Calúnia e difamação

Você, que leu o post anterior sobre a denúncia anônima acolhida pela Secretaria da Educação contra a diretora da EE Lucas Roschel Rasquinho e cuja apuração preliminar concluiu pela não procedência das graves calúnias, assista agora ao vídeo da manifestação organizada pela APEOESP no dia 20 de outubro passado, para a qual havia sido convocada toda a comunidade escolar, durante reuniões em que o nome da diretora foi difamado por mentiras. A pergunta que não quer calar: esses caluniadores vão ficar impunes???


Comentários

victorzazuela disse…
A educação pública estadual já virou manchete de páginas policiais. É muito crime, muita baderna generalizada. Ninguém (autoridades, professores, funcionários, supervisores, diretores, dirigentes etc, etc, com raríssimas exceções) está "nem aí" pra nada mais.
Anônimo disse…
a diretora ja era, vcs tão bravinhos pq? agora é enfiar o rabinho entre as pernas. apeoesp e a "banda podre" ganhou, quem não chora não mama. hahahaha
Giulia disse…
Pronto, postei esse "anônimo" (não costumo fazer isso, geralmente deleto) para mostrar o PADRÃO APEOESP de ignorância. Um primor!
cremilda disse…
Uma figura que se indentifica como rosa maria, diz no meu blog
a diretora já rodou....
E que a corja não percebeu ainda que o problema não é a diretora.
Que não estamos advogando a causa pessoal da diretora. Ela como uma pessoa proba e uma boa diretora vai ser dar bem em qualquer lugar que vá.
O que nos preocupa são os dois mil alunos que ficarão na mão desse pessoal amparado pela Apeoesp, acreditando e colocando todas as suas fichas na impunidade.
Se estivessemos defendendo a diretora, se fossemoa advogadas dela, mesmo assim, não diriamos que já está tudo terminado.
Quando nós denunciamos uma professora ou diretora, a vítima tem nome e endereço.
Podemos provar.
Gostariamos de ver as cinco professoras cujos nomes constam nas denúncias, provarem o que alegaram....
Anônimo disse…
Nós provamos facinho, fia, nós levamos o marido da professora. hahaha
cremilda disse…
Mas o marido da professora não serve para testemunha em instância séria.
Só foi possível na Cogesp...
Marido de professora faltosa, e que faz manifestaçao caluniosa na frente da escola não serve de testemunha.
Se ele testemunhar que viu tráfico de droga na escola, vai ter também que dizer porque nao denunciou no momento e para a policia.
Porque esperou para fazer a denúncia na Cogesp...
Giulia disse…
Ah, o marido da professora é um dos covardes que NÃO ASSINOU a denúncia anônima e na hora da investigação ficou com boca de siri, fia? rsrsrsrs
amanda silva disse…
Então, pensaram que era só colocar a diretora para correr e estava tudo certo ???
Se enganaram redondinho.
Na hora que o navio começar a afundar os ratos serão os primeiros a sair.
Agora um confia no outro,depois vai ser o salve-se quem puder...
O marido da professora não assinou a denuncia mas se estava na reunião e se apresentou como membro da comunidade o nome dele tem que constar na ata.
Ata serve para isso também
Giulia disse…
A ata daquela reunião na COGSP ficou UM LIXO!!! Eu não acreditei que me apresentaram aquilo para assinar! Parecia ter sido escrita por analfabeta funcional: assinei com ressalvas, anexei um enorme adendo e acho que o coordenador da COGSP deveria se envergonhar da forma como essa ata foi redigida. Afinal, não é ele o responsável? Aquilo não é a instância maior da rede, depois da própria Secretaria?
Amanda, o nome de todos estava na ata, só que havia inúmeras falhas do tipo: a fala de fulano foi atribuída a sicrano, a fala de beltrano foi distorcida etc. etc. Mas isso não é novidade alguma, esse filme já vimos muitas e muitas vezes nas reuniões de Conselho de Escola: se alguém começasse a ler e checar as informações, ficaria maluco, rsrs! Quantas vezes eu tive que fazer adendos nas atas das reuniões de Conselho das escolas dos meus filhos! E as secretárias ficavam bravinhas, porque queriam ir para casa e eu as segurava ali para corrigir ou completar as informações que elas haviam engolido ou distorcido. Uma incompetência só! Fazer o quê? As escolas são o espelho da incompetência da SEE...
Anônimo disse…
É triste saber que fatos isolados, causam grandes transtornos às nossas crianças. Na cidade de Rio Casca/MG, não é diferente. Pais matricularam seus filhos na escola Estadual Imaculada Conceição e após as crianças frequentarem aulas no dia 2,3 e 4 de fevereiro de 2011, a Superintendência Regional de Ensino impediu que os alunos frequentassem a escola. Várias mães levaram os filhos até o Forum da cidade e protocolaram uma denúncia junto ao Promotor de Justiça da Comarca. Até a presente data nenhum culpado pelos transtornos foram identificados pelo oferecimento irregular de matrícula. As crianças tiveram o psicológico abalado, choram constantemente. Será se a Justiça irá tomar alguma providência contra o caso. Algumas mães foram presionadas a levarem suas crianças para a rede municipal, porém muitas mães estão tristes, em virtude de seus filhos chorarem.
A reclamação de muitas mães é contra a Superintendência regional de ensino de Ponte Nova/MG, que quando tomou a decisão, não respeitou os Direitos Humanos, passeando de forma arbitrária no Estatuto da Criança e do adolescente. Peço a ajuda de todos e que divulguem esta informação, pois só assim alguém poderá fazer algo pelas 60 crianças que foram prejudicadas. Infelizmente,temo por represálias e gostaria de me identicar como todas as crianças que foram prejudicadas.

Abraços e que Deus levante pessoas para nos ajudar.

Ass. Todas as mães

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola