Retrospectiva 2009

Mais um ano de descaso da mídia a respeito do engodo da educação. Enquanto a sociedade brasileira não for informada sobre o que ocorre - de fato - na rede pública de ensino, nada poderá mudar. Tudo parte da opinião pública, e essa é totalmente manipulada pelos sindicatos da classe "docente" e pelos meios de comunicação, que dependem de verbas públicas para garantir o whisky 16 anos dos donos da mídia.

Diferente do ano passado, quando dividimos a retrospectiva em tópicos, este ano vamos relembrar os fatos e depoimentos mais significativos, mês a mês.

Janeiro 2009

Depoimento da professora Fátima Menezes
Aluna perde parte de dedo em escola pública do Rio
Depoimento da professora Karina Biasoli
A escola tabu, a Série 1 - Caso da EE David Eugênio dos Santos
A escola tabu, a Série 2 - Depoimento de um pai de aluno
SEE bloqueia acesso às notas do IDESP em seu site
A escola tabu, a Série 3 - Expulsão de 5 alunas por brincadeira na Internet

Fevereiro 2009

A escola tabu, a Série 4 - Escola expulsa aluno por causa das reclamações da mãe
Como funciona o tribunal de exceção para a expulsão de alunos das escolas
Expulsão ilegal reconfirmada na EE Jardim Iguatemi -Aqui cabe uma nota de louvor ao Prof. José Benedito da COGSP, que se sensibilizou pelo assunto e posteriormente reintegrou os alunos.
SEE não sabe que lei ordinária nem decretos podem se sobrepor à Carta Magna
O descaso da Diretoria de Ensino Sul 1 em São Paulo - Mais uma vez tivemos que apelar para o Prof. José Benedito para "quebrar o galho" de mãe desesperada.
Diretora de escola chama a polícia para assustar pai de aluno esclarecido

Março 2009

Mais uma criança fora da escola em São Paulo - Mais uma vez tendo que apelar para "São Benedito", que fez o milagre...
Depomento da professora mineira Fernanda Rodrigues de Figueiredo - Seu desabafo
A omissão da SEE com respeito ao esquema de corrupção em Araraquara

Abril 2009

Depoimento da professora mineira Fernanda Rodrigues de Figueiredo - Sua vivência na escola
Depoimento de aluna de São Paulo sobre cobranças ilegais nas escolas

Maio 2009

Mídia nota zero - a série - I - Existe jornalismo investigativo na educação?
Imperatriz Dona Amélia em São Paulo - A omissão da SME
Mídia nota zero - a série - II - A Folha de São Paulo dá corda ao diretor canastrão
Mídia nota zero - a série III - Escola dispensa alunas por falta de uniforme e elas se afogam na represa
Mensagem de um aluno de Barra Mansa, RJ
Araraquara: 10 anos de corrupção e uma suspensão de 90 dias...

Junho 2009

Encontro na ALESP com o secretário virtual da SME e com o deputado "bonitinho mas ordinário".
Professora Glória Reis absolvida sem pedido de desculpas
Parabéns ao prefeito Kassab, que publicou os salários dos profissionais da educação
Araraquara: mensagem de um leitor para o Secretário Paulo Renato

Julho 2009

Professora Beth em Cataguazes: dever de casa para cela
A farra das cobranças ilegais nas escolas públicas de São Paulo
Omissão de socorro na EMEF Mal. Deodoro em São Paulo

Agosto 2009

Gripe suína nas escolas de Leopoldina, Minas Gerais
Processo administrativo & tortura
Direção do Colégio Pedro II no Rio quer os pais fora do Conselho Deliberativo

Setembro 2009

Os vídeos chocantes sobre a EE David Eugênio dos Santos
Mais uma diretora autoritária numa escola de São Paulo
Mídia nota zero - a série V - Alunos de uma escola de Minas tiveram que ficar nus em revista
Pai aprende a defender os direitos do filho na escola

Outubro 2009

Depoimento de uma diretora de escola sobre o esquema de Araraquara
Cronograma do esquema de Araraquara
Mídia nota zero - a série VI - Menina de 7 levada à delegacia de polícia
Araraquara - As provas do crime
Diretorias de Ensino - latas de lixo da educação

Novembro 2009

Aluno expulso aprende a defender seu direitos
Nosso partido é o aluno!
Mídia nota zero - a série - VII - Repórter fala que expulsão é solução
Mídia nota dez - Emissora volta atrás
Aluna se assusta com processo administrativo e pede mudança de escola
Mensagem da aluna desistente

Dezembro 2009

Cartilha Como educar meu professor
Formatura da aluna que conseguimos reintegrar após expulsão da escola
Mãe de aluna exige reposição de aulas em Araraquara
68 meses de injustiça na EE Octacílio de Carvalho Lopes

Se você ainda tiver interesse ou disposição, reveja a retrospectiva de 2008:
Muito a lamentar
Algo a comemorar

Comentários

Paulo Henrique de Assis Caparroz disse…
Educação
GABINETE DO SECRETÁRIO
sexta-feira, 25 de dezembro de 2009 Diário Oficial - Poder Executivo - Seção II São Paulo, 119 (240) – 13
com fundamento no Relatório n° 94, de 23 de novembrode 2009, às fls. 213/232, da Coordenadoria de Procedimentos
Disciplinares, bem como no Parecer CJ/SE n° 3562/2009, às
fls. 238/244, da douta Consultoria Jurídica da Pasta, a pena
de suspensão por 90 (noventa) dias, por mitigação à pena
demissória, em face de SÔNIA GOMES CRUZ, R.G. 14.026.821,
Diretor de Escola, classificada na E.E. Prof. Santos Amaro Cruz,
jurisdicionada à Diretoria de Ensino - Região Leste 5, subordinada
à Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana da
Grande São Paulo (COGSP), nos termos do disposto nos artigos
251, inciso II; 252 e 254, caput e § 1°, da Lei n° 10.261/68, por
restarem comprovadas as irregularidades apontadas na Portaria
de Enquadramento Inicial - Processo n° 20/05 - 3ª UP, acostada
às fls. 11/13 destes autos.
(Processo 20/2600/2005 (Apenso Processo 00480/0000/2005).
(Int.: Drª Luciana Rossato Ricci, OAB/SP 243.727).
Luis A Oliveira disse…
Desculpem-me pela caráter apelativo de algumas de minhas palavras, mas estou pasmo com tamanha mentira proferida pela Diretoria de Ensino. Sou pai de aluno, acompanho o caso do “Anjoca”, e assim como todas as pessoas que até eventualmente passam pelo prédio na praça Pedro de Toledo, sei que não está acontecendo reforma alguma. Pode ser que exista um projeto de reforma para este prédio, tão tradicional na arquitetura da cidade, mas as obras não estão ocorrendo. Basta observar a movimentação no prédio: nenhum pedreiro, engenheiro e outros profissionais da área frequentam o prédio. O que estamos esperando: o desabamento de toda a estrutura ou que a comunidade que utiliza dos serviços da Escola esqueça o problema? Sobre as condições do prédio do Jardim Morumbi, por acaso a Diretoria de Ensino não sabe que este prédio não tem sequer bebedouro para as crianças? Ou que há semanas atrás a Unidade de Ensino, por si mesma, teve de providenciar o corte de uma árvore em iminência de cair sobre os alunos? A Diretoria de Ensino também não sabe que este prédio não tem espaço para Biblioteca, espaço fundamental para as séries iniciais? São muitas as dificuldades que a escola enfrenta no prédio do Jardim Morumbi, se estava ruim no centro, receio que tenha piorado. Sugiro que o Dirigente de ensino, supervisores, Prefeito Marcelo Barbieri e demais políticos matriculem seus filhos no Anjoca ou passem uma semana trabalhando nas condições precárias lá no Jardim Morumbi… talvez assim reconheçam que o problema é bem maior do que o informado aos jornais. E diante disso, pergunto-me, por que iniciar obras no prédio do Morumbi, e não reformar a sede do Anjoca para um retorno mais rápido a situação normal de funcionamento? Quais são os interesses obscuros da Diretoria de Ensino e autoridades políticas de Araraquara para prolongarem tanto essa situação lamentável? Para obtermos as respostas… só no próximo capítulo da novela!

Luis A Oliveira
Rita Motta Ópice de Mattos disse…
Rita Motta Ópice de Mattos
Diretores de dezoito escolas estaduais de Araraquara foram acusados de desviar os recursos recebidos pelas APMs e justificados os gastos com Notas Fiscais Frias de centenas de Estabelecimentos Comerciais de Araraquara para favorecer uma suposta cúpula de diretores, dirigentes, funcionários e supervisores mafiosos que comercializavam as verbas recebidas nas escolas e na diretoria de ensino. A denúncia foi feita ao Ministério Público e à Secretaria de Estado de Educação, através de sua ouvidoria.

Os denunciantes, a diretora da escola Estadual Franncisco de Monteiro Silva, atualmente aposentada, sua vice diretora Silvana de Paula Corbi e outros, afirmam que foram impedidos de representar contra a dirigente na época dos fatos em “2005″, por causa d aLei que impedia funcionários públicos estaduais fazerem denuncias – “LEI DA MORDAÇA”. “Um dos vendodeores de notas fiscais nessas escolas é a Senhora Marilena – proprietária do escritório de contabilidade atlas”, afirmam, referindo-se aos comerciantes que alguns não sabiam que seus talões eram comercializados. Esta proibição partia da dirigente de ensino da época.
O Ministério Público, através do promotor de justiça , determinou a instauração de inquérito policial para apurar os fatos, pois a denúncia caracteriza crime de corrupção.

Segundo os denunciantes, eles tentam há mais de 04 anos estender a averiguação para apurar eventual participação e responsabilidades aos supervisores de ensino, “mas a SEE-SP, não acata os requerimentos desde 2005. Temos informações que eles receberam brindes dos diretores de escola como relógios, jóias e DVDs, para permitirem a continuidade das fraudes e irregularidades.
Todos os diretores, dirigentes e supervisores negam as acusações. A dirigente atual da dirietoria de ensino de Araraquara, afirma que os denunciantes ou a denunciante são mentirosos e falsários e que ela nunca entrou irregularidades nas escolas de Araraquara, porque atuava como supervisora de ensino da escola que mais apresentou notas fiscais frias em seus relatórios d eprestação de contas à FDE. Mas tanto a diretora da escola Solange de Souza Brito e a dirigente Maria Santana confirmam serem alvo de calunias e difamação. E os alunos e pais como vêem este procedimento que para muitos diretores e supervores são comuns e a SEE-SP?.

Os outros diretores que nem foram averiguados pela FDE negam a participação no esquema, e ainda exigem dos denunciantes provas contra eles. Como? Se já desapareceram com todas as provas??? Os diretores informam que os denunciantes serão processados e terão que provar em juízo tudo o que falaram.

Os comerciantes alvos das denúncias, Rodrigo Fernando Magrini, Luz Teixeira Filho e outros negam qualquer ter prestado serviços ou vendido qualquer tipo de material às escolas de Araraquara.
Rita Motta Ópice de Mattos
Alberto Santos Cunha disse…
DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA E A CORRUPÇÃO
O desvio e a má gestão dos recursos repassados para as escolas públicas brasileiras e em especial as jrisdicionadas a DE de Araraquara - SP têm gerado efeitos colaterais danosos para alunos e professores, além de prejudicar diretamente o potencial de crescimento econômico do País.

A conclusão é de um estudo desenvolvido por economistas da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), Universidade de Berkeley (EUA) e do Banco Mundial.

Cláudio Ferraz, Frederico Finan e Diana Moreira analisaram o resultado da auditoria dos gastos de 365 municípios feita pela Controladoria Geral da União (CGU), entre 2001 e 2004. Depois, cruzaram esses dados com o resultado obtido na Prova Brasil pelos alunos da 4ª série (5º ano) do ensino fundamental das 1.488 escolas públicas existentes nos municípios analisados.

A Prova Brasil é uma avaliação do Ministério da Educação (MEC) que mede o desempenho em língua portuguesa e matemática de alunos da 4ª e da 8ª séries (5º e 9º anos) de escolas públicas.

Os pesquisadores perceberam que a nota dos alunos que estudavam nos municípios onde houve mau uso ou desvio de recursos foi menor do que a dos estudantes das outras localidades. A diferença foi, em média, de 15 pontos - a nota vai de 0 a 500.

O estudo também mostrou que não há relação direta entre grandes quantias de dinheiro repassadas pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) - atual Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) - aos municípios e a excelência no ensino. O valor do Fundef era calculado segundo o número de alunos matriculados na rede.

“Se você tem muita corrupção e o dinheiro é mal gasto, isso explica, em parte, porque gastar muito não está associado com a melhora do desempenho em provas internacionais”, diz Cláudio Ferraz, professor assistente do Departamento de Economia da PUC-Rio e um dos autores do estudo, citando a classificação dos alunos brasileiros no Pisa, um exame internacional. Em 2006, o Brasil ficou em 54º lugar entre os 57 países avaliados em matemática e em 49º entre 56 países na avaliação sobre capacidade de leitura.
Alberto Santos Cunha
Oscar Corvelone Miranda disse…
Fuzilamento de corruptos
Uma vez ouvi de uma pessoa a respeito de honestidade, quando ela observava certa quantia de dinheiro em uma mesa, que “a ocasião, faz o ladrão”, já que o dinheiro estava a li à vista e não havia ninguém por perto. Se observarmos corretamente, o Brasil é rico, tem tudo, ladrão pequeno, médio e de grande porte. Vejam vocês que a impunidade no País causa repetição de escândalos, licitações fraudulentas, envolvendo o mensalão, propina e não deverá ser afetada pela denúncia de um esquema de aliados. Nem mesmo os vídeos que foram divulgados neste final de 2009 afetarão, nem causarão constrangimento a deputados e senadores, nem resultados de investigações dos esquemas de desvio dos recursos públicos fariam a cúpula desistir. Quantas CPIS foram abertas este ano? Quantas tiveram sucesso? Quantas foram encerradas? Quantas das CPIS o povo tomou conhecimento? Quanto dinheiro devido foi devolvido aos cofres públicos? As alianças se tornam sólidas quando se trata de corrupto investigando corrupto, cada um tem sua bala na agulha, sem distinção nenhuma chega próximo ao ventilador, custa-me acreditar que a ocupação na Câmara do Distrito Copenhague Federal (DF) não teve manipulação com endereço certo. Ao ver jovens inteligentes deixandose levar por grupos partidários, que nada mais querem que manipular e desviar a atenção da população. Caro leitor (a), a revolta silenciosa de todos nós ao observar “gente” que morre em soterramentos, de fome, de sede, em filas, em corredores de hospitais. Santas Casas são fechadas por falta de recursos, o governo aumentando impostos, taxando tudo que consumimos, e não se consegue uma brecha que os olhos da lei estão em cima, mas lá na cúpula sobra dinheiro. Quando ouvimos o presidente dizer que não tem como melhorar a vida dos mais necessitados porque a renda não suporta, você leitor (a) acredita? Creio que sobra, “a ocasião, faz o ladrão”. Resta-nos ficarmos felizes na semana do Natal ao ver a população carente na Câmara Legislativa do Distrito Federal recebendo cada um seu panetone. O governo chinês fuzila funcionários públicos corruptos e manda a conta das balas gastas no fuzilamento para a família pagar. Já pensaram se adotasse isso no Brasil?
"E se adotasse isso na SEE-SP - para punir os corruptos da diretoria de ensino de Araraquara?"
Oscar Corvelone Miranda
Colaboradora:
Irene Candeu
cidadeararaq@hotmail.com


Giulia disse…
Oscar, nem tanto ao céu, nem tanto à terra... Bastaria acionar a corregedoria da educação, que aliás não é mais uma brincadeira do amigo Mauro Alves da Silva, ela foi realmente instituída!!! Vamos mexer os pauzinhos?

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola