26 janeiro 2011

O olho do dono


O novo secretário estadual da educação, Prof. Hermann Voorwald, declarou que tem dialogado com diversos sindicatos. E os pais de alunos, não vai consultar? Não é o olho do dono que engorda o boi?... Preocupados com essa falha, protocolamos o seguinte pedido de reunião, acompanhado de sugestões que podem surtir melhoras imediatas em toda a rede. Vamos assim acabar com o discurso vazio de que os pais de alunos só apresentam queixas e não contribuições.




São Paulo, 25 de janeiro de 2011

Prof. Hermann Voorwald

Secretário Estadual da Educação

Prezado Secretário,

Desejamos que venha a ser bem sucedido no grande desafio que será administrar a rede estadual de ensino de São Paulo!

Lemos na mídia que V.Sa. está aberto ao diálogo e que já contatou diversos sindicatos. Gostaríamos de saber se há, de sua parte, interesse em dialogar também com os pais de alunos, segmento que não costuma ser consultado pela SEE. Aliás, não existe nenhum canal de comunicação da Secretaria com os pais, o que existe é a crença equivocada de que o segmento pais de alunos é representado nos Conselhos de Escola, quando na verdade a real participação dos pais é boicotada desde a “eleição” dos Conselhos, que não passa de nomeação... A maioria dos profissionais da educação pensa que os pais não são qualificados para questionar ou dar sugestões à escola. Esperamos que V.Sa. não faça parte desse grupo.

Somos um fórum aberto a ONGs, alunos e pais de alunos de todo o Brasil, mas principalmente de São Paulo, onde nossos próprios filhos foram educados, em escolas públicas. Iniciamos este trabalho há mais de 20 anos e continuamos apoiando outros pais na difícil tarefa de não apenas manter seus filhos na escola, mas de garantir que seus direitos sejam respeitados.

Sr. Secretário, acredite: a rede de ensino que V.Sa. se propõe a administrar é autoritária e não admite a participação dos pais de alunos, tratados de alto a baixo por “educadores” que muitas vezes não merecem esse nome. Não estamos generalizando, mas podemos afirmar que a maioria dos pais que se atrevem a fazer questionamentos, críticas ou apenas sugestões na escola é discriminada e muitas vezes recompensada com a perseguição dos filhos.

Não tivemos “sorte” com seu antecessor Paulo Renato, que nunca nos recebeu pessoalmente. Temos tido reuniões com os coordenadores da COGSP e da CEI, mais frequentemente com o professor José Benedito, mas, até hoje, recebemos ajuda apenas para resolver pequenos problemas que os pais e alunos nos trazem. Nas questões maiores nunca conseguimos ser ouvidos.

Seguem algumas sugestões que costumamos encaminhar TODO ANO para a SEE, mas que até hoje não foram sequer levadas em consideração. Pedimos a oportunidade de poder discuti-las com V.Sa, em reunião na SEE. Queremos crer que V.Sa. tenha espírito democrático suficiente para abrir o diálogo também conosco, pais de alunos com 20 anos de experiência e contatos com inúmeras escolas da rede.

  • Eleição dos Conselhos de Escola no mesmo dia em cada município - Todos os anos propomos que essa eleição seja feita no mesmo dia em cada município para todas as escolas, sendo precedida por campanha através da mídia, esclarecendo a importância da participação da comunidade e repudiando as costumeiras "panelas" que já cansamos de denunciar em nossos blogs. Nosso artigo Gestão participativa na escola - A exclusão da comunidade, já disponibilizado em 2007, contém todas as dicas para tornar a eleição dos Conselhos de Escola e a Gestão Participativa um sucesso.

  • Eleição direta para Diretores de Escola - Como já demonstramos muitas vezes, a indicação política, a "dança das cadeiras" e o boicote dos maus profissionais aos bons diretores prejudicam demais as escolas públicas. Desde que a comunidade esteja livre das influências de maus sindicalistas e que o Conselho de Escola seja realmente democrático, a melhor opção é a eleição direta para diretor, pois a comunidade sabe quais são os melhores profissionais e os pais não têm problemas em divulgar sua opinião, quando não temem que os filhos sejam perseguidos dentro da escola. Bom diretor não faz estardalhaço, nem precisa ganhar prêmios ou aparecer na mídia para mostrar o valor do seu trabalho, que é comprovado pelo IDEB ou IDESP de sua escola, além dos projetos que ele implanta para garantir o aprendizado dos alunos.

  • Divulgação do Regimento Escolar e da Legislação educacional - Todo ano é a mesma coisa: os alunos e os pais não são devidamente informados sobre o regimento da escola e muito menos sobre a legislação da educação. Isso permite que os maus diretores elaborem regimentos internos com cláusulas ilegais e até inconstitucionais. Por exemplo: como já divulgamos exaustivamente (a Lei 3.913 encontra-se rolando a barra lateral direita do blog EducaFórum), a rede estadual de São Paulo proíbe a cobrança de taxas e a obrigatoriedade do uso do uniforme, mas a maioria das escolas tenta legitimar essas práticas através de seu regimento interno. A questão é séria, pois até a Ouvidoria da Educação e o dirigente da Sul 3 soltaram um comunicado mentiroso declarando que a Lei 3.914 teria sido suprimida pela Lei Federal 8.907, que de forma alguma obriga os alunos a usar uniforme,como foi confirmado pela Divisão de Pesquisa Jurídica da Assembléia Legislativa! (Essa documentação se encontra em poder do professor José Benedito) Devido à incompetência geral, sugerimos que o regimento escolar e a legislação pertinente sejam afixados em quadros protegidos por vidros no saguão de todas as escolas, para que fiquem ao alcance de toda a comunidade e que seu conteúdo possa ser lido e compreendido por alunos, professores e pais.

  • Cursos para profissionais afastados por mau comportamento ou corrupção - Esse é um problema crônico e gravíssimo: os diretores, professores e demais profissionais afastados das escolas por mau comportamento acabam "perambulando" pela rede, distribuídos em outras unidades, gabinetes e nas diretorias de ensino, que nos parecem Latas do lixo da educação. Além de continuar recebendo salário pago com o suado dinheiro dos nossos impostos, eles não desempenham função útil e, mesmo de longe, tentam se vingar de quem os denunciou, através de intrigas e calúnias. Já que não podem ser demitidos, devido a uma legislação ultrapassada, nossa sugestão é que sejam criadas "escolas de recuperação educacional" de tempo integral, onde esses profissionais possam aprender ÉTICA, PSICOLOGIA, SOCIOLOGIA, PEDAGOGIA, FILOSOFIA e LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL.

Sr. Secretário, esta é apenas uma pauta inicial, sendo que o diálogo conosco poderá esclarecer muitos outros assuntos que envolvem a comunidade escolar.

Agradecemos a atenção e ficamos no aguardo do agendamento de uma reunião através do e-mail educaforum@hotmail.com

Atenciosamente,

PAIS, ALUNOS, EDUCADORES E CIDADÃOS QUE LUTAM PELA ESCOLA PÚBLICA E PELA CIDADANIA

EducaFórum - Giulia Pierro / Vera Vaz

Napa – Núcleo de apoio a pais e alunos – Cremilda Estella Teixeira

Coep – Comunidade de olho na escola pública – Mauro Alves da Silva

PaisOnline – Caroline Miles

Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Marsilac - Manuel Tertuliano

23 janeiro 2011

Seu filho é municipal, estadual ou federal???


Como todo ano, iniciou em novembro a temporada de trapalhadas na distribuição de vagas na rede pública de São Paulo e, até hoje, algumas crianças ainda não sabem onde vão estudar, pois são jogadas, como bolinhas de ping-pong, entre uma escola e outra, entre uma rede e outra.

A falta de transparência e a complicação dos acordos entre a secretaria estadual e a municipal deixam os pais completamente loucos.

De uma vez por todas: o aluno tem direito a vaga na escola mais próxima de sua residência, principalmente se tiver irmãos estudando na mesma. Caso a escola próxima negue vaga para seu filho e você saiba que a escola aceitou alunos que moram mais longe, entre em contato pelo e-mail educaforum@hotmail.com!

Outra coisa: sob nenhum pretexto, a escola pode negar a rematrícula para seu filho, no final do ano letivo! Caso isso aconteça, também nos informe.

Mais uma vez: A CRIANÇA NÃO É MUNICIPAL, ESTADUAL OU FEDERAL. Ela não pode ser prejudicada pelas trapalhadas do sistema "des"integrado de matrículas!

22 janeiro 2011

A escola tabu nº 22 - Sadismo em todos os níveis

Se a escola brasileira é tabu desde a primeira infância, onde a criança pode ser vítima dos piores crimes sem que os pais tenham a mínima noção, nas escolas militares é que certamente se escondem os maiores segredos. Nessas, não haverá câmeras de vídeo para revelar os abusos de autoridade, a crueldade, a arrogância de um sistema de "ensino" baseado na subjugação dos mais novos aos mais velhos. E mais: se até nos graus inferiores os alunos são proibidos de usar o celular, imagine o que aconteceria a um aluno de escola militar que se atrevesse a filmar cenas de abuso!





Esta notícia surpreende apenas por ter vindo a público. A divulgação é devida a alguns pais desesperados por notícias, que em nenhum caso viriam da escola. Já dá para imaginar o resultado dessa "sindicância": mais uma vez as vítimas serão culpadas do crime a que foram submetidas, ou seja, correr sob o sol com peso nas costas e sem hidratação. O almirante só faltou dizer que esses alunos eram "mulherzinhas"; e pode apostar que nos bastidores a fala foi essa mesma, rs...

Agradecemos à professora Glória Reis por ter divulgado essa notícia, que certamente não vai ocupar as primeiras páginas dos jornais, como tudo que diz respeito às violações de direito que ocorrem nas escolas brasileiras.

20 janeiro 2011

À Corregedoria Geral da Administração

Prezado Corregedor,

Segue denúncia protocolada ontem, referente aos tumultos provocados na EE Lucas Roschel Rasquinho (DE Sul 3) por calúnias que levaram à demissão da diretora e lançaram a escola no marasmo durante o 2º semestre do ano passado. Nossa indignação é enorme, pois não conseguimos entender como mentiras absurdas e anônimas possam ter sido levadas a sério pela COGSP. Uma delas sustentava até que a diretora subornava o dirigente da Sul 3 e a supervisora para manter-se no cargo. O DIRIGENTE, POR ACASO, NÃO SABIA QUE NÃO RECEBIA PROPINA DA DIRETORA??? Outra calúnia dizia que a diretora batia nos alunos, “principalmente da 7ª Série”. NÃO SERIA FÁCIL DESMASCARAR RAPIDAMENTE ESSAS MENTIRAS, EM VEZ DE MOVIMENTAR UMA INVESTIGAÇÃO GIGANTESCA E PERMITIR QUE A ESCOLA FICASSE UM SEMESTRE INTEIRO EM PÉ DE GUERRA? Pedimos encarecidamente que nossa denúncia seja lida com atenção e que seja FEITA JUSTIÇA, pois essa não é a única escola da Diretoria Sul 3 em que maus profissionais, agitados pela APEOESP, agem anonimamente para afastar diretores que exigem deles TRABALHO, RESPONSABILIDADE, PONTUALIDADE E ASSIDUIDADE. Temos informações da comunidade da Sul 3 de que a EE Lucas Roschel Rasquinho é a quarta escola onde calúnias e difamação resultaram no afastamento de ótimos diretores. ESSA É A INVESTIGAÇÃO QUE A COGSP DEVERIA FAZER E NÃO FAZ, APESAR DE NOSSOS REITERADOS ALERTAS!

E d u c a F ó r u mhttp://educaforum.blogspot.com/

São Paulo, 15 de janeiro de 2011

Corregedoria Geral da Administração
do Estado de São Paulo

Ref.: EE Lucas Roschel Rasquinho (Parelheiros) – Diretoria de Ensino Sul 3 -
Calúnia e difamação contra diretora que tentou moralizar a escola tumultuaram e deixaram alunos sem aula durante o segundo semestre de 2010.


Prezado Corregedor,

A diretora da EE Lucas Roschel Rasquinho, Mathilde Sciré, sofreu uma apuração preliminar baseada em calúnias e mentiras do mais baixo nível, feitas de forma anônima por professor(es) da escola. Antes ainda da divulgação do relatório final, a diretora foi sumariamente demitida.

A Secretaria da Educação levou para apuração uma “denúncia” absurda, formulada com palavras de baixo calão e inúmeros erros de português, redigida por "educadores" que não tiveram a coragem de se identificar. A seguir, alguns trechos da "denúncia" que resultou na

APURAÇÃO PRELIMINAR 2254/0014/2010:
CONDUTA IRREGULAR – ASSÉDIO MORAL E ABUSO DE AUTORIDADE / 27/09/2010

PEDIMOS PROVIDÊNCIA URGENTISSIMA NO AFASTAMENTO DA DIRETORA QUE AGRIDE PROFESSORES, ALUNOS E COMUNIDADE DE FORMA VERBAL E FÍSICA, COMETE RACISMO E HUMILHAÇÕES.

ESSA DIRETORA É LADRA, INCOMPETENTE, INCAPAZ, INTERESSADA APENAS EM LEVAR A SUA PARTE, QUE SÃO 40% DO TOTAL DAS VERBAS.

BATE NOS ALUNOS QUE NÃO GOSTA, PRINCIPALMENTE ALUNO DA 7ª SERIE, CHAMA A MÃE NA ESCOLA, FALA QUE SEU FILHO É ANIMAL E NÃO PRESTA, FAZ GESTOS OBCENOS E FALA PALAVRÃO.

DIZ AOS ALUNOS PARA NÃO ASSISTIREM AULA, QUE NÃO TEM IMPORTÃNCIA, QUE SERÃO PROMOVIDOS DO MESMO JEITO. NÓS SOMOS EDUCADORES E NÃO PODEMOS PASSAR POR ESSA HUMILHAÇÃO. URGÊNCIA URGENTISSIMA AFASTAR ESSA DIRETORA!

PASSA A MÃO NA CABEÇA DE ALUNO VAGABUNDO E AGRIDE OS PROFESSORES, PRINCIPALMENTE LUANA, MARCIO, MARINA, JANAÍNA, MEIRE. FALA QUE VAI SUBSTITUIR A VICE E OS COORDENADORES. SE FOREM DESPEDIDOS VAMOS PARAR TUDO E CRUZAR OS BRAÇOS ATÉ A VOLTA DOS MESMOS!!

SAEM CAIXAS FECHADAS DE MATERIAL PEDAGÓGICO, DE LIMPEZA E MERENDA ESCOLAR NO CARRO DELA, DÁ CESTAS BÁSICA PARA O PESSOAL DA LIMPEZA E PARA O BAZAR DE UMA FUNCIONÁRIA QUE REVENDE ESSE MATERIAL.

FAZ FESTA DE ANIVERSÁRIO PARA FAMÍLIA DE FUNCIONÁRIA DENTRO DA ESCOLA, UMA SACANAGEM!

RECEBE PEDÁGIO DE 40% DE CADA COMPRA QUE FAZ COM VERBA DA ESCOLA, PODEMOS COMPROVAR CARA A CARA!

AUTORIZA VENDA DE DROGAS NA ESCOLA E LEVA PERCENTAGEM! PERMITE QUE ALUNOS TRANZAM NO BANHEIRO. CASO A COGSP NÃO TOME PROVIDÊNCIA IREMOS A PROMOTORIA E ATÉ BRASÍLIA FALAR COM LULA QUE CUIDA PELOS POBRES, NÃO É COMO JOSÉ SERRA QUE SE ESQUECE DE ADMINISTRAR SÃO PAULO.

ROUBOU O LUGAR DO GESTOR ADALBERTO QUE FAZIA ESCOLA DA FAMILIA. LEVA ALUNOS PARA SUA SALA POR 2 OU 3 HORAS, PARA SEDUZIR E FAZER LAVAGEM CEREBRAL. OS ALUNOS SAEM DE LÁ E FALAM QUE OS PROFESSORES SÃO BOSTA. INCENTIVA A VIOLÊNCIA DENTRO DA ESCOLA.

ELA FALA QUE DÁ PRESENTES CARÍSSIMOS PARA O DIRIGENTE E A SUPERVISORA E PAGA POR MES PRA FICAR NO CARGO DURANTE 3 ANOS, DEPOIS FODAM-SE... AMEAÇA QUE É PARENTE E AMIGA DA POLICIA FEDERAL PERSEGUE E AMEAÇA NOSSOS FILHOS.

PEDIU PRA FAZER ABAIXO ASSINADO A FAVOR DELA E PAGOU 1 LITRO DE LEITE PARA CADA UM QUE ASSINOU.

QUEREMOS ELA FORA DA ESCOLA E SUBSTITUIDA PELA VICE DIRETORA MARIA, ESSA É A SALVAÇÃO DA ESCOLA! SE ELA VOLTAR DIA 08/09/10 NÃO PONHA OS PÉS, ESTAMOS FURIOSOS, CUIDADO, É UMA MULTIDÃO!

PEDIMOS PARA A COGSP BANIR ESSA DIRETORA DE TODAS AS ESCOLAS DE SÃO PAULO E DO BRASIL.

ASSINADO: A COMUNIDADE ESCOLAR NO GERAL
23 de agosto de 2010
(texto digitado no computador, sem assinaturas de próprio punho ou digitalizadas)


Prezado Corregedor,

Até a vice-diretora, que é apontada pelos "denunciantes" como SALVAÇÃO, afirma em seu depoimento que NEM A ESCOLA NEM A DIRETORA MERECIAM VIVENCIAR ESSA VERGONHA E QUE TUDO NÃO PASSOU DE INTRIGA!

Ninguém, absolutamente ninguém dos chamados a depor na apuração, apareceu para COMPROVAR CARA A CARA que a diretora era LADRA e embolsava 40% das verbas da escola. Muito menos apareceu alguém para afirmar que a diretora AUTORIZAVA VENDA DE DROGAS NA ESCOLA E LEVAVA PERCENTAGEM. AGRESSÕES FÍSICAS?! Ninguém testemunhou isso. Que calúnias graves e que prejuízo para a escola, que parou durante meses!

Quanto às CAIXAS FECHADAS DE MATERIAL PEDAGÓGICO, DE LIMPEZA E MERENDA ESCOLAR QUE CARREGAVA NO CARRO DELA, todos os depoentes desmentiram que viram isso, MENOS um coordenador "pedagógico" que disse para um aluno, com os pés sobre a mesa, que ele seria retido por causa das faltas de um tal professor que "ia muito para Brasília"... Essa história foi contada pelo pai desse mesmo aluno em reunião de 26/11 na COGSP. Esse pai, inclusive, atribuiu as mazelas da escola à IRRESPONSABILIDADE DOS PROFESSORES e não à diretora!

Aliás, o que se leu nos depoimentos dessa apuração preliminar foi que os professores DORMIAM EM SALA DE AULA, JOGAVAM BARALHO, OS INSPETORES FICAVAM NO ORKUT E NO TELEFONE TRATANDO DE ASSUNTOS PARTICULARES, DE FORMA QUE NINGUÉM CONSEGUIA LIGAR PARA A ESCOLA.

Leu-se também QUE A ESCOLA FICOU PRATICAMENTE SEM AULAS DURANTE 3 MESES DURANTE O AFASTAMENTO DA DIRETORA E QUE OS PROFESSORES FAZIAM REUNIÕES DIRETO EM HORÁRIO DE AULA COM A APEOESP PARA DERRUBÁ-LA DEFINITIVAMENTE, AMEAÇANDO OCORRER COISA SÉRIA SE ELA VOLTASSE.

Belíssimo, o depoimento da própria diretora, rebatendo uma a uma todas as calúnias e perguntando: CHAMAR OS PROFESSORES À RESPONSABILIDADE SERIA POR ACASO ASSÉDIO MORAL? Ela declarou que não ameaçava demitir ninguém: DEMITIA MESMO, SE NÃO DEMONSTRASSE PONTUALIDADE, ASSIDUIDADE E COMPROMISSO COM O ALUNO. No final, ela lança uma pergunta que vale um minuto de silêncio:

SE ESSES PROFESSORES FORAM CAPAZES DE AFASTAR UM DIRETOR, DO QUE SERÃO CAPAZES EM SALA DE AULA, COM OS ALUNOS?...

Prezado Corregedor, nosso interesse não é defender diretor ou profissional do ensino, mas lutar por uma escola boa PARA O ALUNO. Isso passa também pelo apoio aos bons profissionais, os verdadeiros educadores, cada vez mais raros na rede pública, contaminada por gente corrupta em todos os escalões, a ponto de permitir o domínio das escolas por indivíduos sem escrúpulos.

Segue o link de um vídeo em que a APEOESP incita a comunidade da escola contra a diretora, no dia 20 de outubro passado: http://educaforum.blogspot.com/2011/01/calunia-e-difamacao.html
Após terem ouvido a mentira de que a diretora teria chamado a comunidade de “porca”, toda a escola se voltou contra ela. Por outro lado, nenhum dos manifestantes teve a coragem de repetir, no vídeo, as graves calúnias contidas na denúncia ANÔNIMA que resultou na apuração preliminar, o que comprova a falsidade das mesmas.

Senhor Corregedor, a EE Lucas Roschel Rasquinho é uma escola domInada pela banda podre e pela APEOESP, no mínimo desde 2008, quando recebemos as primeiras denúncias de pais e alunos a respeito da então diretora, do corpo docente relapso e da decadência da unidade. Finalmente, em 2009, a diretora Mathilde conseguiu moralizar a escola e elevar o IDESP, mas teve a ingenuidade de aceitar sair de licença-prêmio após o início dos tumultos, ocorridos porque DEU FALTA AOS PROFESSORES QUE PARTICIPARAM DA GREVE ILEGAL DE 2010! A idéia de ela sair de licença-prêmio foi do dirigente Samuel, para “ela voltar depois que a poeira baixasse”. Ela nunca mais conseguiu voltar à escola, pois foi demitida antes ainda do final da apuração, que foi arquivada por falta de provas.

O que será agora da EE Lucas Roschel Rasquinho, dominada por profissionais relapsos e pela APEOESP? Pedimos encarecidamente sua investigação, para que essa escola e seus alunos possam voltar a viver dentro de um clima de JUSTIÇA.

Agradecemos sua atenção!

Atenciosamente
EducaFórum

PAIS, ALUNOS, EDUCADORES E CIDADÃOS QUE LUTAM PELA ESCOLA PÚBLICA E PELA CIDADANIA
http://educaforum.blogspot.com/

15 janeiro 2011

Calúnia e difamação

Você, que leu o post anterior sobre a denúncia anônima acolhida pela Secretaria da Educação contra a diretora da EE Lucas Roschel Rasquinho e cuja apuração preliminar concluiu pela não procedência das graves calúnias, assista agora ao vídeo da manifestação organizada pela APEOESP no dia 20 de outubro passado, para a qual havia sido convocada toda a comunidade escolar, durante reuniões em que o nome da diretora foi difamado por mentiras. A pergunta que não quer calar: esses caluniadores vão ficar impunes???


14 janeiro 2011

Do que serão capazes?...


Quem nos segue há pelo menos três anos pôde acompanhar a saga da EE Lucas Roschel Rasquinho, uma escola da extrema periferia de São Paulo, castigada por um corpo "docente" relapso e descompromissado com o aluno, esse "pivete" culpado pelo fracasso da escola. Na mesma região, que pertence à Diretoria de Ensino Sul 3, outras unidades passam pela mesma situação: diretores competentes e bem intencionados sofrem ameaças e calúnias de extrema gravidade, até pedirem demissão ou serem afastados pelas manobras da banda podre que domina essas escolas. Em outra unidade da região, a EE Joaquim Álvares Cruz, a diretora foi ameaçada de morte pela corja que domina a escola, até pedir afastamento uma semana antes de saber que seu projeto de gestão havia sido indicado ao prêmio Mais Educação, do governo federal.

As manobras que levaram ao afastamento dessas boas profissionais são sórdidas e mostram a má fé dos supervisores e do dirigente de ensino, que poderiam evitar esse prejuízo para os alunos da região.

A diretora da EE Lucas Roschel Rasquinho sofreu uma "apuração" baseada em calúnias e mentiras do mais baixo nível, feitas de forma anônima por professores da escola. Antes ainda da divulgação do relatório final, essa diretora foi sumariamente demitida. Só mesmo um dirigente compromissado com a banda podre levaria para apuração uma denúncia anônima com palavras de baixo calão e inúmeros erros de português, redigida por "educadores" que não tiveram a coragem de se identificar. A seguir, alguns trechos da "denúncia":

PEDIMOS PROVIDÊNCIA URGENTISSIMA NO AFASTAMENTO DA DIRETORA QUE AGRIDE PROFESSORES, ALUNOS E COMUNIDADE DE FORMA VERBAL E FÍSICA, COMETE RACISMO E HUMILHAÇÕES.

ESSA DIRETORA É LADRA, INCOMPETENTE, INCAPAZ, INTERESSADA APENAS EM LEVAR A SUA PARTE, QUE SÃO 40% DO TOTAL DAS VERBAS.

BATE NOS ALUNOS QUE NÃO GOSTA, PRINCIPALMENTE ALUNO DA 7ª SERIE, CHAMA A MÃE NA ESCOLA, FALA QUE SEU FILHO É ANIMAL E NÃO PRESTA, FAZ GESTOS OBSCENOS E FALA PALAVRÃO.

DIZ AOS ALUNOS PARA NÃO ASSISTIREM AULA, QUE NÃO TEM IMPORTÃNCIA, QUE SERÃO PROMOVIDOS DO MESMO JEITO. NÓS SOMOS EDUCADORES E NÃO PODEMOS PASSAR POR ESSA HUMILHAÇÃO. URGÊNCIA URGENTISSIMA AFASTAR ESSA DIRETORA!

PASSA A MÃO NA CABEÇA DE ALUNO VAGABUNDO E AGREDE OS PROFESSORES, PRINCIPALMENTE LUANA, MARCIO, MARINA, JANAÍNA, MEIRE. FALA QUE VAI SUBSTITUIR A VICE E OS COORDENADORES. SE FOREM DESPEDIDOS VAMOS PARAR TUDO E CRUZAR OS BRAÇOS ATÉ A VOLTA DOS MESMOS!!

SAEM CAIXAS FECHADAS DE MATERIAL PEDAGÓGICO, DE LIMPEZA E MERENDA ESCOLAR NO CARRO DELA, DÁ CESTAS BÁSICA PARA O PESSOAL DA LIMPEZA E PARA O BAZAR DE UMA FUNCIONÁRIA QUE REVENDE ESSE MATERIAL.

FAZ FESTA DE ANIVERSÁRIO PARA FAMÍLIA DE FUNCIONÁRIA DENTRO DA ESCOLA, UMA SACANAGEM!

RECEBE PEDÁGIO DE 40% DE CADA COMPRA QUE FAZ COM VERBA DA ESCOLA, PODEMOS COMPROVAR CARA A CARA!

AUTORIZA VENDA DE DROGAS NA ESCOLA E LEVA PERCENTAGEM! PERMITE QUE ALUNOS TRANZAM NO BANHEIRO. CASO A COGSP NÃO TOME PROVIDÊNCIA IREMOS A PROMOTORIA E ATÉ BRASÍLIA FALAR COM LULA QUE CUIDA PELOS POBRES, NÃO É COMO JOSÉ SERRA QUE SE ESQUECE DE ADMINISTRAR SÃO PAULO.

ROUBOU O LUGAR DO GESTOR ADALBERTO QUE FAZIA ESCOLA DA FAMILIA. LEVA ALUNOS PARA SUA SALA POR 2 OU 3 HORAS, PARA SEDUZIR E FAZER LAVAGEM CEREBRAL. OS ALUNOS SAEM DE LÁ E FALAM QUE OS PROFESSORES SÃO BOSTA. INCENTIVA A VIOLÊNCIA DENTRO DA ESCOLA.

ELA FALA QUE DÁ PRESENTES CARÍSSIMOS PARA O DIRIGENTE E A SUPERVISORA E PAGA POR MES PRA FICAR NO CARGO DURANTE 3 ANOS, DEPOIS FODAM-SE... AMEAÇA QUE É PARENTE E AMIGA DA POLICIA FEDERAL PERSEGUE E AMEAÇA NOSSOS FILHOS.

PEDIU PRA FAZER ABAIXO ASSINADO A FAVOR DELA E PAGOU 1 LITRO DE LEITE PARA CADA UM QUE ASSINOU.

QUEREMOS ELA FORA DA ESCOLA E SUBSTITUIDA PELA VICE DIRETORA MARIA, ESSA É A SALVAÇÃO DA ESCOLA! SE ELA VOLTAR DIA 08/09/10 NÃO PONHA OS PÉS, ESTAMOS FURIOSOS, CUIDADO, É UMA MULTIDÃO!

PEDIMOS PARA A COGSP BANIR ESSA DIRETORA DE TODAS AS ESCOLAS DE SÃO PAULO E DO BRASIL.

Assinado: A COMUNIDADE ESCOLAR NO GERAL
23 de agosto de 2010


Já vomitou?... Pois é, eu passei mal ao ler essa "denúncia", de um modo geral bem mais extensa e com vocabulário muito mais chulo do que os trechos que copiei. Me pergunto como é que um dirigente recebe um "documento" anônimo como esse e perde 3 meses para "apurar"... absolutamente nada! Até a vice-diretora, que é apontada pelos "denunciantes" como SALVAÇÃO, afirma em seu depoimento que NEM A ESCOLA NEM A DIRETORA MERECIAM VIVENCIAR ESSA VERGONHA E QUE TUDO NÃO PASSOU DE INTRIGA!

Ninguém, absolutamente ninguém dos chamados a depor na apuração, apareceu para COMPROVAR CARA A CARA que a diretora era LADRA e embolsava 40% das verbas da escola. Muito menos apareceu alguém para afirmar que a diretora AUTORIZAVA VENDA DE DROGAS NA ESCOLA E LEVAVA PERCENTAGEM. AGRESSÕES FÍSICAS?! Ninguém testemunhou isso. Gente, que calúnias graves!!!

Quanto às CAIXAS FECHADAS DE MATERIAL PEDAGÓGICO, DE LIMPEZA E MERENDA ESCOLAR QUE CARREGAVA NO CARRO DELA, todos os depoentes desmentiram que viram isso, MENOS adivinha quem?... Aquele coordenador "pedagógico" que disse para um aluno, com os pés sobre a mesa, que ele seria retido por causa das faltas de um tal professor que "ia muito para Brasília"... Lembra dessa história, contada pelo pai desse mesmo aluno na reunião de 26/11 na COGSP e que atribuiu as mazelas da escola à IRRESPONSABILIDADE DOS PROFESSORES e não à diretora??

Aliás, o que se leu nos depoimentos dessa apuração foi que os professores DORMIAM EM SALA DE AULA, JOGAVAM BARALHO, OS INSPETORES FICAVAM NO ORKUT E NO TELEFONE TRATANDO DE ASSUNTOS PARTICULARES, DE FORMA QUE NINGUÉM CONSEGUIA LIGAR PARA A ESCOLA.

Leu-se também QUE A ESCOLA FICOU PRATICAMENTE SEM AULAS DURANTE 3 MESES DURANTE O AFASTAMENTO DA DIRETORA E QUE OS PROFESSORES FAZIAM REUNIÕES DIRETO EM HORÁRIO DE AULA COM A APEOESP PARA DERRUBÁ-LA DEFINITIVAMENTE, AMEAÇANDO OCORRER COISA SÉRIA SE ELA VOLTASSE.

Belíssimo, o depoimento da própria diretora, rebatendo uma a uma todas as calúnias e perguntando: CHAMAR OS PROFESSORES À RESPONSABILIDADE SERIA POR ACASO ASSÉDIO MORAL? Ela declarou que não ameaçava demitir ninguém: DEMITIA MESMO, SE NÃO DEMONSTRASSE PONTUALIDADE, ASSIDUIDADE E COMPROMISSO COM O ALUNO. No final, ela lança uma pergunta que vale um minuto de silêncio:

SE ESSES PROFESSORES FORAM CAPAZES DE AFASTAR UM DIRETOR, DO QUE SERÃO CAPAZES EM SALA DE AULA, COM OS ALUNOS?...

Finalizando, mais uma vez declaramos que nosso interesse não é defender diretor ou profissional do ensino, mas lutar por uma escola boa PARA O ALUNO. Isso passa também pelo apoio aos bons profissionais, os verdadeiros educadores, cada vez mais raros na rede pública, contaminada por gente corrupta em todos os escalões, a ponto de permitir o domínio das escolas por indivíduos sem escrúpulos.

A escola tabu nº 21 - Sábias palavras


Recebemos de um pai de aluno, professor aposentado, uma longa mensagem que ajuda a desmascarar o atual sistema de ensino. Não concordamos com alguns dos seus pontos de vista, pois afirma que o estado "não tem competência para gerir a educação" e por isso defende a privatização. Ao contrário, acreditamos que o que falta é vontade política e um dos motivos é o lobby da escola particular, uma das maiores causas de corrupção do sistema. Mas alguns trechos da mensagem valem por uma radiografia e só poderiam ser escritos por alguém que conhece a rede pública por dentro, como pai de alunos e professor. Parabéns, Augusto, por sua lucidez nas colocações, saiba porém que seu apelo para os supervisores de ensino é infelizmente inútil, pois as diretorias de ensino são LATAS DO LIXO DA EDUCAÇÃO: os supervisores só visitam as escolas para obterem ganhos pessoais e no mais fazem o jogo da escola particular, onde estudam... seus próprios filhos!

Alguns trechos da longa mensagem de Augusto:

Os funcionários públicos obtêm direitos em excesso: licenças para tratamento de saúde em demasia, licenças-prêmio, faltas médicas em excesso e uma série de outros benefícios, que no final das contas quem acaba pagando por isso é o filho do pobre que não dispõe de recursos financeiros para estudar em uma instituição de ensino particular. Os alunos têm ido para a escola, mas quase todos os dias voltam muito cedo para casa em virtude da ausência de professores. Muitos nem voltam para a casa, pois ficam perambulando pelas ruas e expostos a todo tipo de perigo.

Essa questão das licenças é um problema gravíssimo, haja vista o número astronômico de professores em licença para tratamento de saúde (a maioria em virtude da insuportável situação em que se encontram as escolas) e fica difícil saber o que é justo e o que não é, pois há muitos abusos. A catástrofe chega ao ponto de vermos uma mesma hora-aula sendo recebida por três ou quatro professores de forma simultânea (é o substituto do substituto, do substituto...). Dinheiro público indo para o ralo!

A escola hoje vive um clima de final de guerra onde tudo está arrasado, em ruínas. São professores e funcionários descontentes, alunos desmotivados ou violentos, autoridades incompetentes, governo demagogo. É claro que ainda há escolas públicas que conseguem se superar, apesar dessa política assassina, mas essas escolas são cada vez menores e isso ainda acontece graças à competência de diretores e professores que estão se tornando cada vez mais escassos, pois muitos profissionais de boa qualidade estão abandonando a rede pública de ensino, devido aos baixos salários e por não concordarem com essa criminosa política, além das gravíssimas questões estruturais das escolas públicas.

A verdade é que a grande maioria está totalmente contaminada. O governo apresenta números MENTIROSOS a seu favor, obtidos através de fraudes, que não correspondem à realidade. Fala-se muito em recuperações paralelas, quando o governo contrata professores extras para tais recuperações, porém, o que se vê na prática é uma grande tapeação. Essas recuperações, em sua maioria, não funcionam. Os alunos não freqüentam essas aulas. Os professores contratados ficam apenas cumprindo o horário na escola, mas sem alunos. Tenho visto isso na maioria das escolas. São muito raras aquelas escolas que conseguem realmente recuperar um aluno. O que ocorre na grande maioria é que as escolas acabam por fornecer dados capciosos, para não dizer mentirosos, aos sistemas de informatização da Secretaria Estadual de Educação, onde informam que a recuperação foi bem sucedida, apresentando, como sempre, informações completamente fora da realidade. A fiscalização ou supervisão disso tudo praticamente não existe e a mentira acaba sempre prevalecendo.

Também há os livros de leitura (geralmente literatura brasileira), muito bons por sinal, tendo em vista que são grandes clássicos da literatura e que poderiam ser muito bem trabalhados pela escola. Porém o que se vê é um gigantesco vilipêndio dos diretores, dos professores, dos supervisores. Esses livros passam praticamente o ano todo encaixotados, mofando em um cubículo qualquer da escola. Quando há uma reclamação de pais ou mesmo de alunos, resolve-se distribuir esses livros apenas para se livrar do problema. Não há nenhum critério na distribuição desses livros e o que acontece em grande escala é que muitos alunos, logo que recebem esse material, simplesmente jogam no primeiro latão de lixo que aparece pela frente, ou então, por total ignorância (porque o sistema assim favorece) rasgam todo o livro e jogam pelo pátio da escola. Penso que esse material é de grande valia e que deveria fazer parte de um projeto que realmente fosse eficaz, porque as aulas do Projeto Hora da Leitura também são uma piada. Esses projetos ficam apenas no papel e no holerite do professor e do diretor. As escolas não incentivam a leitura, salvo raríssimas (mas raríssimas mesmo) exceções.

Não posso também me calar diante da questão dos computadores instalados nas escolas, que a princípio deveriam fazer parte de um projeto que tornasse as aulas mais atrativas e educativas para os alunos, contudo, o que se vê na maioria das escolas é que os mesmos viraram apenas decoração. As escolas não conseguem (ou não querem) utilizá-los de forma a dar aos estudantes uma alternativa de ensino, para que esses se sintam mais estimulados. As aulas poderiam se tornar bem mais ricas com a Internet, ferramenta muito interessante, se usada de forma útil. Vejo que há muitos programas de capacitação para professores, mas que ficam apenas na propaganda governamental, pois esses professores, salvo raras exceções, pouco se interessam em levar novos conhecimentos às salas de aula. Na verdade, essas capacitações têm servido realmente apenas para que docentes evoluam financeiramente em suas carreiras. Para o aluno, muito pouco é levado.

São diversos problemas estruturais: esse caso dos computadores, salas de leitura que não funcionam adequadamente e há também mais um enorme engodo: a chamada ESCOLA DA FAMÍLIA, que é mais um projeto fantasioso, onde as escolas abrem aos finais de semana para que a comunidade possa interagir, mas o que se constata é que isso também é muito bonito na propaganda; na prática é um fracasso e um absurdo desperdício de dinheiro. Há uma despesa gigantesca com esse projeto. O diretor de escola comemora, pois ele ganha uma remuneração extra com esse projeto, onde o mesmo deve estar presente em todos os finais de semana, porém, só fica mesmo o espírito do diretor porque a sua matéria fica em outro lugar, menos na escola.

Outra questão gravíssima: o calendário escolar é composto de duzentos dias letivos, no entanto, isso é mais uma ilusão, pois quando estamos chegando ao final (geralmente em meados de novembro) algumas escolas e alguns professores, de forma ardilosa, incentivam seus alunos a não mais comparecerem. Mais um belíssimo exemplo de como se tornar um marginal.

Referi-me acima à questão dos excessivos benefícios que são dados a funcionários públicos, consequentemente professores que vêm faltando em demasia. Há uma absurda defasagem no conteúdo programático. Aulas são perdidas em conseqüência dessas excessivas faltas e licenças. A escola acaba ficando refém de professores eventuais que acabam dando aulas de tudo, independente de sua licenciatura (habilitação). Muitas escolas nem conseguem mais colocar tantos eventuais. Uma legião de jovens conclui o ensino médio sem saber ler e escrever corretamente. Há uma política horrenda de distribuição de diplomas, onde dirigentes regionais de ensino, supervisores e diretores de escola passam o ano todo praticando ações criminosas a fim de obter, ao final do ano, um índice satisfatório de promoção de alunos para que se consiga assim um generosíssimo bônus pago pelo governo, em recompensa à falsa taxa de sucesso obtido. Todo mundo ganha com isso: dirigentes, supervisores, diretores, professores, funcionários, governo que se aproveita dessa mentira para jogar futuramente no palanque eleitoral. Só não ganha com isso a educação; só não ganha com isso o aluno analfabeto, mas com diploma; só não ganha com isso a sociedade ignorante. Uma derrota para a honestidade, para a ética, para a probidade; um desserviço para o nosso país.

O governo diz que todas as aulas perdidas serão repostas, mas o que acontece nessas reposições é uma banalização geral: são marcadas aulas de reposição em período diverso daquele em que o aluno estuda e o que se vê é o que eu chamo de JOGO DO FAZ DE CONTA. Os alunos não comparecem a essas aulas, por conseguinte o professor faz de conta que a aula está reposta, o diretor faz de conta que não está vendo, o supervisor muito menos e tudo termina por aí. Isso já vem acontecendo, inclusive com as chamadas reposições de faltas de greve dos professores. O professor que faz greve (e todo ano acontece) tem o prejuízo, mas acaba recuperando depois com essas falsas reposições. As escolas geralmente não incentivam, muito menos exigem dos alunos o comparecimento nas reposições. O professor, claro, comemora. E como fica aquele calendário de duzentos dias? E como fica o conteúdo perdido?

Sei que o salário dos professores é ridículo diante de tantas responsabilidades, mas também sei que hoje em dia qualquer desclassificado pode adentrar a carreira do magistério. Têm muitos maus-caracteres se passando por professor. Tornou-se um emprego muito fácil de obter. Basta fazer uma faculdadezinha de beira de estrada (e têm muitas pelo Brasil afora), pagar mensalmente e o diploma está garantido. Depois é só se inscrever na Diretoria de Ensino e participar das Sessões de Atribuição de Aulas, o que eu costumo chamar de feira livre, pois aulas são tratadas como mercadorias, onde se pega, larga, troca, desiste, pega outra melhor. É um desprezo geral, triste de se ver!

Com relação aos maus-caráteres citados no parágrafo anterior, gostaria de implorar aos diretores e supervisores que ficassem mais atentos, pois muitos estão fingindo que dão aulas ou as ministrando de forma inapropriada. Muitos chegam a se igualar ao mau aluno trocando vocabulários torpes e de baixo calão dentro da sala de aula, condenando os bons a conviver com essa indignidade que jamais vivenciaram no seio familiar. Existem também professores analfabetos ou semi-analfabetos dando aulas, inclusive de Língua Portuguesa; aliás, isso também se verifica em alguns diretores de escola. Assim fica difícil exigirmos qualidade no ensino se muitos profissionais nele inseridos não são do ramo. Também temos alcoólatras, pedófilos, viciados...

Gostaria muito que esses supervisores fossem nas escolas para realmente encarar os problemas de frente, ou como diz o dito popular: “botar o dedo na ferida”. Seria importante que esses supervisores se reunissem com professores e com a comunidade escolar, a fim de estabelecerem um caminho recíproco, ao invés de irem para a escola apenas para tratar de serviçinhos imediatistas e superficiais. Seria muito bom se o supervisor fizesse visitas periódicas às salas de aula, para ver com seus próprios olhos o caos instalado e partilhasse com o professor e com o diretor o desafio a ser vencido para que a bomba não fique apenas na mão do professor, que se vê totalmente desamparado. Seria muito bom se um dia acabasse o corporativismo entre supervisores e diretores de escola. Enfim, seria muito bom se um dia todos fossem profissionais na verdadeira acepção da palavra e não ficassem apenas correndo atrás de um bônus ilusório e tapando o sol com a peneira.

Nessas últimas eleições fiquei chocado em ver a absurda partidarização dentro das escolas. Professores fazendo política, puxando a sardinha para esse ou aquele partido e fazendo a cabeça de nossos alunos de forma tendenciosa. Isso é muito grave, o professor precisa ser imparcial nessas questões, não deixando transparecer a sua preferência e pior, colocando a sua imposição. Não estou dizendo que não se deve falar em política. É claro que deve! É salutar e extremamente necessário, mas a história precisa ser contada como ela realmente é, porém, sem distorções e sem malícia partidária; no entanto, o que eu vi foi uma pregação partidária descarada. Essa é uma prática característica de regimes ditatoriais, onde a verdade é manipulada, como no meu tempo de estudante (auge da ditadura no país), quando a real História do Brasil foi transfigurada. Precisamos nos libertar dessa educação que tivemos de sermos tutelados por figuras populistas que nos escravizam intelectual e eleitoralmente. A lavagem cerebral é, a meu ver, o crime mais hediondo de todos.

Precisamos de um Estado eficiente e capaz de fornecer bons serviços públicos para a população, pois essa é a razão de existir do Estado, e não de um Estado que somente serve de grandiosa genitora oferecendo tetas em demasia para mamíferos nocivos à massa contribuinte.

09 janeiro 2011

Mídia nota zero - A série XVI - Incompetência continuada



Acabei de ler diversas matérias e editoriais sobre "Progressão continuada x Aprovação automática". Todas comprovam a "incompetência continuada" da mídia brasileira a respeito do assunto.

Em respeito aos seguidores deste blog, que aumentam a cada dia e merecem ser informados sobre assuntos que podem fazer a diferença na educação brasileira, sugiro a leitura do post anterior:

São Paulo de secretário novo

Assista também ao vídeo do Mauro Alves da Silva "Curso rápido para candidatos ignorantes":




Finalmente, leia o artigo do sociólogo Mateus Prado com o título


Até que enfim, um sociólogo fazendo comentários inteligentes sobre o assunto!

06 janeiro 2011

São Paulo de secretário novo: boa sorte, alunos!!


Este blog é - com muita honra - um dos poucos meios de comunicação (yes, nóis é mídia, rs!) que há anos alertam para as mazelas da reprovação escolar. São inúmeros os posts que já publicamos sobre o assunto, tanto que fica difícil escolher apenas alguns. Quem tiver interesse no assunto, pode ir consultando os arquivos do blog, desde 2005.

Além disso, meus 3 (três!) filhos foram alfabetizados durante a esplêndida gestão de Paulo Freire/Mário Sérgio Cortella na prefeitura de São Paulo, quando a PROGRESSÃO CONTINUADA foi implantada pela primeira e única vez em terra brasileira. Escrevi progressão continuada em letras garrafais para provocar o novo secretário estadual da educação, que já deu seu primeiro passo em falso, ao declarar que vai mudar o nome do programa. Sim, PROGRAMA!

Como também já cansamos de falar, a Progressão Continuada é um programa que se resume em uma simples equação:

PROGRESSÃO CONTINUADA = AVALIAÇÃO CONTÍNUA + RECUPERAÇÃO CONTÍNUA

Ao declarar que quer mudar o nome do programa porque é rejeitado pela sociedade, o novo secretário aparenta ser mais um político preocupado com a forma e não com o conteúdo, bem dentro da moda ditada pelos marqueteiros...

A progressão continuada tornou-se "aprovação automática" no Estado de São Paulo por nunca ter sido implantada enquanto PROGRAMA. Na verdade, a expressão progressão continuada é que nunca deveria ter sido usada na rede estadual de São Paulo, que conseguiu a extraordinária façanha de estropiar a equação, chegando ao seguinte resultado:

APROVAÇÃO AUTOMÁTICA = AVALIAÇÃO ZERO + RECUPERAÇÃO ZERO

Vamos ver quais serão os próximos passos do novo secretário a esse respeito. Não adianta colocar o carro na frente dos bois, pois a secretaria estadual da educação tem problemas ainda mais sérios do que a qualidade do ensino, como sempre colocamos aqui:

A corrupção na rede de ensino, cujo maior exemplo é a diretoria de ensino de Araraquara.

A questão dos "alunos-fantasmas" e a aula vaga, que solapa aos alunos 30% das aulas devidas.

A evasão e a expulsão de alunos do Ensino Médio, "legitimada" através de Conselhos de Escola manipulados pelos maus diretores.

A expulsão dos bons profissionais da rede, arquitetada pela "banda podre" dos profissionais relapsos e pela APEOESP.

Boa sorte, secretário! Boa sorte, alunos!!!

Um alerta, sr. secretário: V.Sa. declarou que vai fazer reuniões em todas as diretorias de ensino. Cuidado para não cair no papo dos dirigentes! Saiba que as diretorias de ensino são Latas de lixo da educação! Não acredite que os supervisores realmente visitam as escolas para orientar e fiscalizar! Não acredite que os dirigentes se dignam a tirar a bunda da cadeira para visitar qualquer escola e saber o que acontece lá dentro!!!

O único conselho que podemos lhe dar é o seguinte: VISITE AS ESCOLAS à paisana! Faça BLITZE! Pegue um taxi e apareça uma vez por semana em escolas de diretorias diferentes. Se realmente estiver com vontade de mudar alguma coisa, esse é o caminho do diagnóstico.

Ah, secretário, eu ia esquecendo: antes da sua nomeação, no dia 2 de dezembro, estivemos na COGSP e deixamos algumas propostas para a SEE. Quem sabe, V.Sa. tenha algum interesse na opinião dos pais de alunos...