Pular para o conteúdo principal

A pequena vitória do "moicano"


Uma notícia boa que poderia ter sido melhor ainda: um aluno de Fortaleza ganhou na Justiça R$ 3.000 por ter sido impedido de entrar na escola, devido ao seu corte de cabelos estilo moicano. Em primeira instância, a pena estipulada foi de R$ 10.000, mas o juiz deve ter ficado com peninha da escola e resolveu baixar o valor para um terço. Pena!!!

Se você pensa que esse tipo de atitude das escolas ocorre somente em regiões supostamente atrasadas do país, está redondamente enganado! Advertências, suspensões e até expulsões por motivos tão fúteis quanto este, pipocam em todo o Brasil. Releia nosso texto Cabelo espetado? Colares, brincos? Expulsão neles!, que mostra a frequência desses casos e conta a saga de dois alunos que conseguimos "salvar" da expulsão aqui em São Paulo Capital, na EE Jardim Iguatemi. Isso só foi possível porque as mães não se conformaram e foram conosco até à Secretaria da Educação denunciar o fato. Sim, infelizmente é necessário denunciar porque, quando não há denúncia, as noticias das expulsões e de seus motivos fúteis não chegam às autoridades que poderiam frear o impulso incontrolável das escolas, principalmente as públicas, de se livrarem dos alunos.

Ainda assim, nem sempre fica claro para dirigentes de ensino e até secretários da educação, que as escolas não podem expulsar alunos, muito menos por motivo fútil. A Secretaria Estadual da Educação de São Paulo, por exemplo, entende que o Conselho de Escola é soberano para votar pela expulsão de alunos. Que se danem a Constituição e o ECA, chamado de ééééca nas escolas da rede!...

Por isso mesmo estamos comemorando essa pequena vitória do "moicano"! Bem que esse juiz de Fortaleza poderia ter mantido a pena de R$ 10.000; no entanto, o exemplo vale para todo o Brasil e principalmente para São Paulo, onde tivemos tanto trabalho para salvarmos dois "moicanos" da expulsão. O post indicado acima contém diversas dicas para os pais de alunos defenderem seus filhos dos preconceitos e da arrogância de escolas que não enxergam em seus alunos nada mais que a aparência. Pode-se imaginar o nível de ignorância de seus gestores!

A foto da presidenta Dilma com cabelo estilo moicano é do The i-Piauí Herald. Gostaram? Eu adorei!

Comentários

Anônimo disse…
Convenhamos, é um corte RIDÍCULO!!! KKKKKKKKKKK
Giulia disse…
Anônimo, como diziam nossos antepassados, "de gustibus", rrss. Mas quando estive na tal escola da qual haviam expulso os 2 alunos com cabelo moicano, a diretora parecia uma "árvore de natal", cheia de bijuterias de péssimo gosto, e ainda com uma flor postiça de uns 10 cm de diâmetro no cabelo. Merecia ser exonerada?
cremilda disse…
Giulia, matou a pau o anônimo...
Tem aqui na Vila Sonia um professor de matemática que era endeusado pela diretora. Ela dizia que ele era um gênio.Era uma maneira cruel de dizer aos alunos que não entendiam o que ele ensinava que os alunos é que eram burros.
Esse professor usa sempre um terno bege mesmo nos dias de maior calor.Anda a pé e de terno sujo e amassado.
Essa figura anda ainda engana na mesma escola ....
Sempre com barba por fazer e aspeto de sujo. Esse não deveria ser impedido de entrar na escola sem antes tomar um banho, colocar roupas limpas ?
cremilda disse…
Giulia
Dá uma olhda no Jornal Agora.
Perderam a vergonha de vez.
Interessante que não tem aquela jogação de confeti nos santos abnegados professores, mas conta os churrascos que os professores promoveram em duas escolas na sexta feira. Dia de aula, supostamente...

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…