Mídia nota zero - A Série VI


Mais uma vez a mídia mostra seu lado pedófobo ao relatar a história da menina de 7 anos que foi levada para uma delegacia de polícia, após uma briga dentro da escola.

A reportagem mais "significativa" foi a de O Globo, que se saiu com uma manchete absolutamente hilária: Secretaria de Educação de SP diz que Ronda Escolar estava por coincidência em escola que mandou menina de 7 anos para a delegacia. Quando li a manchete, pensei que pudesse ser uma provocação (às vezes, jornalistas inteligentes fazem isso), mas logo percebi que era uma forma de justificar a presença "casual" da polícia dentro da escola, para amenizar a responsabilidade da direção. Como se todos nós, pais de alunos, não soubéssemos que a ronda escolar está à disposição dos diretores de escola durante todos os horários escolares, para amedrontar ou "enquadrar" os chamados "alunos-problema"!

Uma manchete decente para essa matéria poderia ser: Secretaria da Educação diz em nota oficial que Conselho Tutelar recomendou levar aluna de 7 anos para delegacia de polícia. Isso é sim notícia, e das piores! Por mais incompetentes que sejam os Conselhos Tutelares - e a maioria é muuuito incompetente - nenhum conselheiro se arriscaria a falar uma besteira desse tamanho. Toda burrice tem limite, menos... para a Secretaria da Educação, que caiu na conversa da diretora da escola. A infeliz deve ter dado a primeira desculpa que lhe veio à mente, por ter mandado a ronda levar a aluna para a delegacia de polícia. E assim o nariz de Pinóquio ficou para a Secretaria da Educação, já que o Conselho Tutelar soube se defender direitinho dessa mentira, dando uma explicação lógica e mostrando o erro da escola.

Além da manchete ridícula, a matéria é pobre como as demais que circulam na mídia: nenhuma entrevista com alguém que possa dar a visão exata do descalabro dessa notícia, da incompetência pedagógica e principalmente, do FAROESTE que é a rede pública de ensino, um feudo que faz suas próprias leis, passando por cima do direito líquido e certo do aluno ter uma vida escolar minimamente saudável, que lhe garanta um razoável aprendizado e o livre das perseguições e represálias que seguem qualquer crítica que seus pais se atrevam a fazer. A mãe dessa aluna não sabe o que a espera! Se ela teimar em deixá-la na mesma escola, sua vida e a da filha vão se tornar um inferno. A não ser que a Secretaria da Educação resolva se redimir das besteiras divulgadas (leia a manchete real e a que inventei), ao afastar imediatamente a diretora dessa escola, dando o exemplo de que que errar é humano e que é possível consertar os erros. Isso agora é com o professor Paulo Renato.

Apenas para concluir, já que o assunto é absolutamente intragável e indigesto: a desculpa de que a ronda escolar estava passando pela escola na hora da briga da menina com a colega (briga que não chegou às vias de fato, portanto não configuraria crime mesmo se a aluna fosse maior de idade...) pretende justificar o quê? Que os policiais resolveram espontaneamente "dar uma carona" para a menina até à delegacia de polícia? Realmente, isso seria muito cômico, se não fosse tão sério. Todo policial está careca de saber que não pode levar uma criança para a delegacia: eles levaram essa menina porque acharam que não ia sobrar para eles, já que quem mandou foi a diretora da escola e diretor de escola é "autoridade absoluta"!

O mais ridículo da situação seria pensar que os policiais levaram a aluna à força, contra a vontade da diretora da escola, que tentou desesperadamente impedi-los, segurando em suas mãos o Estatuto da Criança e do Adolescente, que toda escola é obrigada a ter em sua biblioteca, rsrsrsrsrsrs. Vocês leram o depoimento da aluna MAIOR DE IDADE que foi impedida de sair da escola pela diretora, se não assinasse uma solicitação de saída? Leia o depoimento aqui. Imagine então se a ronda escolar pode levar uma criança da escola para a delegacia sem autorização da diretora. Bom, se você acredita em papai noel...

Divirta-se (ou não) com os outros posts da série Mídia nota Zero. Muitos deles também envolvem polícia, mas não caia no erro de responsabilizar a polícia em primeiro lugar. A responsabilidade maior é sempre da escola e da Secretaria da Educação, que permite a presença de policiais dentro de seu interior. Imagine uma situação inversa, rsrsrs: a diretora da escola do bairro resolve mandar buscar um escrivão semi-analfabeto e levá-lo para aulas de reforço, durante o expediente, sem a autorização do delegado...

Comentários

Regina Milone disse…
A que ponto chegamos!!!
Coitada dessa criança!
Imagino o pânico dela sendo levada pela polícia para a delegacia!
Imagino os danos que isso poderá lhe causar!
Imagino o quanto será rotulada!
Meu Deus!!!

Gostaria de pedir ajuda a vc, Giulia, em relação a como agir e a quem recorrer quando acompanhamos casos parecidos com esse, pois já passei por isso e já não sei mais o que fazer...

Obrigada!
Beijos,
Regina Milone.
cremilda estella teixeira disse…
O pior veio depois da noticia que a escola DR Alvaro de Souza Lima foi invadida.
O Secretário de Educação de São Paulo, vai enviar uma viatura da policia militar para ficar a disposição da escola 24 horas por dia.....não é uma beleza de solução
A gente pede professor na sala de aula e ele nos dá uma viatura policial no páteo da escola.
Dan disse…
Oi Gente,

Esse caso é o ABSUTDO dos ABSURDOS, nos que de alguma forma já militamos na Educação Pública, sabemos o nivel da maioria das diretoras.

Gostei muito do blog e gostaria de convidá-los a visitar o meu, já vou colar vocês lá, http://dan-poucodetudo.blogspot.com/, sua visita me dará alegrias.


Abraços

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola