A escola tabu nº 43 - Sexta mensagem da mãe do aluno expulso

Nova mensagem dessa mãe mostra mais mentiras da diretora da escola, que agora inventou o pretexto de mau comportamento do aluno, para justificar sua expulsão. A "cereja do bolo" foi a diretora mandar a mãe dar uma surra no filho. Pedimos ao professor João Palma que nos informe o nome da pessoa da Diretoria de Ensino que está cuidando do assunto, para que essa mãe entre em contato direto e finalmente possa resolver o problema.

Fui dia 15 na escola, falei com a diretora e ela me disse que eu devo ir dia 3 de janeiro procurar escola para ele, que se deixar para ela transferir ele vai para a pior escola, "João Climaco". Bom eu disse: vcs tem de me falar o motivo, sou mãe dele, preciso saber o que aconteceu, aí ela me disse que ele não deixa ninguem estudar, que ele atrapalha a classe inteira, que a escola fez de td. Aí eu disse: fez? e pq nao me chamaram? Ela disse:claro ki vc sabe, veio o ano inteiro aki. Aí eu falei: se eu vim o ano inteiro não era para ele estar com 400 faltas como mencionou, eu trouxe atestados, fiz de tudo e ainda alguns dias ele veio doente, como ele teria 400 faltas? E vcs não mandaram ao conselho tutelar! 

Bom, agora ela arrumou motivo para expulsar o meu filho! Em todos os momentos fiquei do lado dele, quando cheguei em casa eu conversei com ele, pois ele é humano e tem o direito de errar e aprender, que prevaleça aprender!! E o que ele me disse é que não quer mais ir em nenhuma escola. Depois de muita conversa decidimos que ele vai para outra escola, pois onde ele está não dá mais, eles vão mandá-lo para uma pior, sei ki eles fazem o que kerem, mandam e desmandam, não existe autoridade para tirar autoridade deles. Terei de levar ele na psicóloga, ele está abatido, já procurei Deus, agora tratar do psicológico dele, afinal de contas, ele foi muito magoado. Eles arrumam desculpas e mandam o problema para outra "equipe". Sei que meu filho é inteligente e vai vencer, e eles sabem tbm ke poderiam tentar recuperar a criança e não mandar ele para outro lugar. E agora o meu filho tornou-se o "menino problema" dentro da esscola. Cobrei tudo isso deles, falei pq não mandou ao conselho tutelar, pq nao me chamaram, pq nao mandaram encaminhamento para psicologa?? Em resposta a psicologa, ela me informou que as estagiários em psicologia não prestam, que eu devo pagar uma, e que uma boa surra iria resolver. Que a própria psicologa iria falar que eu teria que por limites, como se ela soubesse se ele tem ou não limites comigo, entende? Agora mandou eu dar uma surra no meu filho, como uma mãe vai pegar um filho de 13 anos para dar uma surra? Primeiro que eu acredito que devo conversar com ele e agir com amor, acredito que bater nao leva a nada, vai irritar mais ele. Cada dia que passa fico surpresa com a atitude de uma diretora mandando eu dar uma surra no meu filho. Com AMOR podemos vencer, em tudo em nossa vida, com a dor seria muito sofrimento. Imagino o que passaria na mente dele: "Fiquei doente, faltei, perdi o ano e apanhei!!!" Olha, amiga, lidar com a corja não é fácil não. Mas não vou morrer com culpa de não ter tentado. 

Vou te contar algo que aconteceu comigo. Quando eu era pequena, com 3 anos, eu tive bronquite asmática, anemia profunda, reumatismo no sangue, eu perdi 3 anos de crescimento, então com 6 anos de idade eu tinha tamanho de 3 anos, foi quando eu fui à 1ª serie de escola. Minha irmã que já estava na 3ª serie falava que tinha uma professora que colokava de castigo atraz da porta, ou no corredor, que tacava o apagador na cabeça, reguada e tal. Eu fiquei com medo, e falei aos meus pais: se eu cair com ela eu não vou na escola. Bom quando começou as aulas, advinha eu cai com ela, aí falei aos meus pais que eu tinha medo dela, que eu queria ir com outra professoara, que com ela eu não ia ir na escola, e eu ia para escola contando os passos, para que quando eu chegasse lá o portão estivesse fechado.... fiz isso a semana inteira... e ninguém me mudou de classe...aí meu pai disse: se amanhã vc voltar vc vai apanhar com este chinelo e me mostrou um chinelo de couro. Eu tinha mais medo da professora do que do meu pai...no dia seguinte eu fui contando os passos para que o portão estivesse fechado e voltei...cheguei em casa, meu pai me pegou, colokou de bruço na cama pelada, e me bateu, bateu tanto que meu bumbum fikou roxo, minha mãe saiu de casa para não ouvir meu choro...e depois de tudo isso eu falei pai...vc já me bateu, agora me muda de classe? pq com ela eu nao vou ir, eu tenho medo dela. E até hj eu lembro como se fosse hoje... aquele dia foi cruel, amo meu pai, mas ate hj tenhu trauma disso ke passei. Bom, amiga, não vou bater no meu filho, isso nunca, não kero q ele sinta o que eu senti.


Acompanhe o histórico deste caso clicando aqui.

Comentários

cremilda disse…
Então, esse caso era para fazer uma juntada e mandar para a Defensoria Pública. Para o Dr. Flavio Frasseto.
Também protocolar no Palácio do Governo
Tantas violências assim, o ministério público também tem que ser contatado.
Na minha opinião, só por email não basta...
Giulia disse…
Com certeza! Foi bom essa mãe documentar tudo com tantos detalhes. Agora a secretária do Prof. João Palma informou que ela deve falar diretamente com a dirigente de Sorocaba, Maria Vicentina, então vou passar essa informação para a mãe. Mas independentemente disso vou juntar tudo, sim, e mandar para o Dr. Flavio Frasseto.
cremilda disse…
Está acontecendo uma "briga" entre a defensoria pública e a OAB.
O Dr. Frasseto é da defensoria pública, e a gente precisa dos dois
Briga de cachorro grande, melhor a gente não passar nem perto.
Giulia disse…
Ommmmmmmmmmmmm, rsrs.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola