Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

Araraquara: que pena é essa?

No dia 18 de abril publicamos uma matéria muito pessimista sobre o esquema de desvio de verbas da educação em Araraquara (Leia a matéria aqui) e recebemos agora uma informação que nos permite ter um pingo de esperança. O resumo é que, no dia 21 de maio, o Diário Oficial do Estado publicou que a ex-dirigente Sandra Rossato recebeu pena de suspensão de 90 dias. Por qual crime...?
Aí é que está: o que a comunidade escolar de Araraquara sabe é uma coisa, mas o que consta do processo administrativo movido contra a ex-dirigente é puro tabu. Quando estivemos na SEE em 31 de março, para pedirmos ao novo coordenador da CEI seu posicionamento sobre a questão (Leia o relato de nossa reunião aqui), ele nos disse que conhecia o assunto apenas superficialmente, mas concordou que os processos administrativos são realizados de forma superficial e que fatos como empresas fantasmas e notas frias não são devidamente investigados.
É exatamente disso que se trata: a rede de ensino de Araraquara foi castigad…

Pobres cartunistas, rsrs

A repercussão da compra do livro Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, comentada no último post, foi absolutamente hilária. O que se leu na mídia em geral, inclusive em alguns blogs de renome, não foi a indignação pelo absurdo de se "escolher" um livro de quadrinhos destinado ao público adulto, para alunos de Terceira Série. A indignação geral foi em defesa dos "pobres cartunistas" autores do livro, cuja obra foi taxada de chula ou imoral...
Os cartunistas devem estar se matando de rir da ingenuidade da população, pois certamente estão lucrando bastante, já que as vendas do livro devem ter chegado à estratosfera. Um livro de quadrinhos com bastante palavrões e alusões a sexo, quem não quer, no país da "bunda"?... E certamente não é a periferia que vai correr atrás: o livro custa quase R$ 50,00 nas livrarias! Parece que a editora deu um bom desconto ao governo...
Nossa sociedade anda anestesiada a p…

Mídia nota zero - A série - IV

Do blog da Cremilda
O falso moralismo do jornal Folha de São Paulo
As reportagens SP distribui a escolas livro com palavrões (19/05) e Compra de livro com palavrão vai ser punida, afirma Serra (20/08) soam hipócritas, pois o jornal Folha de São Paulo também está sendo distribuído nas escolas e ele reproduziu alguns palavrões e outras expressões chulas do livro Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol. (leia aqui e aqui).
Não foi nenhuma surpresa constatarmos que a reportagem pseudo-moralista foi feita justamente pelo jornalista que acha a EE Lucia de Castro Bueno (Taboão da Serra-SP) "a melhor escola pública de SP"... Esse jornalista não acha imoral divulgar uma mentira... esse jornalista também não acha imoral fazer propaganda de um diretor-ditador que pré-seleciona seus alunos, expulsa os "mais fracos", ataca a democracia e governantes legitimamente eleitos pelo povo...
Aliás, recentemente tivemos prova do "moralismo-seletivo" do repórter e da Folha …

Mensagem de um aluno

Meu nome é Diego, sou de Barra Mansa, RJ. Eu estou escrevendo porque um dia desses eu encontrei o Blog de vocês. E quero dar-lhes os parabéns e agradecer por essa ajuda que vocês dão à sociedade! Gosto muito de ler o Blog e tento divulgá-los, pois é o mínimo que posso fazer por vocês!

Depois de ver escândalos, roubos de verbas e outras barbaridades políticas, achava que o Brasil não tinha mais jeito, pensava que não existiam pessoas honestas, e vocês mudaram completamente a minha concepção! Estou admirado pelo trabalho que fazem. Espero que continuem, e que algum dia alguém os ajude a ampliar essa solidariedade.

Eu quis fazer um curso mais a minha cara, que é direito. Porém esse curso é muito buscado e acabei me inscrevendo em vários vestibulares de universidades federais, mas não passei em nenhum! Como ultima solução, busquei o PROUNI, para um curso não muito concorrido que é Serviço Social. No caso, ele era a segunda opção! Sinceramente, eu juro ter até confundido com ciências sociais…

Projeto de primeiro mundo para crianças carentes. Vai pegar?...

Há vinte anos estamos andando em círculos: é uma trabalheira para reintegrar alunos expulsos da escola, garantir a vaga para os que são obrigados a pagar transporte porque a escola próxima de casa seleciona os alunos, pedir o afastamento de diretores e professores autoritários e/ou relapsos, quando não criminosos, etc. etc. Parece pouco, não é?
Mas é tanto trabalho que nunca conseguimos focar no âmago da questão, ou seja, a qualidade do ensino! Chegamos à conclusão de que a política educacional brasileira não vai mudar, ou seja, o tráfico de vagas não vai diminuir, os alunos vão continuar sendo expulsos, a aula vaga vai comer solta, diretores e professores autoritários e incompetentes permanecerão reinando na rede pública, porque... enquanto houver problemas tão graves, a qualidade do ensino vai ficar em segundo plano. E assim o apartheid disfarçado em que vive nossa sociedade vai continuar ad aeternum.
Trocando idéias com a amiga Cremilda, chegamos à conclusão de que os governos federa…

Mídia nota zero - A série - III

Já cansamos de alertar sobre os riscos que os alunos da escola pública correm diariamente. Os 25% de aulas vagas que eles "recebem" não prejudicam apenas seu desenvolvimento e seu futuro. Muitas vezes, os alunos são sumariamente dispensados já no portão da escola ou após uma ou duas aulas. Outras vezes, eles são largados na quadra ou no pátio sem supervisão e se machucam. Ficou "famoso" o caso do garoto que quebrou os pulsos, não foi socorrido e até foi impedido de usar o celular para ligar para a mãe. Numa atitude inédita, Gustavo Ioschpe fez um apelo nacional através da revista Veja, buscando um advogado que apoiasse a família do aluno numa ação contra o Estado, mas ninguém se dispôs a enfrentar a impunidade nos crimes da escola no Brasil.
Os dois casos relatados a seguir pela Cremilda são ainda mais graves, mas foram recebidos friamente pela mídia: uma aluna dispensada após duas aulas foi assassinada a caminho de casa e duas alunas impedidas de entrar na escola…

Mídia nota zero - A série - II

Este segundo post da nova série Mídia nota zero reforça tudo o que foi falado no primeiro,
http://educaforum.blogspot.com/2009/05/midia-nota-zero-serie-i.html.
Há mais de uma semana, a mídia maria-vai-com-as-outras não encontra outro assunto a tratar, além da suposta “melhor escola” da rede estadual de São Paulo, a EE Lúcia de Castro Bueno. Após o Jornal da Tarde e o Agora São Paulo, comentados no post anterior, a Folha de São Paulo deu destaque ao assunto, repetindo as mesmas lengalengas e não avançando em nada na informação sobre a qualidade do ensino na rede pública - se é que a mídia tem algum interesse em promover uma investigação neste sentido...
A entrevista dada pelo diretor da escola à Folha de São Paulo em 04/05 (“Governo do Estado só me atrapalha”) mostra a inabilidade do jornalista Fábio Takahashi, que aumenta um ponto à incompetência do Jornal da Tarde e do Agora São Paulo em suas matérias anteriores. A Folha também não se preocupa em esclarecer aos leitores que os resultado…

Escola pública: a vítima é sempre culpada

Em 8 de outubro de 2007 estivemos no gabinete do Secretário Alexandre Schneider acompanhando duas mães e seus filhos, alunos da EMEF Imperatriz Dona Amélia, para relatarem denúncias da escola, denúncias agravadas por perseguições e represálias. As mães haviam decidido visitar a SME após terem ouvido o Secretário declarar, em um programa de rádio, que estava aberto ao diálogo com a comunidade. Na época, ele não se dispôs a atendê-las, as denúncias deram em "apuração preliminar" e o resultado só foi informado às mães alguns dias atrás, quando, por coincidência, o Secretário finalmente aceitou agendar uma reunião com elas. Entretanto, elas não receberam cópia do processo, apenas leram o resumo, monitoradas por funcionárias da SME. O resultado lido deu na responsabilização das próprias mães, dentro da prática mais comum na rede pública de ensino: culpar a vítima.

Quem acompanhou o caso desde o início sabe do que estamos falando. A situação ficou ainda mais grave, pois suspeitamos…

Mídia nota zero - A série - I

Nada pode ser pior, em um país dito democrático, do que uma mídia desinformada e preguiçosa, para não dizer dependente das verbas públicas para sobreviver ou manter o padrão de vida de seus editorialistas, chegados a um bom charuto e whisky 16 anos...
No Brasil, não existe jornalismo investigativo na educação. Quem manda na mídia são os sindicatos das categorias "docentes", que manipulam os meios de comunicação a bel prazer.
Apenas um exemplo, entre os que daremos durante esta nova série, que promete ser longa:
É de grande interesse da classe "docente" acabar com a progressão continuada, que dá muito trabalho. Não que ela seja efetivamente praticada, ela está apenas no papel, mas "pegaria mal" para dirigentes e supervisores de ensino, diretores de escola, coordenadores "pedagógicos" e professores, se "um dia" a mídia finalmente investigasse e divulgasse o descalabro que é o sistema de ensino de modo geral: planejamento deficiente e mesm…