21 agosto 2013

Exigência de uniforme e expulsão sumária de aluno! Que escola é essa???


A pobreza do nosso sistema educacional continua colocando o uniforme no topo das prioridades, como denunciamos aqui há anos. Por isso, muitos colégios impedem a entrada dos alunos sem uniforme. É um sistema educacional BURRO e INCOMPETENTE, que valoriza mais o vestuário do que o conhecimento e o aprendizado. Um sistema educacional que quer UNIFORMIZAR os alunos, para que fiquem tão BURROS e INCOMPETENTES quanto ele próprio. 

O sistema é também hipócrita, pois toda vez que comunicamos à Secretaria da Educação que uma escola obriga os pais a adquirirem o uniforme e impede o acesso de alunos não uniformizados à sala de aula, a resposta é que isso "não existe", já que a obrigatoriedade do uniforme é proibida, de acordo com a Lei estadual 3.913/83. Segue então a imagem da "nota fiscal" de compra do uniforme, realizada por uma mãe com muito sacrifício. Foram suados R$ 163,00 que ela teve que desembolsar, caso contrário seu filho seria impedido de entrar na escola! 




Mas a questão do uniforme não foi o principal motivo pelo qual essa mãe nos contatou: o problema é ainda mais grave: seu filho foi expulso da escola! 

Já que a expulsão de alunos também é ilegal e temos denunciado demais a atuação dos Conselhos de Escola "legitimando" essa prática, as escolas estaduais mudaram de tática: agora a expulsão é realizada sem qualquer cerimônia, no vapt-vupt!!


A história que essa mãe nos contou chega ao limite do absurdo: seu filho de 15 anos, que nunca teve problemas disciplinares em sua vida escolar, entrou este ano em uma escola da DE Leste 1 e desde o início foi vítima de bullying por parte de colegas. O garoto foi levando na esportiva, ouvindo os conselhos da mãe, mas um dia perdeu a paciência e revidou o "ataque" de um colega, que lhe atirou tinta guache. A tinta acabou na parede da sala de aula e o menino foi chamado na diretoria. Até aí, nada demais. Em seguida, porém, a mãe foi convidada a comparecer na escola para assinar a expulsão do filho, camuflada de "transferência compulsória". Transtornada e sem orientação, ela assinou o papel e ao perguntar para onde o garoto seria transferido, ouviu um "se vira!". Ainda não conseguimos falar com o dirigente da Leste 1, mas logo cedo tentaremos de novo e vamos pedir uma solução para o assunto. A mãe não quer que o filho continue na mesma escola onde sofreu bullying e ainda por cima foi expulso, mas não podemos deixar que a situação se repita com outros alunos. Vamos primeiro garantir a vaga do garoto numa escola melhor e depois divulgaremos o nome dessa escola que exige uniforme e expulsa alunos por motivo fútil. CONTINUA

12 agosto 2013

Bancos? Deixa quebrar!




Não, não estou autorizando ninguém a quebrar bancos! rs

Estou apenas contestando o absurdo prestígio de que os bancos, principalmente os grandes, gozam junto à população brasileira. Existe um imenso PAVOR de que os bancos possam quebrar. O país inteiro se assusta ao pensar que as instituições bancárias possam falir e assim se dobra ao seu domínio.

Justo os menores correntistas são os mais apavorados, como os aposentados ou até a dona de casa que, pela primeira vez em sua vida, recebeu um cartão de banco, no caso, do programa Bolsa-Família. Já pensou se esse rico dinheirinho for engolido na quebradeira?...

Saiba que ESSE PERIGO NÃO EXISTE! Todo correntista que tiver até R$ 100 mil no banco ou na poupança pode ficar tranquilo: mesmo que seu banco quebre, o governo garante a reposição desse dinheiro. E, provavelmente, 99% da população brasileira profissionalmente ativa têm menos de R$ 100 mil investidos em bancos. Ou não?

Pronto, está então comprovado que banco pode quebrar à vontade, isso só vai atingir 1% da população, que certamente possui muito mais do que R$100 mil, ou seja, propriedades, dinheiro no exterior etc. etc. Mas ainda não é a quebradeira dos bancos que estou propondo! rs

Este texto é apenas uma provocação para que o brasileiro pare de perceber seu banco como um "guarda-chuva" (lembram daquela esperta propaganda?...). É importante ter uma visão mais crítica e realista dessas instituições.

Lembro, ainda hoje, uma frase que ouvi de um dos ministros do famigerado ex-presidente e hoje indigesto senador, Fernando Collor: Banco é uma empresa cujo produto é dinheiro. Nem uma palavra sobre a função social dos bancos! E assim tem sido, desde então: bancos são tubarões que engolem, sim, o "rico" dinheirinho do povo e, principalmente, os ENORMES recursos dos impostos que TODOS pagamos.

(Pausa para reflexão. Durante esta pausa, lembre-se de que os bancos são as empresas mais lucrativas deste país e até as crianças sabem disto.)

Como é que o dinheiro dos nossos impostos vai parar nos bancos??? A vilã dessa história chama-se DÍVIDA PÚBLICA. É uma questão antiga que somente agora está começando a chamar a atenção da população mundial. Não através da grande mídia, claro, já que essa é financiada pelos bancos e pelos governos, que são os maiores anunciantes!

Olhe com atenção a "pizza" acima, que se explica por si só: 753 BILHÕES, ou seja, QUASE METADE DOS RECURSOS DO GOVERNO FEDERAL, foram usados, no ano passado, para pagar a tal DÍVIDA PÚBLICA. Não é balela, a informação é do Senado Federal! E a origem dessa dívida até hoje não foi explicada à população. Quando você pede um dinheiro emprestado, é por alguma necessidade, certo? Não é o que acontece no país! Há décadas, o Brasil emite títulos para... pagar JUROS SOBRE JUROS de uma dívida que não nos trouxe qualquer benefício! Os grandes beneficiários dessa dívida são bancos! É uma BOLSA-BANQUEIRO 35 vezes maior do que o programa Bolsa-Família!

E já que saímos às ruas por "20 centavos", veja outros dados:
R$ 753 bilhões dariam para manter a Tarifa Zero nos ônibus do Brasil por 40 anos!
R$ 753 bilhões são 10 vezes o valor gasto em Saúde no ano de 2012!
R$ 753 bilhões são 13 vezes o valor gasto em Educação no ano de 2012!

O Brasil não é o único país tão "endividado": vários países do mundo têm enormes "dívidas" públicas e estão em situação dramática, pois o pagamento de juros abusivos, escorchantes e na maioria das vezes ilegais, impede a realização de investimentos sociais. 

No entanto, um desses países, o Equador, conseguiu dar um enorme exemplo de coragem e determinação para o resto do mundo, ao se livrar da maior parte de sua dívida pública. Como? Fazendo uma AUDITORIA e comprovando, por A+B, que a maior parte dessa dívida era ilegítima (sem contrapartida), ilegal (contrariava a legislação local a internacional) e baseada em fraudes, como a renúncia à prescrição. A coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida, aqui do Brasil, participou dessa auditoria com toda a sua experiência. Com esse relatório em mãos, o presidente do Equador, Rafael Correa, usou uma estratégia brilhante: ofereceu aos credores apenas 30% do valor dos títulos e 95% deles aceitou vendê-los ao governo. Nenhum deles entrou na Justiça, pois sabia que não poderia ganhar uma causa baseada em ilegalidades, ilegitimidades e fraudes. Assim ficou comprovado que aquela "dívida", contraída pelos ex-presidentes do país, era fruto de especulação e beneficiava o mercado financeiro através do pagamento de juros abusivos e ilegais. Assim, o Equador conseguiu voltar a investir nas áreas sociais e o país pôde retomar o crescimento.

É por isso que não me importo com o futuro de bancos - ou melhor, de banqueiros - que lesam nossa pátria de forma criminosa e mesquinha. Seu desprezo para os clientes que possuem investimentos menores que R$  100 mil é muito evidente nas absurdas filas que o povo é obrigado a fazer. Por mim, esses bancos podem quebrar! rs

CONTINUA, mas já vá assistindo ao documentário grego DIVIDOCRACIA que mostra a questão da Dívida Pública em nível internacional: tutto il mondo è paese (o mundo é uma aldeia)!

06 agosto 2013

CONVITE - Entenda como enfrentar a DÍVIDA PÚBLICA!


Já falamos bastante aqui sobre a DÍVIDA PÚBLICA, agora até as crianças sabem o que é!
Venha então à AULA ABERTA sobre a DÍVIDA PÚBLICA, na próxima QUINTA-FEIRA, veja o convite!


Somente no ano de 2012 os gastos do Governo Federal com o pagamento de juros e amortizações da Dívida Pública consumiram 45% de todo orçamento da União, totalizando R$ 753 bilhões de reais. 

Mas afinal, de onde vem essa dívida?


Na aula aberta a Professora MARIA LÚCIA FATORELLI, ex-Auditora Fiscal da Receita Federal e fundadora da AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA, irá abordar diversas questões como: 


1 - A história da dívida

2 - O endividamento no Regime Militar
3- A ilusão do pagamento da dívida externa
4- Irregularidades e indícios de fraudes
6- A concentração de capital no sistema financeiro 
5- O acobertamento midiático
6- Como enfrentar essa questão, e muito mais.

O Brasil é um dos países que paga os juros mais altos do mundo, e mesmo com um orçamento altíssimo não consegue realizar os investimentos sociais tão necessários, devido à uma política de priorização total do pagamento da dívida pública aos grandes bancos nacionais e internacionais.


Participe, divulgue e conheça mais sobre essa questão fundamental que está na raiz dos problemas sociais do país.

01 agosto 2013

Socorro, o BRASIL tem cheque especial!

Uma cartilha cidadã para crianças... de todas as idades


O que são impostos?
É o dinheiro que todo cidadão paga para o governo. Sabe por que se chamam impostos? Porque eles... nos são impostos, ou seja, temos que pagar!

Mas quando é que o cidadão paga impostos para o governo?
Não dá pra resumir. Mas tem um tipo de imposto que você pode entender: uma parte do preço de todos os produtos são impostos e a loja ou a fábrica separa aquele dinheiro e deposita para o governo. Então, quando a gente compra algum produto, a gente está pagando impostos.

E o que o governo faz com esses impostos?
O governo se compromete a gastar esse dinheiro para melhorar nossa saúde, educação, segurança e outros serviços, chamados SERVIÇOS SOCIAIS.

Quem decide os impostos que vamos pagar?
O Brasil é uma democracia, ou seja, todas as decisões do governo são tomadas por nossos representantes, que nós próprios elegemos. Para quê? Para que o nosso país seja um lugar justo e bom para TODOS que nascem e vivem aqui.

Mas será que o Brasil é bom para todos? Como ficam os indígenas, por exemplo?
Nosso país é imenso e quando os portugueses chegaram, há pouco mais de 500 anos, já viviam indígenas aqui. Eles foram praticamente exterminados e aqueles que ainda vivem, nas reservas ou nas cidades, correm o risco de extinção. O Brasil não é um lugar justo e bom para os indígenas, temos uma grande dívida com eles e o governo quase não os ajuda! 

E os negros, o Brasil é bom para eles?
Os negros são uma parte da nossa população que contribuiu demais para o progresso da nação! Eles foram trazidos como escravos da África, sua libertação demorou demais e até hoje sua enorme contribuição não é valorizada pela sociedade. Os negros ainda sofrem muitos preconceitos, mas souberam se unir em movimentos sociais, cada dia exigem mais direitos do governo.

E para os pobres?
A grande maioria da população brasileira ainda é pobre, então é lógico que a maioria dos políticos eleitos representa os pobres. Mas muitos políticos se esquecem de suas promessas de campanha... Muitos se esquecem que são SERVIDORES PÚBLICOS,  cuidam dos interesses dos mais ricos, e esquecem justamente dos que mais precisam. 

Mas todos falam que o Brasil é um país rico! Por que então a população é pobre?
É verdade, o Brasil é um país rico, considerado a sétima economia do mundo! Ou seja, o povo produz muitas riquezas que são consumidas no país e também exportadas para o exterior. Mas a maioria da população brasileira é pobre, não consegue sustentar sua família com dignidade, nem recebe bons serviços de educação e saúde.

Então o governo precisa cobrar mais impostos?
Não, os impostos que o cidadão brasileiro paga são dos mais altos do mundo! Para o pobre, o pagamento dos impostos é um sacrifício, para o rico não pesa tanto no bolso.

Então, por que o povo brasileiro não recebe mais educação, saúde etc.?
Acontece que QUASE METADE dos impostos cobrados pelo governo não são usados para oferecer à população os SERVIÇOS SOCIAIS que poderiam nos garantir boa educação, saúde e segurança.

Mas então, para onde vão esses impostos???
Esse dinheiro todo, quase metade dos nossos impostos, serve para o governo pagar uma dívida que se chama DÍVIDA PÚBLICA.

Que dívida é essa??
Quando o governo quer fazer um investimento grande, tipo uma hidrelétrica, e precisa de muitos milhões de uma vez só, ele pode fazer de duas formas: ele pede esse dinheiro para os grandes bancos, ou ele vende papéis no mercado financeiro, chamados TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA.  Nas duas formas, o governo tem que pagar juros altos, ou seja, uma DINHEIRAMA todo mês. E um belo dia ele precisa também devolver o dinheiro que ele pegou emprestado, mais uma DINHEIRAMA! 

É uma dívida grande?
Sim, foram feitos vários empréstimos bancários MILIONÁRIOS e foram emitidos MUITOS títulos, a juros MUITO ALTOS. Os juros dos empréstimos no Brasil são OS MAIS ALTOS DO MUNDO!

Mas essa dívida nunca acaba?
Por causa das altas taxas de juros, a dívida virou uma bola de neve! O governo já pagou mais do que pediu emprestado e AINDA DEVE MUITO DINHEIRO.   É como cheque especial: você faz um empréstimo e as taxas são tão altas que não consegue pagar nem os juros! Chega uma hora que você vai vender até a calça para se livrar da dívida!

E como é que o Brasil vai sair dessa???
Pois é, o governo brasileiro está deixando de investir em saúde, educação e segurança, para pagar os juros da dívida! Tem mais: de repente, o tanto que já pagou de juros já acertou tudo o que o Brasil devia e a gente nem sabe. 

E como é que a gente fica sabendo?
Só fazendo um estudo muito bem feito, só um “Sherlock” muito esperto pra descobrir! Esse “Sherlock” existe e já está estudando essa dívida há pelo menos 13 anos!

Que “Sherlock” é esse?
É um grupo de pessoas que se uniram no ano 2000 e criaram a Auditoria Cidadã da Dívida, uma organização de cidadãos que conseguiram vários documentos e descobriram também outros “secretos”. A Auditoria Cidadã da Dívida tem um site com muitas outras cartilhas, vídeos e livros para adultos. Mostre para seus pais: www.auditoriacidada.org.br

E depois desse estudo, o que vai acontecer?
O “Sherlock” fez as contas e viu que em alguns casos já pagamos muito mais do que pedimos emprestado, então vai perguntar para o governo por que aceitou pagar os juros mais altos do mundo.

Mas essa dívida só existe no Brasil?
Outros países do mundo também têm uma grande DÍVIDA PÚBLICA e alguns pediram ajuda ao nosso “Sherlock”, ou seja, à Auditoria Cidadã da Dívida, para fazer as contas.  Um desses países é o Equador e o “Sherlock” brasileiro o ajudou a negociar sua dívida, que ficou pequenininha. Vamos então cuidar do que é nosso?

Mas o que significa Auditoria?
Auditoria é um estudo bem detalhado para saber se uma empresa ou um governo está cuidando direitinho das finanças e da contabilidade, para ver se o dinheiro foi bem utilizado, se existem irregularidades. Um auditor é um profissional muito competente e craque em matemática. 

E o que significa Auditoria Cidadã da Dívida?
É uma auditoria feita por um grupo de pessoas que não são do governo, são apenas cidadãos e não cobram pelo seu trabalho. Essas pessoas fazem esse trabalho de graça, para exercitar sua cidadania e ajudar o país a se desenvolver.

Como é que a Auditoria Cidadã da Dívida pode ajudar o nosso país?
Fazendo esse estudo e apresentando ao governo. Assim, o governo pode diminuir a DÍVIDA PÚBLICA e usar o dinheiro para melhorar a educação, a saúde e todos os SERVIÇOS SOCIAIS que o Brasil tanto precisa para se desenvolver.

Texto de Giulia Pierro, coordenadora do EducaFórum, revisado por
Carmen Bressane, coordenadora do Núcleo São Paulo da Auditoria Cidadã da Dívida