Pular para o conteúdo principal

Gustavo Ioschpe: enfrentar o conflito


Independentemente da reportagem da Veja sobre a educação em Xangai, que traz informações importantes e convida a uma boa reflexão, segue o link de uma entrevista de Gustavo Ioschpe para Salomão Schvartzman, onde mais uma vez Gustavo fala claramente da necessidade de "enfrentar o conflito", ou seja, acabar com o domínio da corporação nas escolas, cujo compromisso, infelizmente, está longe de ser com o aluno. Assista ao vídeo da entrevista clicando aqui.

Corajosamente, Gustavo declara que o Brasil comete um crime, pois 51 milhões de pessoas que estão no sistema de educação básica estão sendo enganados. Tomara que outras vozes se juntem à dele, mostrando finalmente que "o rei está nu" e promovendo mudanças na sociedade.

Seguem os links para posts antigos sobre textos de Gustavo Ioschpe, que divulgamos há anos e já inspiraram muitas boas discussões aqui no blog:

O coitadismo do professor
A frescura do multifraturado
É possível educar em casa?
A tensa relação entre família e escola

Comentários

cremilda disse…
Adorei a sua roupa nova !!!
Muito bom, mesmo...
Giulia disse…
É um programa automático, vamos ver se não perdeu alguma funcionalidade. Não sei lidar bem com essas coisas, continuo uma interANTA, rs...
cremilda disse…
Minha filha me chama de infernauta....
Mas acho que sou do seu time.
InterANTA...
Nilda Paiva disse…
Lamentável ler algo tão pobre vindo de alguém que nada sabe sobre a educação.É ridículo ter que encarar comentários, ideias vazias de profissionais que se julgam acima superiores, donos do saber...ninguém tenta bancar o sabido com outros profissionais da sociedade:médicos, advogados, engenheiros..., mas todos querem dar palpites na nossa área.Absurdo total, já nem sei mais o que é pior: enfrentar pais negligentes e palpiteiros, liderança ou alunos, muito difícil ser professor, ainda mais em uma sociedade onde todos têm valor, menos o professor.Quero ver o senhor Gustavo e tantos outros que metem o dedo na nossa área sobreviverem com o salário que recebemos.Esse "tal" Gustavo não sabe que uma educação de qualidade ultrapassa os limites de uma sala de aula?Não sabe que não se constrói educação de qualidade sendo obrigado a trabalhar mais de 10h por dia como é o meu caso?Não sabe que as salas de aula estão superlotadas e na maioria das vezes os alunos não querem aprender e as famílias estão jogando para a escola uma responsabilidade que cabe a elas?Não sabe que muitos pais jogam as crianças na escola como se fosse um depósito e não aparece nem para tomar ciência do rendimento do filho?
Realmente sinto-me desqualificada, mas para trabalhar com milhões de pessoas que pensam como o senhor Gustavo, especialista em "mediocridade".Fala sério!!!!Aceite o desafio e venha enfrentar meia hora de aula em uma escola, senhor palpiteiro...Não pode generalizar!!!
Sem mais!
Nilda Paiva

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…