A escola tabu nº 25 - A sociedade veste a carapuça

Já falamos bastante aqui da revista Nova Escola, essa publicação asséptica mas, ainda assim, a melhor em seu gênero, considerando que não existe no país jornalismo crítico e interessado em abrir a caixa preta que é a educação brasileira, principalmente a pública. Este mês, 'sem querer-querendo', a Nova Escola mostra a visão da educação por parte da sociedade brasileira, através de alguns mitos. Vamos aqui comentar aqueles que sempre criticamos, por serem causadores de imensos prejuízos para os alunos e do atraso que mantém o país na ignorância.

Para evitar dúvidas, esclarecemos que apenas os títulos dos tópicos abaixo são mencionados pela revista Nova escola como mitos da educação. OS COMENTÁRIOS SÃO DO EDUCAFÓRUM. Para ler a matéria da Nova Escola sobre os mitos da educação,
CLIQUE AQUI.

  • Criança pobre não aprende - É muito cômodo, para as classes A e B, difundir esse mito, pois quem gere a educação pública são pessoas dessas classes, enquanto seus próprios filhos estudam na rede particular. Assim, esses gestores se eximem da própria responsabilidade e podem deixar o barco afundar. Ao mesmo tempo, com o sucatamento da rede pública, seus filhos terão menos concorrência na hora de disputar uma vaga na universidade.

  • Muitas crianças não aprendem porque vêm de famílias desestruturadas - Esse mito é um dos grandes causadores de expulsão e evasão de alunos, alvo de intermináveis fofocas nas salas dos professores e principalmente nas reuniões de Conselho de Escola, onde se expõem abertamente as "falhas" das famílias dos alunos e se define o futuro de crianças e adolescentes, empurrando-os para a marginalidade. Como se as famílias dos gestores e demais profissionais da educação fossem um mar de rosas...

  • Educação se aprende em casa e cabe à escola apenas ensinar conteúdos - Este mito, repetido exaustivamente por "educadores" e gestores, além de papagueado por toda a mídia, mostra a estreiteza da mente desses profissionais, inclusive dos jornalistas que o divulgam. Com essa desculpa, a escola se permite deseducar os filhos "dos outros", dando-lhes, através de seus profissionais, os péssimos exemplos do descaso, do absenteísmo, da falta de pontualidade, do desprezo pelo trabalho e pela profissão, do uso de um vocabulário chulo e muitas vezes ofensivo.

  • A função mais importante da escola é formar cidadãos - O aprendizado da cidadania se dá pelo exemplo e não através de "lições". O aluno que se vê privado do direito de ter uma vaga na escola próxima, de ter aulas todos os dias (e aulas de qualidade!), de ser respeitado por seus professores e demais profissionais da escola, já aprendeu que, no Brasil, cidadania é para poucos. Além disso, enquanto a escola finge "formar cidadãos", ela deixa de se responsabilizar pelo ensino.

  • O papel da escola é elevar a autoestima dos alunos - Nossos "educadores" costumam utilizar o antigo hábito de elogiar os "bons alunos" e depreciar as "laranjas podres", acreditando (acreditando?...) que assim incentivam os primeiros a se superarem e os segundos a imitarem os primeiros. Esse é talvez o mito mais jurássico e cretino da nossa escola. Irmão desse mito é o da "Pedagogia do amor", lançado pelo ex-secretário, hoje deputado, Gabriel Chalita. Enganando a sociedade, na suposição de que os alunos de sua rede de ensino estavam sendo tratados com um mínimo de respeito (ou seria "amor"?...), sua gestão foi a campeã da expulsão de alunos e do fechamento de escolas.

  • A cópia e a repetição são boas estratégias de ensino - A escola brasileira (não somente a pública!) é tão, mas tão atrasada, que quase não se fala em compreensão, discussão, reflexão. Cabe ao aluno calar a boca, copiar da lousa e decorar. O pior é quando o professor se nega a explicar e a repetir, muitas vezes apagando a lousa antes que o aluno tenha tido tempo de copiar.

  • A repetência melhora o desempenho escolar - Estudos já provaram exaustivamente que o aluno não aprende mais, se repetir o mesmo ano com as mesmas aulas de péssima qualidade, baseadas na cópia e na decoreba. No entanto, a repetência é cômoda para os maus profissionais, que largam o aluno para outro colega no ano seguinte, eximindo-se de sua responsabilidade. Esse mito, muito bem divulgado pelas assessorias de imprensa dos ricos sindicatos da "educação" e papagueado pela mídia, continua assim emplacando na sociedade brasileira.

  • Sem reprovação, os alunos perdem o respeito pelo professor - Respeito se conquista, não se impõe. Os alunos tendem a não respeitar o professor que também não os respeita, tratando-os como números. Se o professor não faz a avaliação contínua do aluno e não cuida de sua recuperação, espera o quê? "Conquistá-lo" com a ameaça da reprovação?

  • Conteúdo dado é conteúdo aprendido - Esse mito é o que mais justifica a omissão e o quessedanismo do mau profissional, que só se dispõe a "dar a matéria", sem se preocupar com o aprendizado dos alunos.
Resumindo: com essa matéria, a Nova Escola dá um "belo" panorama da visão que a sociedade brasileira tem da escola e, principalmente, do profundo atraso em que essa se encontra. Como sempre, o faz com luvas de pelica, da forma mais politicamente correta possível, ou seja, sem incomodar e possivelmente sem produzir mudanças a curto prazo... Leia aqui mais posts da série A Escola Tabu:

BuRRocracia em todo o país

Sadismo em todos os níveis

Isso é apuração preliminar???

Na "minha" escola, tomou levou!

Comentários

cremilda disse…
O Mauro sempre muito contido, escreveu que esse post seu é bom e colou lá no portal do Coep
Eu já faço do meu jeito.
QUE MARAVILHOSO, QUE MARAVILHA, QUE COISA ESPETACULAR
Vou colar lá no meu também.
Puxa, sintetizou muito bem o que a gente vem falando exaustivamente.
Pa-ra.béns, com um monte de estrelinha embaixo, nota dez com louvor.
E o mito da professorinha-santa-abnegada?
Ninguém vai avaliar o desempenho da professorinha nas escolas?
quem vai demitir a professorinha que é parente das autoridades locais?
Anônimo disse…
Interessante. Se a proridade da escola não é instruir e ensinar conteúdos (científicos, literários, filosóficos...) então é o que? Ficar ouvindo funk e falando sobre BBB e novelinhas da globo e record?Se a maioria da sociedade, incluindo especialistas em educação afirma que a escola deve ensinar tais conteúdos, enquanto a família se encarregaria da socialização primária (incluindo as boas maneiras...), pois do contrário não dá muito certo,a escola fica sobrecarregada de papéis (tipo creche, consultório de psicoterapia...)e não cumpre sua função que argumentos sólidos vocês contrapoem a isto. que consideram algo "superado", "encheção de linguiça", etc? Quais são as sumidades que podem ser mencionadas? Só não vale ficar citando frases de efeito e autores de livrecos de auto-ajuda.
cremilda disse…
Vou copiar, tudo bem ???
Finalmente alguém tira a máscara de anjinho daquele secretário é bonitinho, mas ordinário.
Aquele da pedagogia do afeto, do amor, mas que fechou numa só tacada 300 escolas em São Paulo
Giulia disse…
Anônimo, explique melhor suas dúvidas. Nossa posição é que a escola cumpra como prioridade seu papel de ENSINAR, com competência e eficiência. Quanto ao papel de "educar", que pelo menos NÃO DESEDUQUE o aluno, coisa que acontece em 99% das escolas.
Giulia disse…
Mauro, você acha que a Nova Escola, toda cheia dos não-me-toques, iria fuçar nesse angu? rsrs
Queria ver apresentarem solução para "o que fazer com os maus professores"!
Giulia disse…
Quem, Mauro? A Nova Escola?... rsrs
Quando você entra no site deles, tem um formulário para preencher: ao responder, ou você se identifica como professor... ou... como professor, rsrs! Não existe outra possibilidade de você se identificar, a não ser que você seja professor, entende? Esse é o público deles e, obviamente, o público que eles querem cativar. O "mau professor" não existe para eles! O dia que eles admitirem isso, vão começar a perder assinantes.
cremilda disse…
Anoniminha.

Já cansei de ver educadores criticando as tais HTPC, são as duas horas semanais que o professor ganha para ficar na sala dos professores trocando experiencias.
Isso em foruns, e até em comunidades do Orkut, os educadores ficam de cabelo em pé.
Contam que no horário de HTPC, não se discute programas e nem como melhorar a aula baseado na troca de experiência.
A maioria das vêzes os professores ficam na malfadada sala dos professores, ou falando mal de aluno e de suas famílias, ou contando vantagens, ou falando de novela BBB e outras futilidades.
As boas maneiras que o aluno aprende em casa, ele desaprende na escola com os maus professores que infelizmente são a maioria.
Fabiana disse…
Boa tarde


Não sei se podem me ajudar , com algum conselho, procurei uma escola para meu filho Autista com hiperatividade , expliquei toda situação dele para a escola paguei matricula e ele foi somente 01 dia, meio periodo e no outro recebi uma ligação da escola dizendo para ele não ir mais pois precisaria de profissionais mais capacitados.
A escola e particular o proprietario e Secretario da Educação de minha Cidade Apucarana Parana. O caso ja esta na Promotoria Pulblica , procurei um advogado para entrar com Danos Morais mais ele me desanimou acha que perderia , as pessoas que converso dizem que o advogado não quiz pegar o caso pois precisam de favores da Prefeitura .Sera verdade ? Não queria que isso ficasse assim , nem conheceram meu filho direito ...Hoje outra escola esta com ele e sem reclamaçoes.

O que proceder nesses casos ? Tem tanta propaganda de exclusão , esta certo o que fizeram com meu filho?
cremilda disse…
Aê Giulia
Vamos aí falar da Reunião de Ontem.
O Mauro escreveu, do jeito dele
Escrevi do meu jeito
Agora falta você..
Giulia disse…
Pane no computador, Cremilda...
Vamos ver se consigo no final de semana.
Anônimo disse…
NOVA ESCOLA É REVISTA PARA A ELITE!Vocês irão dizer que o acesso é para todos! Sim está nas bancas e pode ser comprada por quem assim desejar, mas o conteúdo de suas matérias focam escolas particulares, quando uma matéria ou outra mostra uma escola pública é uma escola considerada padrão ou mascarada nas entrelinhas. Mostrem a realidade das escolas da periferia e da luta diária dos professores e seus alunos. Ah desculpem-me isso não lhes convém!
Giulia disse…
Você tem toda razão, anônimo, aliás você vê que aqui sempre criticamos a Nova Escola! Mas ela, pelo menos, é acessível a todos e infelizmente não há outra com conteúdo de qualidade. Um abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola