Mídia Nota Zero - A Série V


Já publicamos aqui uma série de textos que mostram o total desinteresse da mídia brasileira pelos "bastidores" da educação pública, que vai mal porque os filhos dos formadores de opinião, sejam jornalistas, empresários, profissionais liberais ou políticos estudam... na rede particular. Os únicos fatos que interessam à grande mídia são aqueles que mostram o ranking das escolas. Mas os verdadeiros motivos que mantêm o ensino público na sarjeta - o descaso e o desprezo das autoridades grandes ou pequenas para com o aluno, nunca se revelam claramente em nossa sociedade hipócrita e classista.

Um fato ocorrido em Minas, mas que já aconteceu em toda parte do Brasil, até de formas bem mais violentas, ilustra claramente a idéia. O caso foi registrado em 27 de agosto apenas em jornais locais e não teve repercussão, o que mostra o total desinteresse da grande mídia pelo que ocorre dentro da rede pública de ensino, esse faroeste onde tudo pode acontecer, sem despertar indignação ou comoção nacional. Se alguma atriz de novela ou socialite cuspir no namorado, toda a mídia corre atrás da notícia, mas o que ocorre dentro da rede pública de ensino é assunto tabu, principalmente quando mostra o abismo moral em que se encontram nossas "sagradas" instituições.

Leiam vocês mesmos e respondam a pergunta: se um fato como esse ocorresse numa escola particular, a repercussão seria tão pequena?

O Globo - Cidades

BELO HORIZONTE - Alunos de um colégio público de Cássia, no Sul de Minas, tiveram de ficar nus em revista feita por policiais militares na escola. Depois do sumiço de R$ 19 na sala do 9 ano do ensino fundamental, três PMs foram chamados pela direção da Escola Estadual São Gabriel e, segundo denúncia encaminhada ao Ministério Público, obrigaram adolescentes de 15 e 16 anos a se despir, em salas separadas. O MP pediu à Polícia Civil a abertura de inquérito para apurar o caso.
A busca ocorreu em 27 de agosto. Cada aluno havia contribuído com R$ 0,55 para tirar cópias de textos. O dinheiro foi guardado no caderno da líder de classe, que, logo após o recreio, percebeu o furto. Acionados, os PMs exigiram que os 38 estudantes fossem para salas vizinhas e tirassem a roupa. Segundo um dos jovens, um PM disse que quem se recusasse a participar da revista seria levado para a delegacia. As meninas foram acompanhadas por uma policial feminina, em ambiente separado do dos rapazes. O dinheiro não foi encontrado.

Seguem os demais textos da série Mídia Nota Zero:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola