Pular para o conteúdo principal

Quem não deve não teme

Como era de esperar, a manifestação realizada ontem na porta da escola Maria Tomázia  Coelho, em Florianópolis, onde estuda a menina Isadora, mostrou que a sociedade ainda não está preparada para discutir educação em profundidade. Clique no link para ler matéria da Uol sobre o ato: Estudantes fazem ato pela paz em escola de menina que criou o diário de classe

É claro que a iniciativa não foi dos alunos e é triste uma escola inteira ter parado as aulas para uma resmungação coletiva que apenas fortalece a posição de Isadora. Patética a fala do prefeito:

“O governo construiu nove quadras esportivas e dez ginásios em sete, mas bastou esta menina dizer que a fechadura do banheiro estava quebrada para o caso sair de proporção, hoje só se fala que o sistema está sucateado, diz. Pelo amor de Deus, vão lá ver que escola bonita ela tem. Agora ela disse que precisa ser toda pintada, mas não é bem assim. A quadra está mal riscada? Está, mas não é tão ruim assim".

Geralmente, prefeitos e secretários da educação se justificam assim mesmo, falando que a rede tem um número enorme de escolas, que já realizaram isso e aquilo, que não podem cuidar de todas elas com o mesmo zelo, que afinal a escola não está tão ruim assim...

Mais uma vez, toda uma comunidade foi manipulada por um sistema que procura nivelar tudo por baixo. Já dissemos aqui que a escola da Isadora está entre as primeiras no "ranking" e com certeza o prefeito deve ficar muito aborrecido por ela ter virado alvo de críticas. Não se pode, na educação brasileira, sonhar alto! 

Assista agora à entrevista que a Isadora deu hoje para o Estadão, clicando no link. Ela diz que um dos motivos que a levaram a escrever o Diário de Classe foi que havia percebido a diferença entre sua escola - pública - e a da irmã - particular. Na verdade, há muitas escolas particulares em condições bem piores que a Maria Tomazia Coelho, mas e daí? Não se pode reparar nas falhas e querer solução? Quem não deve não teme.

Com certeza, as crianças da família do prefeito de Floripa e de 99,99% dos políticos brasileiros não frequentam a rede pública. Esse é um assunto polêmico e tabu na sociedade  brasileira, até porque filho e neto de jornalista também estudam na rede  particular e até agora  nenhuma mídia se interessou em levantar essa lebre...

Para dar início e continuidade a uma página tão bem escrita e estruturada como o diário da Isadora, só uma criança plenamente alfabetizada e acostumada a debater ideias, coisa muito rara no Brasil, principalmente na rede pública, onde dá-se graças a deus se todos os alunos de uma 5ª série dominam o beabá e entendem um bilhete. Por isso mesmo o fenômeno Isadora chama tanto a atenção.

Ficou bem claro que ela não vai parar com seu diário, já tem a mente muito aberta para aceitar um cala a boca a esta altura dos acontecimentos. Se o Brasil adulto se assusta diante de uma criança questionadora, está na hora de repensarmos as metas do país e visarmos alvos mais ambiciosos. 

O que Isadora e certamente todas as crianças do Brasil desejariam, se tivessem a coragem de sonhar, é uma escola de primeiro mundo, o que vai muito além da estrutura física do prédio e tem principalmente a ver com o tratamento dado aos alunos. Uma atitude como essa tomada pela escola Maria Tomazia Coelho, de parar um dia inteiro pedindo "paz", tem a clara intenção de desencorajar as crianças a desenvolverem senso crítico. Lamentável.

Comentários

Ana Pasqua disse…
Ótimo texto!!! Não tenho nada a acrescentar!
Giulia disse…
Oi, Ana, o que esqueci de colocar no texto é que lamento a tristeza que a Isadora aparenta. O que essa corporação consegue com suas manobras que visam manter o status quo é acabar com a alegria das crianças.
Anônimo disse…
"quem não deve não teme",essa frase não faz o menor sentido,quem criou essa frase deve ser no mínimo inocente e deve achar que não existe injustiças no mundo,eu vou dar um exemplo que prova que a frase cita acima não faz sentido,uma pessoa está querendo atravessar a rua na faixa de pedestres e o sinal fica vermelho,a pessoa espera o carro parar para ela atravessar,nesse caso,a pessoa não deve pois ela está certa,mas teme ser atropelada

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…