Que tipo de monstro? - A Série 3


Desta vez a história é sórdida demais e não é o caso de entrar em detalhes: o assassinato de duas adolescentes, mortas pelo caseiro de um colégio público no Parané e enterradas no terreno da própria escola. O inquérito ainda não está concluído, apesar da confissão do caseiro.

O que mais chama a atenção nesse caso é o longo tempo que se passou entre o primeiro crime e a descoberta dos dois cadáveres: dois anos. Isso reforça a idéia de que escola pública é "terra de ninguém" e que seus alunos não valem nada, aos olhos da sociedade, da mídia e do poder público.

A primeira aluna ficou "foragida" durante dois anos e apenas agora levantou-se a suspeita de que algo mais grave tivesse ocorrido a ela. Numa hora como essa penso que seriado policial americano serve pelo menos para mostrar que a realidade poderia ser diferente, rs. Lá, os processos são anunciados como "The people against..." - O povo contra... (nome do acusado) e os investigadores vão a fundo buscar testemunhas, evidências e provas, mesmo quando as vítimas são gente pobre, imigrantes e até refugiados. Aqui, quando se trata de aluno de escola pública, leva-se tudo em banho maria e certamente o sumiço dessas duas meninas teria ficado em branco, se o próprio suspeito não tivesse confessado e indicado o local onde enterrou os corpos. Encontradas tais provas, não tem mais jeito: o caso vai ter que seguir adiante, a não ser que a mídia o deixe cair no esquecimento, já que não envolve gente famosa: tanto as vítimas quanto o criminoso são "pobres coitados"...

É aqui que eu queria chegar. O "povo", neste país, não dá a mínima para o sumiço de alunos de escola pública, como foi o caso de duas garotas impedidas de acessar a sala de aula por falta de uniforme; elas foram nadar na represa e... se afogaram. Na mesma semana, uma aluna de outra escola, também em São Paulo, foi dispensada após duas horas de aula e encontrada morta em um matagal. O secretário da educação declarou ao repórter Datena que iria apurar se estava certo essa aluna estar matriculada naquela escola, pois tinha debilidade mental. Enfim, tenta-se sempre culpar a vítima... Você assistiu esses casos no Fantástico?rs Eu também não! O que você vê no Fantástico são histórias que demonizam o aluno da escola pública, esse "monstro" que agride o professor "do nada" ou que pratica o bullying durante as aulas vagas, os costumeiros atrasos dos professores e as horas que fica largado na quadra da escola, enquanto a professora de educação física vai tomar cafezinho na secretaria...

Você viu o vídeo da menina de cinco anos estuprada dentro da escola por "alguém" (alô, alô, Fantástico, rs), após a professora tê-la colocado de castigo em um "quarto escuro"?

Outra coisa muito comum é a omissão de socorro, pois a moda atual é "esperar os pais do aluno chegarem", para saber se a família tem plano de saúde... O caso mais famoso foi relatado no artigo de Gustavo Ioschpe A "frescura" do multifraturado, em que ele apelou para todos os advogados do Brasil, pedindo que unzinho topasse representar a família contra o poder público. Não preciso dizer que não apareceu nenhum, né, rs?

Outro caso, ainda mais grave, foi absolutamente ignorado pela mídia: também em São Paulo, um aluno de 11 anos foi acidentado na escola em circunstâncias obscuras, teve traumatismo craniano e ficou vários dias na UTI. Alô, alô, Fantástico, rs?...

Toda vez que levantamos esse tipo de assunto, aparecem as "comadres da escola" (diretoras, professoras, coordenadoras e mães de alunos dominadas pela direção) gritando que essas matérias só servem para "denegrir a imagem da escola". Já estou farta desse tipo de argumento, que permite abafar tantos crimes que ocorrem nas escolas. Basta!

Então hoje vou perguntar:

Que tipo de monstro não se incomoda que crianças e adolescentes sumam "do mapa" e apareçam depois de anos dentro de uma cova ?

Que tipo de monstro não se incomoda com crianças e adolescentes machucadas e não as socorre?

Que tipo de monstro larga no pátio ou na quadra da escola crianças e adolescentes pelas quais é responsável, sem supervisão, e permite que ocorram acidentes, brigas e bullying?

Que tipo de monstro impede o acesso à sala de aula para crianças e adolescentes, por falta de uniforme, por aula vaga ou qualquer outro motivo ILEGAL, já que elas têm o direito de terem todas as aulas, todos os dias?

PS Um voto de louvor à Folha de São Paulo, que finalmente permitiu lincar uma matéria "requentada" para não-assinantes. Seria muita pretensão pensar que essa mudança foi devida à nossa crítica do outro dia, rsrs. Agora sim, a Folha pode-se chamar de "jornal de esquerda", rs.

Comentários

Anônimo disse…
giulia cade o blog da cremilda? to tentano acessa fais tempo e nao to conseguindo tá com algum poblema? ela sempre defende nois e eu preciso fala com ela.
Giulia disse…
Oi, anônimo, estou estranhando seu problema. Basta você clicar no link do blog, na barra lateral, para acessar. Se não conseguir, entre direto no internet explorer com o endereço http://blig.ig.com.br/cremilda/
Boa sorte!
Dyrso disse…
Brigadu vo tenta de novo. Ah meu nome é dyrso.
CREMILDA disse…
Giulia
Meu blog sumiu mesmo....
O Mauro já o colocou noutro endereço
Depois eu coloco o novo endereço
MAS MISTERIOSAMENTE SUMIU
NINGÚEM CONSEGUE ACESSAR E EU NÃO CONSIGO POSTAR
sÓ A AVISO QUE FOI REMOVIDO
INCOMODEI PRA CARAMBA....
cREMILDA disse…
Acho que a grande imprensa e os sindicatos dos professores, cansaram de serem desmentidos, quando divulgam que o "pobre, coitadinho" professor sofre agressões verbais, psicológicas e físicas na sala de aula.
A toda notícia dessa, fazemos questão de colocar o outro lado. O aluno revida, e quando revida, vira agressor, ou um perigoso bandido em potencial. Tem que sofrer agressão e ficar calado.
Nenhuma instância acolhe a denúncia contra professor. Quando acolhe não dá em nada. Pura perda de tempo, onde um pai observa que muitas vêzes denunciar um abuso ou uma violência contra professor se volta literalmente de modo feroz contra seu filho. Por isso os pais se calam. Coformados.
Do jeitão brasileiro. "Nâo tem remédio, remediado está"
Com certeza não são todos os professores de escola pública que espancam e humilham os alunos.
Com certeza são a minoria, que é educador e que não concorda com os companheiros Se calam também por uma questão de sobrevivência na escola .Ou se cala e se omite ou sai da escola.
Agora inventaram uma nova maneira de demonizar aluno. Já que não se pode falar nem escrever que aluno ofende, insulta e agride professor, escrevem que aluno agride aluno.
Sempre ouví contar que muitas vêzes, na escola, as melhores amizades entre colegas começa com um olho roxo.
Criança e adolescente brigarem é muito comum. Normal, mesmo dentro de casa entre irmãos e primos. Brigam se engalfinham e ficam de mal para toda vida. Horas depois estão de bem...
Nem me atrevo a analisar essa conduta infanto-juvenil, mas quem tem mais de um filho, sabe que é assim. Cabe aos adultos corrigirem, sobretudo com bons exemplos.
Muito comum adulto criticar os filhos que brigam por qualquer coisa e depois por qualquer fechada no transito, querer brigar. Até se matam por qualquer bobagem, sem nenhum controle de suas emoçoes.
A imprensa passou a divulgar brigas entre alunos como se fosse um crime hediondo.
Junto com a notícia sempre vem a observaçao do apresentador demonizando os brigões que são sempre alunos de escola pública.
Demonizam aluno que briga e transforma um fato corriqueiro que poderia ser tratado como uma função do adulto corrigir e aconselhar, como uma situação de horror cometida por criaturas que nem merecem estar na escola .Monstros.
Onde vai levar isso a gente sabe.
Alunos na rua aos montes. As escolas esvaziando e a violência crescendo.
Aquele aluno que brigou e a imprensa transformou em bandido perigoso, via de regra nem precisa ser esforçar para se tranformar em desgraçado, pela nossa imprensa infeliz, pedófoba e cega.
Também temos que lembrar que a imprensa pequena, os jornalistas não atrelados a corporação dos professores, riquissima e poderosa não dão esse tipo de notícia e se dão não fazem comentários pedindo rebaixamento da idade penal....
Então, estamos de mal para toda vida da grande imprensa....rs.rs.rs..
ENQUANTO ISSO , DEIXA EU PEGAR CARNONA AQUI ???
cremilda disse…
Pois é ...
O ig me sacaneando
Nâo entra nem a pau.
Quando entra para ler nao dá para postar.
Já reclamei umas cem vêzes
De qualquer maneira o Mauro numa das poucas vêzes que conseguiu deixou lá o novo endereço
Por favor atualize para mim
cremildadentrodaescola.wordpress.com
Giulia disse…
Oi, Cremilda, as bruxas estão soltas, rsrs! Tentei substituir o novo link do seu blog e... acabei excluindo todos os links, rsrs. Vou pedir para a Vera arrumar, vamos ver se ela me atende, tem estado muito ocupada. Abraço!
CREMILDA disse…
ESTOU SENDO "VÍTIMA" DE FORÇAS OCULTAS....RS.RS.

O IG ZUOU MEU BLOG.

MAS ESTOU NO WORDPRESS.COM
cremildadentrodaescola.wordpress.com

Nâo retiraram o blog do ar, apenas zuaram...

O IG SE ESQUECEU DE UM PEQUENO DETALHE....ELE NÃO É O ÚNICO PROVEDOR...

TODA VEZ QUE EU REPASSAR O NOVO PROVEDOR VOU EXPLICAR A SACANAGEM QUE O IG ESTÁ FAZENDO COMIGO...

ALIÁS NÃO É A PRIMEIRA SACANAGEM
UMA VEZ EU COMPREI UM ANTIVIRUS E DEPOIS DE DAR TODAS AS INFORMAÇÕES, NÚMERO DE CONTA CPF E ETC O ANTIVIRUS NÃO INSTALOU
A CONTA VINHA TODO MES QUE ERA DÉBITO AUTOMÁTICO, FOI UM TRABALHÃO DANADO PARA DESFAZER ESSE NEGÓCIO, TIVE QUE PAGAR UNS CINCO MESES SEM TER USADO....
FICA ENTÃO O ALERTA, SE VOCÊ QUISER REPASSAR É ISSO...
Anônimo disse…
Sabe essas duas meninas que foram nadar e morreram afogadas ,o caso está impune na educação a diretora continuasendo diretora , e as crceiras também. Nada mudou depois de duas mortes! .

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola