02 março 2012

Expulsão da escola: um crime "barato"?

Hoje, por míseros R$ 4.000, qualquer escola pode se livrar de um aluno indesejado. Trata-se de um crime "barato", mas é crime. Leia ao pé da página que a expulsão da escola representa abandono intelectual.

O fato aconteceu em Porto Alegre, em 2008. O colégio Kennedy de lá expulsou um aluno de OITO anos, faltando apenas um mês do final do ano letivo, e os pais não conseguiram matriculá-lo em outra escola. Resumo: o menino perdeu o ano, além de ficar com a pecha e o trauma de ser considerado aluno-problema, um demônio que merece ser expurgado daquele "paraíso" que é a escola.  Os pais processaram o colégio e só agora, três anos depois, o caso foi julgado e a escola "condenada" a esse valor ridículo. Leia toda a história clicando aqui.

A escola é a única empresa que expulsa seus clientes: todas as outras os agradam, bajulam e disputam com unhas e dentes. Hospital não expulsa paciente; hotel não expulsa hóspede; academia não expulsa cliente. Escola expulsa aluno a rodo, especialmente a pública. Infelizmente, porém, os pais de alunos da rede pública não costumam ter recursos para processar a escola, como fizeram os pais dessa criança de Porto Alegre.

Aqueles que optam por manter os filhos na rede particular estão pagando duas escolas: uma para seus próprios filhos e uma para os filhos dos outros, o que pesa sobremaneira no bolso. Mesmo assim, são raríssimos os casos em que a escola é processada e responsabilizada por seus crimes, o que permite a continuidade do status quo. A expulsão de alunos da escola particular não era comum até o final do século passado. O novo milênio começou com especial intolerância, principalmente devido às campanhas orquestradas pelos sindicatos da educação e encampadas pela mídia, responsabilizando o aluno pelo fracasso da escola e apresentando o professor como vítima do sistema. Os novos índices de avaliação das escolas, em vez de criar uma saudável concorrência e estimular a competência pedagógica, fomentaram a indústria da expulsão. Para melhorar seus índices e subir no ranking, as escolas têm expulsado cada vez mais alunos!

Do ponto de vista legal a expulsão é proibida, pois, de acordo com a Constituição Federal,

Art. 206 - O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.
Isto significa que TODOS têm o direito de permanecer na escola, pois, mesmo particular, é concessão do Estado e pode ser considerada um serviço público.

Por isso mesmo, EXPULSÃO é expressão proibida na rede de ensino. Nenhuma escola, seja pública ou particular, utiliza essa palavra em seus documentos ou reuniões, sob pena de vir a ser processada. Na rede pública, a expulsão é chamada de "transferência compulsória"; na particular, é um "convite" para retirar o aluno da escola. Isso, porque a palavra de ordem, hoje, é INCLUSÃO, rs... Trata-se da hipocrisia geral de um país que não ama suas crianças e adolescentes, nem entende que eles são o futuro da Nação.

Resumo da ópera: por míseros R$ 4.000, qualquer escola particular vai continuar expulsando alunos. Quanto à rede pública, leia clicando aqui qual é o estado brasileiro campeão em expulsão, o mesmo que aliás - PASME! - considera legítima essa prática ilegal, imoral e injusta. Isso, porque vivemos em um estado de direito, rs... (rindo para não chorar).

ESSA NOTÍCIA TEM UM LADO POSITIVO: ELA CONFIRMA QUE EXPULSAR ALUNO É CRIME, HAJA VISTA QUE A ESCOLA FOI CONDENADA. SE O JUIZ CHEGOU À CONCLUSÃO DE QUE O CRIME FOI "BARATO", AGORA É PROVAR QUE O PREJUÍZO FOI MUITO MAIOR, POIS O ALUNO SOFREU O TRAUMA DO ABANDONO INTELECTUAL. ALIÁS, NO BRASIL ENTENDE-SE QUE O ABANDONO INTELECTUAL SE DÁ QUANDO OS PAIS DEIXAM DE MATRICULAR OS FILHOS OU NÃO CUIDAM DE SUA FREQUÊNCIA ÀS AULAS, PORÉM MUITAS VEZES É A ESCOLA QUE ABANDONA O ALUNO, COMO ACONTECEU NESTE CASO. MAS O PREJUÍZO MAIOR É PARA O PAÍS, QUE CORRE O RISCO DE PERDER CÉREBROS QUE PODERIAM FAZER A DIFERENÇA NO DESENVOLVIMENTO DA NAÇÃO. MUITOS ALUNOS EXPULSOS ABANDONAM OS ESTUDOS OU ATÉ SE ENTREGAM À CRIMINALIDADE, QUE ESTÁ SEMPRE DE PORTAS ABERTAS PARA RECRUTAR OS REFUGOS DA ESCOLA. GERALMENTE, OS ALUNOS EXPULSOS SÃO OS MAIS INTELIGENTES, AQUELES QUE ENXERGAM OU QUESTIONAM O MARASMO EM QUE SE TORNOU NOSSA ESCOLA. CERTAMENTE, O PREJUÍZO MAIOR GERADO PELA EXPULSÃO DE ALUNOS É DA PRÓPRIA NAÇÃO, AO DEIXAR O FUTURO DO PAÍS NA MÃO DE PESSOAS INCOMPETENTES OU IRRESPONSÁVEIS COMO A DIREÇÃO DESSA ESCOLA E DE TODAS AS OUTRAS QUE DECIDEM SE LIVRAR DOS ALUNOS "INDESEJADOS".

12 comentários:

Glória Reis disse...

Giulia, esses dias li uma entrevista do Gabriel Chalita "incrível". Entre muitas pérolas, ele diz que um dos problemas da escola pública é não poder mandar aluno embora. Ele diz que na escola privada, se os pais nao participam, elas dispensam o aluno e que "Na escola pública a gente não pode fazer isso, não pode mandar o filho embora porque o pai e a mãe não estão indo à escola".
Imagina que loucura um pretendente a cargo público dizer uma coisa dessa. Está no http://www1.folha.uol.com.br/folha/treinamento/educacao/te2406200512.shtml

Giulia disse...

Querida Glória, essa entrevista é da época em que essa figura assombrosa era secretário da educação. Indescritível, o que ele aprontou naquela época: fecharam inúmeras escolas (nunca conseguimos saber o número ao certo, quem investigaria?) e iniciou a expulsão de alunos via Conselho de Escola de forma sistemática, o que antes era esporádico. Enfim, ele foi o criador do processo inquisitório. Tentamos uma reunião com ele, fomos em quase 20, inclusive um grupo de pais da baixada santista: ele agendou, nos deixou 2 horas esperando no saguão e no final mandou um assessor dizer que não nos atenderia, saindo pelos fundos da Secretaria.

Glória Reis disse...

Eu sei do periodo dele como secretário e tb que a entrevista é daquela época, mas a pérola é atemporal, e tão absurda quanto mais sendo ele pre-candidato à prefeitura de Sao Paulo. Certamente, uma cabeça dessa não tem mais conserto. Assisti tb uma fala dele sobre educação no parlamento como deputado e fiquei pasma com tamanho desprezo pelo aluno e as famílias, aquele famigerado discurso da escola e profissionais maravilhosos versus famílias relapsas e ingratas.E nao é que nessa entrevista ele resume tudo, a ponto de lamentar não poder mandar aluno embora. E é tão desinformado que nao sabe que podem, sim, expulsar à vontade, como estamos cansadas de saber. Affff!

Giulia disse...

Acontece que a base eleitoral dele são as professorinhas... Elas ficam encantadas com essa figura melosa e hipócrita. Ele sabe direitinho que as escolas podem expulsar à vontade, aliás, foi ele mesmo o pai do período inquisitório, mas disfarça muito bem.

Matheusinhu . xD disse...

Para resolver o paradigma, independente das situações o aluno pode ou não ser convidado a se retirar (expulso), ou ser transferido, contra a vontade do aluna da instituição?

Giulia disse...

Matheus, teoricamente não, na prática sim. Isto é Brasil!

lllllll disse...

O problema é quando o aluno não recebe educação em casa e vai para a escola bagunçar e prejudica o aprendizado dos outros alunos. Sempre em casa morrendo dor de cabeça pois as aulas na minha escola são uma gritaria sem fim, quando um aluo vai para a direção apenas conversa com a vice diretora e volta pra aula e continua como estava, depois de isso acontecer umas 3 vezes com um aluno chamam os pais dele na escola mais logo ele volta a atrapalhar na aula.
Nesse caso quem são as vitimas o aluno bagunceiro ou os outros alunos que se esforçam para chegar em casa atordoados. e o pior de tudo é que no final do ano os bagunceiros sempre são aprovados(pois os professores querem se livrar desses alunos o quanto antes), isso acontece comigo desdo jardim e já estou na 7ª série. Ando pensando seriamente em abandonar a escola já que mesmo indo os professores não conseguem explicar muita coisa.
Estudo em escola pública, e quando vejo uma notícia como essa penso, a escola está apenas tentando proteger os alunos como eu. Eu não intendo por que essas criaturas se dão ao trabalho de ir para a escola para não fazer nada, os alunos deviam ter o direito de desistir de ir para a escola com 13 anos, uma idade que por muitos já é considerada a idade que uma pessoa se torna adulta o suficiente para tomar decisões para a sua vida.
E tente ir em um hospital ou em um hotel ou uma academia e ficar bagunçando, ouvindo musica alta em seu celular,bater na cabeça dos outros com um guarda-chuvas(o que aconteceu comigo ontem na escola)ou impedir o trabalho alguém e decubra se não vão pedir para você se retirar.
Me desculpe se estendi de mais e os erros de português(decorrentes do péssimo ensino da minha escola).

Giulia disse...

Anônimo, você parece mais um professor disfarçado do que um aluno...

lllllll disse...

Pois é, mesmo que eu você um professor(alias obrigado pelo elogio pois me senti com a maturidade de um). Mas por que você não tenta falar sobre o que eu devo fazer ao invés de no achar que eu tenho 14 anos(fiz aniversário ante-ontem).

Giulia disse...

Parabéns pelo aniversário! Gostaria de saber seu nome. Pela sua idade, você está muito desencantado. Acho que estudar na sua escola deve ser muito difícil, mesmo. Pelo que você conta, as aulas devem ser muito chatas, os professores obviamente não sabem chamar a atenção dos alunos com conhecimentos interessantes, nem manter a disciplina. Você está culpando seus colegas por tudo que ocorre na escola. Nunca procurou enxergar de outra forma? Talvez você possa mudar da escola. Aconteceu isso com um aluno que havia sido expulso da escola, o menino cuja história eu contei no post "Um verdadeiro filho do Brasil". O menino era muito melhor do que a escola, que tinha nota 1,51 no IDESP. Procuramos para ele uma escola melhor e ele ficou bem mais feliz. Um abraço!

lllllll disse...

Meu nome é Dennis, sou de Guaíba. Obrigado pelo parabéns!!
O problema é que as outras escolas do meu bairro ou são piores ou não tem segundo grau(o que faria eu estudar somente um ano e depois teria que voltar para a mesma) e as outras escolas da cidade ficam longe e minha mãe não me deixaria ir sozinho e ela diz que todas as escolas são e iguais e seria perda de dinheiro com passagem de ônibus.

lllllll disse...

Li o post e realmente foi injustiça, mas uma coisa é um acidente outra é uma pessoa ir para a aula e não fazer nenhuma atividade proposta pelos professores e atrapalhar quem se acorda as 7 horas da manhã para ir para a escola disposto a fazer todas as atividades propostas.