Processo administrativo & tortura


O leitor atento deste blog tão antigo já entendeu bem para que servem os processos administrativos na educação pública: para tudo ficar como está, ou seja, manter os abusos, o autoritarismo e a corrupção. Esta é a regra - e se alguém puder contestar isso, fique à vontade! Será bem-vindo tanto quanto aqueles que NÃO desmentiram que falta nas escolas públicas (menos em época de epidemias) sabonete e toalha para os alunos lavarem as mãos...

Existe um tipo de informação que só circula aqui no EducaFórum e nos blogs afins, PaisOnline, blog da Glória e Cremilda dentro da escola: a tortura de pais, alunos e cidadãos comuns que são convocados a testemunhar nos processos administrativos. Vamos lembrar, por exemplo, a mãe da aluna de São João da Boa Vista, doente do coração, que ia ser massacrada na sessão processante onde deveria depor contra a diretora da escola. Por sorte nós pudemos acompanhá-la ao local, evitando que se submetesse a essa tortura. Leia o post Churrasquinho de mãe para entender os fatos.

Um outro caso tem nos ocupado durante mais de um ano e espanta que ainda não tenha chamado a atenção da grande imprensa pela gravidade dos fatos: é o famigerado esquema de corrupção de Araraquara, que durante dez anos desviou milhões de verbas da maioria das escolas estaduais da região, através da assinatura de cheques em branco por parte de membros das APMs e da emissão de notas frias por parte de empresas-fantasmas. Caso de polícia que não interessa a ninguém, pois envolve políticos importantes, numa das regiões mais ricas do país. Leia o último post a respeito do assunto, sendo que não precisamos esclarecer que até hoje não fomos recebidos pelo Secretário Paulo Renato nem por sua assessoria...

As últimas informações que temos tido sobre o esquema de Araraquara se referem a processos administrativos onde pais, alunos e cidadãos comuns são torturados psicologicamente para que assumam a culpa dos desvios ou deixem de apontar os verdadeiros criminosos, notadamente a ex-dirigente de ensino e seus supervisores, que foram, no mínimo, coniventes. Essa corja está pagando os serviços de grandes advogados para que os processos sejam arquivados ou as penas minimizadas. Pelo andar da carruagem, esse que poderia ser o primeiro grande exemplo de Justiça na educação vai resultar
  • na responsabilização dos pais de alunos, que foram escolhidos a dedo por diretores desonestos, para assinarem cheques em branco destinados ao pagamento de notas frias;

  • em processos de calúnia e difamação contra aqueles que tiveram a coragem e a honra de denunciarem esse esquema milionário de desvio de verbas que deveriam beneficiar os alunos da rede pública de ensino.

A essa altura do campeonato, onde estão os nobres deputados da Comissão de Educação da Assembléia Legislativa, que receberam de nossas mãos o dossiê sobre o esquema de Araraquara, durante a mesma reunião à qual compareceu a ex-secretária Maria Helena de Castro? Relembre os fatos lendo o post O Esquema VI - Cobrar da Comissão de Educação.

Mais uma pergunta: onde estão as comissões e as ongs de Direitos Humanos, que permitem a tortura psicológica de pais, alunos e cidadãos em processos administrativos que têm a única finalidade de intimidá-los? Compactuar com um esquema de corrupção é continuar a alimentá-lo e permitir sua perpetuação!

Se alguém ainda não entende por que os pais de alunos não gostam de participar das APMs e Conselhos de Escola, é que não fez sua lição de casa: ler este blog com atenção. Histórias não faltam. Aliás, nós fizemos história: e daí?

Comentários

Antonio disse…
Giulia,

Aqui se faz, aqui se paga





"Muito se discute a violência que se tornaram os processos administrativos da SEE-SP "descaso", devemos cobrar da dos sindicatos "todos", não só no Brasil, mas no mundo todo, em que episódios de violência e impunidade, cada vez maior, são apresentados e publicados veladamente a todos os dias. Aparentemente, a população vem se acostumando à esta neoviolência reinante e não mais reage a esses atos, fingindo não ver, deixando acontecer com os outros, sempre imaginando que conosco jamais aconteceria. Não é exatamente o que vem acontecendo. Ao que parece os cidadãos estão mais conscientes e reagem a atos de violência, infelizmente, com atos de violência maior ainda, com se vê do que aconteceu nesse processo administrativo de Sandra Rossato.
E maiores violencias virão quando os dezoito diretores de escola de Araraquara forem julgados e sairem impunes, ou com punição abrandada, pelos protetores do esquema, e no mesmo balaio estará o diretor Valmir Rodrigues do Capão Redondo. Mas aqui se faz aqui se paga...
Abraços.
Antonio.
Antonio disse…
Giulia, ontem eu e meus familiares, leitores e admiradores do seu nobre trabalho, fizemos um comentário que não foi publicado, talvez por problemas técnicos em nosso computador, mas ainda em tempo, voltamos a insistir em nossa intenção primeira.
Parabéns pelo post, sobre Processo Administrativo & tortura, com suas palavras sempre pontuais, generosas e sensibilizadoras.
Só quem passa por essa situação que não nos envergonha falar e sim nos fortalece, aumenta a nossa fé, que se chama a Razão.
A razão de ser do que denunciamos, nos sentimos em carne viva, quando passamos diuturnamente o descaso, um verdadeiro apocalipse sem exageros.
Só podemos crer que isto é possivel, porque passamos por isso.
Conseguimos compreender que para nós o sofrimento tem resultado em crescimento para todos nós graças à Deus. Pois estamos saindo dessa dimensão mais purificados, com olhos mais abertos, mais amorosos.
Porque lá pude na tão esperada inquirição dos denunciantes que se transformou em inquisição ainda tinha esperança de encontrar homens e mulheres menos soberbos, cruéis, pelo contrario deparei-me com Judas, traidores, homens com boa aparência, mas negando a eficacia delas, deparei com homens de extrema corrupção.
Mas continuemos a luta porque Aqui se faz, aqui se paga.
Muito obrigado por tudo.
Antonio e familia.
Cremilton disse…
No mundo todo e, em especial, no Brasil o que se vê é o caos sendo implantado em razão da não concretização da justiça. E o mundo começa a caminhar às avessas, tomando direções perturbadoras para a paz e para a convivência entre os povos. Não seria caso de responder afirmativamente a indagação de Eduardo Galeano: "Si el mundo está, como ahora está, patas arriba, ¿no habría que darle vuelta, para que pueda pararse sobre sus pies?".
A SEE-SP, vai ter que mostrar muito mais "moralidade" no governo em SP - PSDB, do que os anos em que Lula vem governando este país.
A começar por licitações , desvios de verbas das APMs, Diretoria de ensino de Araraquara,e outras..., mas as eleições estão próximas e muitos documentos muito bem guardados vão aparecer na hora certa.
Até mais.
Cremilton.
Antonio disse…
Resolução Conjunta CC/SE-1, de 27-8-2009
Dispõe sobre a instalação de Corregedoria Setorial,
da Corregedoria Geral da Administração, junto
à Secretaria da Educação e dá providências correlatas
O Secretário-Chefe da Casa Civil e o Secretário da
Educação, com fundamento nos arts. 32, 33, 34 e 39, I, do Dec. 54.424-2009, que reorganiza a Corregedoria Geral da Administração, resolvem:
Artigo 1º - Fica instalada a Corregedoria Setorial, da
Corregedoria Geral da Administração, junto à Secretaria
da Educação.
Parágrafo único - O expediente e o funcionamento
da Corregedoria Setorial de que trata este art. serão
regulamentados por portaria do Presidente da Corregedoria
Geral da Administração, respeitados os parâmetros
estabelecidos no Dec. 54.424-2009.
Artigo 2º - Além das atribuições mencionadas no
art. 33 do Dec. 54.424-2009, caberá à Corregedoria
Setorial Educação a realização ou acompanhamento
de apurações preliminares, nos termos das disposições
da Resolução Conjunta CC/SE/SSP/PGE 1, de 5-3-2009.
Artigo 3º - A Corregedoria Setorial Educação será
composta por:
I - Corregedores do quadro da Corregedoria Geral
da Administração, indicados pelo Presidente da Corregedoria
Geral da Administração, para condução dos
processos correcionais;
Mauro disse…
Assista ao vídeo da Assembléia Popular de ho0je - 28/08/09:
Reposição de aulas à noite é enganação
http://www.youtube.com/watch?v=F9UOAXzTF-Y
suely valente disse…
Nós testemunhas do processo administrativo da EE David Eugenio dos Santos , sabemos muito bem o que é ser torturado.Agora com a mudança das processantes para a Rua Pamplona , veio mais uma desculpa para se retomar os depoimentos somente em janeiro de 2010.

Enquanto isso a festa junina dessa escola rendeu $9000,00 limpinhos e que até agora não se sabe o que será feito com ele , já que a escola não necessita de mais nada material e sim de profissionais competentes e com vontade de melhorar a qualidade de ensino.

Vamos aguardar mais uns bons tempos para ver o resultado final .
Percival Nunes disse…
Eu Fico aqui imaginando se esse pais se tornar um país completamente auto produtor de petroleo, com essa estoria de pre-sal, etc e tal... fico imaginando, que o pouco dinheiro que sobra nessas instituições são tratadas dessa maneira, imagina voces, se o pais for rico e tiver ai bilhões e trilhões de reais sobrando ao se tornar auto suficiente, porque muito dinheiro, "coisas que nós, pobres mortais não consegue imaginar", já rola por ai... a torto e a direito.
Anônimo disse…
TERTULIANO

PESSOAL VOCÊS ESTÃO ESQUECENDO DA DIRETORIA DE ENSINO SUL 3
CONTINUA IMPUNE AS FRAUDES DAS ESCOLAS E O DIRIGENTE AINDA CONTINUA NO CARGO

ISTO É UM ABSURDO

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola