoio de políticos “fortes”, influentes que vão conseguir sua absolvição.
Como vamos nos calar diante desse cenário de horrores, milhões dos cofres públicos foram desviados, pessoas envolvidas sem punição, o grito de justiça será mais forte?
Quem nos ouvirá?
Senhor governador José Serra, Senhora Secretaria da Educação vamos fazer direito que todos os envolvidos sejam punidos e os cofres públicos ressarcidos.
e conseguiu... apenas uma pena de 90 dias... que deixou de ser aplicada porque ela já tinha se aposentado.
Ana Claudia de Camargo
e-mail: anaclaudiacamargo@gmmail.com
Ana Claudia de Camargo disse…
E a ex dirigente de Araraquara conseguiu o que propagou na internet que sairia "LIVRE".
FOI PUNIDA?
NÃO.
A PENA DE SUSPENSÃO POR 90 DIAS NÃO APLICADA PORQUE ELA JÁ HAVIA SE APOSENTADO.
CHEGA DE CORRUPÇÃO E IMPUNIDADE NESTA DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA.
ESPERAMOS QUE TODOS OS DIRETORES SEJAM DEMITIDOS A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO.

Ana Claudia de Camargo
Nassif disse…
Giulia a mídia de Araraquara é comprada vc tem dúvida?
4 de setembro de 2010 às 23:44
NaMaria News: O toma-lá-dá-cá da Educação de SP, a imprensa e Aloysio
sábado, 4 de setembro de 2010

do blog NaMaria News
No dia 16 de julho de 2010, o Secretário de Educação de São Paulo, Sr. Paulo Renato Costa Souza, mandou a FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação) assinar o seguinte negócio (publicado em 21/julho no DO):Contrato: 15/00062/10/04
- Empresa: Empresa de Publicidade Rio Preto Ltda.
- Objeto: Aquisição pela FDE de 200 assinaturas anuais do Jornal “Diário da Região” destinados às escolas da Rede de Ensino da Região de São José do Rio Preto, do Estado de São Paulo – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 65.160,00

No mesmo jornal Diário da Região, em 25 de agosto passado, aparece a matéria Aloysio e o desafio de se tornar conhecido, cuja imagem grandiosa – pedindo votos ao seu genuíno latifundiário filho da terra – pode ser vista abaixo:



Para ler tudo na íntegra e conhecer melhor o candidato ao Senado Aloysio Nunes Ferreira Filho (como pede José Serra), recorra à página 6A (e/ou a estes links também caso queira confirmar a façanha). Por outro lado, lamentamos não saber informar se tal “santinho” do candidato está nos conformes da legalidade eleitoral.

Para o bom entendedor, uma assinatura basta

Há que ser justo neste vale de lágrimas. Há que se publicar as outras compras de mesma natureza feitas até o momento, pelo Secretário Paulo Renato de Souza, que servirão como incremento pedagógico nas escolas paulistas. Todas sem necessidade de licitação, é óbvio. Sempre visando facilitar a sua vida, ao final a soma dos valores parciais das aventuras. Vamos lá.

•22/junho/2010
Contrato: 15/00060/10/04
- Empresa: VS Publicidade Ltda.
- Objeto: Aquisição pela FDE de 196 (cento e noventa e seis) Assinaturas do Jornal “Diário da Região” de Osasco, destinado às escolas da Rede de Ensino da Região de Osasco do Estado de São Paulo.
-Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 49.000,00
-Data de Assinatura: 01-06-2010

Contrato: 15/00068/10/04
- Empresa: Empresa Jornalística Tribuna Araraquara Ltda.
- Objeto: Aquisição pela FDE de 50 (cinquenta) Assinaturas do Jornal “Tribuna Impressa” de Araraquara, destinado às escolas da Rede de Ensino da Região de Araraquara do Estado de São Paulo.
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 16.140,00
- Data de Assinatura: 10-06-2010.
Nassif Damus Sotrati
nassifsotrati@hotmail.com
Giulia disse…
Monica Lais Gomes, não pudemos publicar seus 3 comentários porque ficaram truncados. Você pode copiar e colar aqui no blog um único comentário, não há limite de tamanho. Obrigada!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola