De tanto ver triunfar as nulidades...


Este blog não pretende ser, mas acabou se tornando um registro dos vícios, das falhas e da corrupção no sistema educacional brasileiro. Fazer o quê?... Nunca foi esse o nosso objetivo, desde que começamos a lutar pela qualidade e moralização do ensino público, há mais de vinte anos! Adoraríamos poder mostrar inúmeras vitórias e um quadro geral satisfatório, mas a verdade é bem outra, e o que trazemos neste blog não aparece em nenhuma mídia convencional. Então, pense duas vezes antes de ler, caso você queira continuar na sua zona de conforto!

A única coisa que pode mudar o cenário educacional no país se resume numa palavrinha: coragem. Coragem por parte da comunidade, gritando sua insatisfação e indignação a plenos pulmões. Coragem por parte dos bons profissionais, em enfrentar o sistema viciado e os colegas da banda podre.

Se a coragem é um artigo tão raro na vida educacional brasileira, existem bons motivos para explicar esse fenômeno. Vamos hoje ilustrar um caso típico, com muitos detalhes, como é necessário para se fazer uma análise profunda de qualquer situação.

A EE Lucas Roschel Rasquinho, em Parelheiros, São Paulo, é uma escola que ocupa este espaço desde maio de 2008, quando um grupo de pais corajosos resolveram enfrentar uma direção corrupta e autoritária e pediram a nossa ajuda. Estivemos várias vezes no local, que se encontra na extrema periferia da Capital. Foi muito, muito difícil conseguir o afastamento da antiga direção, mas o ano de 2009 iniciou de forma positiva na EE Lucas, com uma nova diretora que teve a coragem de lutar contra o sistema e iniciar a recuperação da escola. Leia nosso post Finalmente, uma verdadeira diretora!, de 01/03/09.

Em agosto de 2009 as notícias eram as melhores possíveis: a comunidade nos informava que, em tão pouco tempo, a nova diretora já havia conseguido moralizar a escola: teve a coragem de cobrar trabalho de qualidade e seriedade dos professores, acostumados a chegar no horário que quisessem, a faltar a bel prazer, a xingar os alunos de tudo que era nome, como pudemos inclusive presenciar numa das reuniões de 2008, quando uma professora chamou os alunos repetidamente de "pentelhos" na nossa frente e foi ovacionada pelos colegas da banda podre. Tentemos imaginar, então, como ela os chamava entre quatro paredes...

Leia nosso post Lucas Roschel Rasquinho, quem te viu, quem te vê!, de 08/08/09, que mostra os progressos da escola e a coragem da nova diretora. Em pouco tempo, ela tirou a escola das mãos da corporação e a entregou aos alunos, acabando com a cobrança de taxas ilegais e de uniforme, fornecendo material o ano inteiro e fazendo a festa de formatura de graça, montando uma linda sala de vídeo para os alunos, criando com eles uma rádio comunitária, cuidando da manutenção do prédio, arrumando e expondo publicamente as contas da APM, afastando da escola a PM, que era chamada constantemente pela antiga diretora para punir alunos e ameaçar os pais que tinham a coragem de denunciar seus abusos.

Se você tiver lido com atenção o nosso post de 08/08/09, você deve ter reparado no último parágrafo da mensagem que recebemos dos pais de alunos: "Por esses motivos os professores e a paneloca da Sul 3 estão querendo expulsar a diretora da escola".

Pedimos então à comunidade que nos informasse sobre qualquer tentativa de boicote ao trabalho da nova direção. Foi em 2010 que a paz da EE Lucas acabou e isso tem tudo a ver com uma atitude corajosa da nova diretora: preocupada com a greve inconstitucional que a APEOESP organizou na rede, preocupada com os alunos de sua escola, que seriam prejudicados durante a greve, ela marcou falta para os professores que não compareceram às aulas. Essa atitude absolutamente inédita em todo o território nacional, onde o professor já tem direito a N faltas por ano e o aluno amarga de 25 a 40% de AULAS VAGAS, valeu à nova diretora da EE Lucas a ira do sindicato e dos professores da banda podre, que pediram seu afastamento. Já que nada justificaria a demissão da única diretora que havia conseguido recuperar a escola após décadas de decadência, os professores da banda podre aproveitaram as férias dela para espalhar na comunidade e na Secretaria da Educação calúnias sobre a diretora, que não estava presente para se defender. Vendo que as calúnias não seriam suficientes para afastá-la da escola, a banda podre resolveu fazer ameaças à integridade física da profissional, que foi aconselhada pela diretoria de ensino a tomar uma licença-prêmio "até a poeira assentar".

Ficamos sabendo da gravidade da situação em agosto, quando fomos informados pela comunidade de que a escola estava "ao deus dará", que a banda podre havia tomado conta de tudo novamente, que quase não havia aula, que os professores ficavam jogando baralho durante o dia letivo... Pedimos uma nova reunião à COGSP, também para tratar de outros assuntos pendentes, e até hoje não fomos atendidos. Não temos dúvidas de que a APEOESP está por trás da tentativa de afastamento da nova diretora e que fará de tudo para impedir sua volta à escola.

Por esse motivo insistimos em pedir a já solicitada reunião à COGSP e fazemos questão que não seja na diretoria de ensino, na qual não confiamos de jeito algum: em primeiro lugar, o dirigente já tentou nos desqualificar em 2008, quando se referiu ao EducaFórum como "três ou quatro pessoas" que pretendiam levar o tumulto para uma escola "tão boa e bem organizada"! Em segundo lugar, foi péssima a sugestão que ele deu à diretora, de que ficasse de licença-prêmio "até a poeira assentar". A poeira não assentou, muito ao contrário, a banda podre da escola e a APEOESP tiveram tempo de sobra para arquitetar o seu afastamento, através de ameaças e de uma manifestação que ocorreu no dia 20 de outubro em frente à escola, como você pode ler em nosso post Extra, extra! Escola faroeste em Parelheiros. Tivemos o cuidado de avisar por e-mail toda a mídia para não comparecer à manifestação e boicotar essa manobra sórdida do sindicato para afastar a única diretora que havia conseguido moralizar a escola. Ficamos muito satisfeitos ao receber alguns e-mails garantindo que nenhum jornalista daria cobertura da tal manifestação. Isto significa que até a mídia convencional está começando a ficar menos "na mão" dos sindicatos da "educação".

O resumo de toda essa história, para você que teve a coragem de ler até aqui, é que cobramos do coordenador da COGSP uma reunião para finalmente desmascarar a banda podre da EE Lucas e a APEOESP, a fim de que a diretora possa voltar de cabeça erguida. Queremos que a coragem da comunidade em denunciar tantos abusos seja finalmente premiada, pois hoje, como ontem, "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agitarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.

Rui Barbosa, 1914

Comentários

cremilda disse…
Belissimo texto.
Corajoso !!
Continuo estranhando o fato da reunião marcada para ser na escola onde a comunidade poderia se manifestar e dar opiniões e sugestoes ser transferida para dentro do gabinete da Diretoria Sul 3
Continuo achando estranho sermos avisados em cima da hora.
Giulia disse…
É que você não esteve na primeira reunião que tivemos lá em 2008: a antiga diretora (da banda podre) havia feito reuniões com os professores e a comunidade durante toda uma semana, para quando chegarmos encontrarmos um ambiente hostil. Pode crer que desta vez a banda podre faria ainda melhor,já que a APEOESP está apoiando essa corja, eles não nos deixariam nem falar! A reunião na diretoria de ensino seria ainda pior, aquilo é reduto do professorado e nada me tira da cabeça que o dirigente tenha sugerido mandar a diretora em licença prêmio a mando da APEOESP. Pode ser que eu esteja errada, mas fazer reunião na diretoria de ensino é um desgaste que não merecemos. Mas não vamos divulgar publicamente nossos passos, isso é dar munição ao inimigo... Te ligo para a gente conversar, ok?
Maria Elvira disse…
Eu gostaria de poder encontrar um blog como esse para acompanhar e cobrar mais qualidade na saúde. Perdi meu pai em fevereiro e por dois anos acompanhei o calvário dele pelos hospitais públicos (nenhum plano de saúde o queria, 78 anos e com 6 doenças pré-existentes). Nunca vi tanta indiferença e incompetência juntas. É muita pena mesmo não existir uma outra Giulia para a área da saúde.
Giulia disse…
Pois é, Maria Elvira, serviço público neste país... E pagando os impostos mais altos do mundo! Sinto muito pelo seu pai, também sofri com os meus, antes de partirem. Há dez anos a situação dos planos de saúde era ainda pior. Um abraço!
Victor Zazuela disse…
Maria Elvira, quase todo o setor público encontra-se caótico, sobretudo os estadual, especialmente no caso de São Paulo. Também tive graves problemas com saúde de minha querida mãe antes de perdê-la. Ela sofreu abusos na sala de cirurgia. Fiz denúncia aos órgaos superiores e não deu em nada.
Sinto...
cremilda disse…
Aleluia !!!
A OAB me mandou resposta.
Disse que posso mandar os projetos e as sugestões que vão serem avaliadas e se for o caso encampadas por eles.
Tão logo comece a formar os comitês, conto com você
No momento vamos focar nossas forças na revogação da Cartilha dos Corvos, vulto Normas e Condutas Escolares.
Pedir uma Ouvidoria do Aluno com uma via rápida e a revogação da lei complementar 1.093/2009
"é nóis na fita, mana, rs.rs."
Giulia disse…
Mas os projetos e sugestões não deveriam ser dados em reunião?...Qual o formato da nova comissão? Dessa forma me parece pouco democrático, rs.
cremilda disse…
Sim, os projetos a gente elabora.
Vou mostrar para você e para o Tertuliano na quinta feira.
Você lê, discute e faz o adendo que achar necessário.
Por enquanto somos em 6 e os seis podem avaliar e assinar, ou modificar.
Discutido em conjunto
Depois de pronto a gente apresenta para a OAB o que tem de pouco democrático nisso ???
Vc tem alguma dúvida que precisa revogar a Cartilha de Normas e Condutas Escolares ?
Tem alguma dúvida que a lei proibindo a obrigatoriedade de uso de uniforme tem que ser revista ?
Tem alguma dúvida que os Conselhos de Escola tem que respeitar a lei ?
No momento acho que a gente está afinado sim.
Pode ser que amanhã aparece uma questão polêmica a aí a gente vai nos votos.
Agora para mim está tudo certo..
Os comitês ainda não estão formados oficialmente divulgado em ata somos 4, vou indicar você a Caroline e o Mauro.
Você tem alguma dúvida mais ?
Giulia disse…
É que não estou entendendo os comitês: nós 4 seríamos um comitê? Vamos estar inseridos dentro de uma grupo maior?
cremilda disse…
Sim, vamos.
Os comitês tem independencia para ir formando com mais membros outros sub comitês.
Tem sala da OAB para as reuniões dos Comitês.
Reuniões Gerais serão poucas.
A OAB vai dar o suporte que for necessário juridicamente.
Vou levar os documentos para você ver na quinta. Deixo uma cópia para você e outra para o Mauro.
Achei bom, a gente elabora os planos e os projetos e a OAB encampa.
cremilda disse…
Pois é....
Nem esquentamos os tamborins ainda e já tem gente preocupada.
Imagina quando tivermos a todo vapor com nossa ala na avenida .
Que o negócio é apenas engrenar, depois anda que é uma beleza...

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola