Mídia nota zero - A série XXVI - Big brother na escola 2

O segundo "capítulo" do Big Brother na escola é ainda pior do que o primeiro, superou as expectativas. Ainda bem que o Mauro e a Cremilda me dispensaram dos comentários. Assista a seguir.






Por falar no Fantástico, em 2001 indiquei uma pessoa para uma matéria sobre dislexia, tendo sido aliás o primeiro programa a abordar o assunto na TV brasileira. 10 anos se passaram e o Brasil continua não entendendo bulhufas do assunto. A pessoa entrevistada, no ínterim, acabou tendo o mesmo problema com um dos filhos, que está sentindo na pele tudo o que a mãe passou, pois as escolas continuam sem qualquer preparo para lidar com as dificuldades de aprendizagem. Bom, essa mãe me pediu para recuperar a gravação, mas a empreitada está praticamente impossível: o Fantástico está blindado, de forma absolutamente FANTÁSTICA! Os telefones e e-mails que eu tinha na época, ainda registrados no meu outlook, ficaram todos inválidos, nenhum telefone da Globo permite um contato direto com a redação do programa e todos os e-mails padrão voltam com a seguinte resposta: "você deve adquirir a matéria entrando no site...". Mandei várias mensagens, e nada. Finalmente consegui falar com alguém por telefone, fiz um cadastro e concordei em pagar pela matéria, mas até hoje não houve retorno. É realmente fantástico!!! E não digam que não guardam os registros, pois já passaram na Globo tantas bobagens de 30 anos atrás! Ou então guardaram só mesmo as bobagens, aquele programa estava bem melhor que a média...

Comentários

movimentocoep disse…
Professora ou vendedora de perfumes? Programa Fantástico sem classe (TV Globo, 20-11-2011).

Por dever de ofício, resolvemos assistir ao quadro “Conselho de classe” (Fantástico, TV Globo, 20-11-2011).

O programa começa apresentando a professora “linha dura” com cara de sono, dizendo que muitas vezes não tem vontade de ir à escola...

Mas, inadvertidamente, os coreógrafos [não são jornalistas] do Fantástico cometem um ato falho: dizem que a professora “linha dura” recebe R$ 1.340,00 de salário... mas é por trabalhar tão somente 16h (dezesseis horas) por semana... e que faz “bico” como vendedora de perfumes...
Será que a professora-vendedora-de-prefumes trabalha com a empresa patrocinadora deste reality show?

Para uma mãe ou pai de família fica difícil entender como é que uma pessoa consegue um emprego onde trabalha apenas 16h por semana, pouco mais de 3h por dia, quando a maioria da população trabalha 44h (quarenta e quatro horas por semana (8h por dia e mais 4h aos sábados) para ganhar menos de R$ 1.090 (menos de 2 salários mínimos)...

Se a professora-vendedora-de-perfumes trabalha pouco mais de 3h na escola, significa que o seu cansaço deve estar relacionado a outras atividades...

Faltou os coreógrafos [não são jornalistas] do Fantástico informarem qual é a atividade principal da professora “linha dura”: vender aulas por 3h ou vender perfumes pelo resto do dia?

Talvez o Fantástico esteja passando a mensagem sublminar de que é mais negócio vender perfumes do que vender aulas...

Para não dizer que não falamos sobre a [falta de] pedagogia, identificamos o completo equívoco dos professores e da direção escolar no caso de um aluno com fortes indícios de hiperatividade. Além de não promoverem atividades diferenciadas, nem esporte e nem cultura, ainda levam o aluno a um tribunal de exceção no qual a diretora acusa o aluno da pratica de um crime (sic): copiar as respostas de um colega...

Vale destacar que a “sala especial” é também para recuperar os alunos que não foram ensinados pela professora “linha dura” de língua portuguesa, aquela que gasta mais tempo vendendo perfumes do que vendendo aulas.

Por ultimo, parece-nos que os parajornalistas do Fantástico estão sofrendo da síndrome de GLEE, uma série norte-americana onde os problemas de uma escola pública sempre são resolvidos com canto, música e dança...sugerimos ao Fantástico que contrate um coreógrafo de verdade, a exemplo do Carlinhos de Jesus, para “coreografar” as professorinhas-santa-abnegadas e seus funks, evitando os espetáculos deprimentes ao final de cada capítulo deste reality show.

P.S.: nossos pêsames ao Carlinhos de Jesus e familiares pela morte do seu filho Carlos Eduardo Mendes de Jesus no último sábado.

São Paulo, 20 de novembro de 2011.
Mauro Alves da Silva
Presidente do Grêmio SER Sudeste - Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor
http://gremiosudeste.wordpress.com/
Coordenador do Movimento COEP – Comunidade de Olho na Escola Pública.
http://movimentocoep.ning.com/

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola