26 dezembro 2009

Nossos votos para 2010




Entre as inúmeras mensagens de boas festas que recebemos, uma nos tocou profundamente, por ser de um amigo muito querido, grande batalhador pela Justiça e pela Verdade que deveriam nortear nosso sistema educacional, infelizmente nas mãos de pessoas preocupadas principalmente com seus interesses pessoais ou partidários.

Antonio, seus desejos são muito diferentes dos que temos recebido!...
Você é uma das pessoas especiais que sentem o que falam e praticam o que pregam. Por isto fizemos de sua mensagem a nossa. E a música que escolhemos para acompanhá-la traduz nosso desejo de paz para você e sua família, que merece recuperar toda a alegria perdida em anos de luta.

Um grande 2010 para você, a Solange e todos os seus familiares.
Que seus desejos se cumpram!

Ao expressar qualquer desejo de um feliz Natal,
que ele reflita nossas Ações.

Que nos encontremos não só na alegria que se sente

ao sair das lojas com presentes para as pessoas que tanto
amamos, mas também na vida triste da criança abandonada
nas ruas, sem esperança, solitária, na qual muitas vezes
esbarramos apressadamente.

Que encontremos Jesus no momento em que pegarmos
nas mãozinhas delicadas dos nossos filhos, netos, irmãos, amigos
e desconhecidos, lembrando-nos sempre dos tantos que só têm a
solidão como companheira.

Que o encontremos na feição do idoso,
lembrando-nos daqueles que tanto deram de si a alguém e
hoje são esquecidos pela sociedade.

Que o encontremos na lembrança suave e sempre viva
daquelas pessoas queridas que já não estão mais ao nosso
lado, lembrando-nos também daqueles que já nem se
recordam mais quem foram, enfraquecidos pelo
vazio de suas vidas.

Que encontremos Jesus na bênção de nossa mesa
farta e no aconchego de nossas famílias, lembrando-nos
sempre daqueles que mal alimentam-se do pão e
sequer um lar têm.

Que o encontremos não apenas nos presentes que trocamos,
mas principalmente na vida que ELE nos deu como presente.

Lembremo-nos, então, de agradecer por sermos privilegiados
em meio a um mundo tão contraditório,
injusto e desumano!

Então festejemos... festejemos o ano que se vai não
apenas como dias que se passaram e
sim como mais um trecho percorrido na estrada das
nossas vidas!

Festejemos a alegria que nos extasiou e a dor que nos
fez crescer!

Festejemos o bem que fomos capazes de fazer e
o mal que fomos capazes de superar!

Festejemos o prazer de cada conquista e
o aprendizado de cada derrota!

Festejemos por estar aqui!

Festejemos a esperança no ano que se inicia, no
amanhã!

Festejemos a vida, a justiça, o amor e a
esperança!

Rendidos a este grande Amor e com os braços e
o coração aberto para receber
os sonhos e expectativas do ano novo 2010.

Rodopiemos... joguemos fora o medo, que possamos sentir o
imenso valor da vida!...

Sonhemos, busquemos, esperemos... amemos e reamemos!

Vamos deixar nossa alma livre, leve, solta, que ela
voe alto...muito alto para pegar carona com os fogos
coloridos.

Mentalizemos nossos desejos mais íntimos e
acreditemos: eles também chegarão aos Céus.
Irão se misturar às estrelas, irão penetrar no
Universo, no Cosmos, na Energia que rege a Vida
e voltarão cheios de Força para tornarem-se reais.

Basta querermos de verdade, ter fé e nunca,
NUNCA desistir deles!

E que o novo ano seja, então, plenificado de
bênçãos e realizações.


Antonio Monteiro
Araraquara

25 dezembro 2009

Retrospectiva 2009

Mais um ano de descaso da mídia a respeito do engodo da educação. Enquanto a sociedade brasileira não for informada sobre o que ocorre - de fato - na rede pública de ensino, nada poderá mudar. Tudo parte da opinião pública, e essa é totalmente manipulada pelos sindicatos da classe "docente" e pelos meios de comunicação, que dependem de verbas públicas para garantir o whisky 16 anos dos donos da mídia.

Diferente do ano passado, quando dividimos a retrospectiva em tópicos, este ano vamos relembrar os fatos e depoimentos mais significativos, mês a mês.

Janeiro 2009

Depoimento da professora Fátima Menezes
Aluna perde parte de dedo em escola pública do Rio
Depoimento da professora Karina Biasoli
A escola tabu, a Série 1 - Caso da EE David Eugênio dos Santos
A escola tabu, a Série 2 - Depoimento de um pai de aluno
SEE bloqueia acesso às notas do IDESP em seu site
A escola tabu, a Série 3 - Expulsão de 5 alunas por brincadeira na Internet

Fevereiro 2009

A escola tabu, a Série 4 - Escola expulsa aluno por causa das reclamações da mãe
Como funciona o tribunal de exceção para a expulsão de alunos das escolas
Expulsão ilegal reconfirmada na EE Jardim Iguatemi -Aqui cabe uma nota de louvor ao Prof. José Benedito da COGSP, que se sensibilizou pelo assunto e posteriormente reintegrou os alunos.
SEE não sabe que lei ordinária nem decretos podem se sobrepor à Carta Magna
O descaso da Diretoria de Ensino Sul 1 em São Paulo - Mais uma vez tivemos que apelar para o Prof. José Benedito para "quebrar o galho" de mãe desesperada.
Diretora de escola chama a polícia para assustar pai de aluno esclarecido

Março 2009

Mais uma criança fora da escola em São Paulo - Mais uma vez tendo que apelar para "São Benedito", que fez o milagre...
Depomento da professora mineira Fernanda Rodrigues de Figueiredo - Seu desabafo
A omissão da SEE com respeito ao esquema de corrupção em Araraquara

Abril 2009

Depoimento da professora mineira Fernanda Rodrigues de Figueiredo - Sua vivência na escola
Depoimento de aluna de São Paulo sobre cobranças ilegais nas escolas

Maio 2009

Mídia nota zero - a série - I - Existe jornalismo investigativo na educação?
Imperatriz Dona Amélia em São Paulo - A omissão da SME
Mídia nota zero - a série - II - A Folha de São Paulo dá corda ao diretor canastrão
Mídia nota zero - a série III - Escola dispensa alunas por falta de uniforme e elas se afogam na represa
Mensagem de um aluno de Barra Mansa, RJ
Araraquara: 10 anos de corrupção e uma suspensão de 90 dias...

Junho 2009

Encontro na ALESP com o secretário virtual da SME e com o deputado "bonitinho mas ordinário".
Professora Glória Reis absolvida sem pedido de desculpas
Parabéns ao prefeito Kassab, que publicou os salários dos profissionais da educação
Araraquara: mensagem de um leitor para o Secretário Paulo Renato

Julho 2009

Professora Beth em Cataguazes: dever de casa para cela
A farra das cobranças ilegais nas escolas públicas de São Paulo
Omissão de socorro na EMEF Mal. Deodoro em São Paulo

Agosto 2009

Gripe suína nas escolas de Leopoldina, Minas Gerais
Processo administrativo & tortura
Direção do Colégio Pedro II no Rio quer os pais fora do Conselho Deliberativo

Setembro 2009

Os vídeos chocantes sobre a EE David Eugênio dos Santos
Mais uma diretora autoritária numa escola de São Paulo
Mídia nota zero - a série V - Alunos de uma escola de Minas tiveram que ficar nus em revista
Pai aprende a defender os direitos do filho na escola

Outubro 2009

Depoimento de uma diretora de escola sobre o esquema de Araraquara
Cronograma do esquema de Araraquara
Mídia nota zero - a série VI - Menina de 7 levada à delegacia de polícia
Araraquara - As provas do crime
Diretorias de Ensino - latas de lixo da educação

Novembro 2009

Aluno expulso aprende a defender seu direitos
Nosso partido é o aluno!
Mídia nota zero - a série - VII - Repórter fala que expulsão é solução
Mídia nota dez - Emissora volta atrás
Aluna se assusta com processo administrativo e pede mudança de escola
Mensagem da aluna desistente

Dezembro 2009

Cartilha Como educar meu professor
Formatura da aluna que conseguimos reintegrar após expulsão da escola
Mãe de aluna exige reposição de aulas em Araraquara
68 meses de injustiça na EE Octacílio de Carvalho Lopes

Se você ainda tiver interesse ou disposição, reveja a retrospectiva de 2008:
Muito a lamentar
Algo a comemorar

23 dezembro 2009

Um tempo de esperança


Recebi da amiga Helena Vasconcelos, professora de artes, a imagem dessa obra de Lucas Silva, aluno do Segundo Ano do Ensino Médio de uma escola pública de Riachão de Jacuípe, interior da Bahia.

Esta imagem, que simboliza os talentos desperdiçados do Brasil, pode também representar a esperança de tempos melhores, em que a sociedade brasileira desperte para o princípio de igualdade de condições na educação, a única ferramenta que poderá garantir a construção de uma Nação forte e solidária.

Feliz Natal para todos!

19 dezembro 2009

68 meses de injustiça


Esta imagem tão "bonitinha" representa a podridão do sistema educacional. Ela foi criada pelo amigo Mauro Alves da Silva há quase seis anos, para ilustrar um caso CLÁSSICO de violência da escola contra alunos da rede pública. Algo que nunca ficaria impune na rede particular.
Na EE Octacílio de Carvalho Lopes, em São Paulo, um professor incita seus alunos ao bullying contra um colega e o chama de "bicha" em plena sala de aula. O aluno apanha dos colegas, é xingado pelo professor e os pais resolvem denunciar. Caso raríssimo, já que os pais da rede pública dificilmente têm condições de transferir o filho para a rede particular e, na pública, ele vai ser perseguido até abandonar os estudos, seja qual for a escola para onde for transferido. Isso mesmo! Só se ele mudasse de cidade, pois as escolas de uma mesma diretoria de ensino se comunicam entre si e ficam de olho nos alunos considerados problema, que são chamados de "laranjas podres" (expressão em uso de norte a sul do país, entre outros apelidos "carinhosos", como por exemplo a palavra bicha, usada no caso em questão).

Esse exemplo foi escolhido entre mil outros porque teve repercussão na mídia - CASO TAMBÉM RARÍSSIMO, já que a mídia é dominada pelos sindicatos da classe "docente" e coloca panos quentes em todo tipo de denúncia de aluno contra professor ou diretor de escola. O aluno é sempre o culpado, o profissional do ensino costuma ser um mártir aos olhos de todo o Brasil...
Assim, esse caso da EE Octacílio virou o símbolo da mais absurda conivência da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo com o autoritarismo, a incompetência e a atuação criminosa de certos profissionais da "educação".

Veja o que saiu no Jornal da Tarde de 24.03.05: É normal chamar aluno de bicha, diz Secretaria. A matéria se refere a uma famosa "apuração preliminar", farsa que costuma ser armada pela Secretaria da Educação quando recebe alguma denúncia de alunos contra os profissionais da rede. Já cansamos de falar sobre essas palhaçadas, "investigações" que quando viram processo administrativo tornam-se ainda mais ridículas. No caso da EE Octacílio, a conclusão a que chegou a Diretoria de Ensino Leste, responsável pela escola, foi de que tratou-se de "uma brincadeira para cativar o aluno de 14 anos, já que a comunicação com os adolescentes exige uma linguagem mais acessível ao seu mundo, a fim de manter um relacionamento próximo e amistoso com eles..." E o relatório da Diretoria de Ensino Leste foi aprovado pelo Departamento Jurídico da Secretaria da Educação!

IMAGINE SE FOSSE O CONTRÁRIO: O ALUNO CHAMANDO O PROFESSOR DE BICHA! Qual o advogado que conseguiria redigir uma defesa tão "bem estruturada"? rsrs

Bem, mesmo tendo sido exposto na mídia, o caso não só acabou em pizza, como o professor foi promovido a coordenador pedagógico em outra escola! Isso, por ser cabo eleitoral, como aliás muito professor e, principalmente, muito sindicalista.

Dizer mais o quê?...

16 dezembro 2009

Mensagem de um professor


Sou professor da rede pública estadual de ensino e vim demonstrar minha revolta e indignação com tudo o que acontece na educação em Araraquara e região. É angustiante como tudo acontece. Só quem convive o dia-a-dia nas escolas sente no espírito, na carne. a canalhice existente no funcionamento da maioria das escolas de Araraquara.

O clientelismo político que eu determino de politicagem sebosa prevalece nas relações internas do convívio diário e no trato dos recursos destinado ao funcionamento das nossas escolas. A CRISE QUE ASSOLA A EDUCAÇÃO PAULISTA CHAMA-SE CORRUPÇÃO e das grandes, daquelas que podemos determinar como MÁFIA EDUCACIONAL. Existe uma máfia agindo em toda a diretoria regional de ensino de Araraquara para desviar os recursos destinados à educação e quando não são desviados são utilizados de forma incompetente e irresponsável. Uma síntese do que acontece na educação de Araraquara hoje: cada escola tem um deputado ou um político influente da cidade determinando o funcionamento da mesma,começando pela diretoria regional de ensino. A antiga dirigente manda, comanda e ordena mesmo fora da diretoria de ensino, ela ordena a atual dirigente designar diretores de escola, funcionários, desviou por 10 anos e continua desviando recursos da própria diretoria de ensino e das escolas. Ela criou funcionários fantasmas, forma diretores de escola relapsos, com objetivo de se servir deles no desvio de verbas publicas destinadas a educação de maneira vil, descaradamente na frente de todos, sem medo de punição. Diretores de escola, vice e professores coordenadores são escolhidos com o único critério de ter sido um fiel cabo eleitoral nas campanhas. Os conchaves com comerciantes na troca de notas fiscais frias é uma constante. Micro empresas são criadas para prestar serviços nas escolas numa troca de favores nunca vista. A ex-dirigente e muitos diretores de escola conchavados transformam a vida de qualquer um que ameace o esquema de dinheiro fácil, palavra dela: a escola é um tesouro inesgotável, mas se houver ameaça prepare-se para viver o inferno de Dante. Começam as perseguições, baixarias, torturas, retaliações, difamações, desmoralizações, expulsões. Vale tudo para não
ser desmantelada a torneira aberta do dinheiro público nos bolsos desses corruptos.

Esta foi o pior dirigente de ensino para a educação paulista de Araraquara e região desde a década de setenta, somos testemunhas disso, confirmamos tudo o que já está para apurar e o que ainda virá. A sujeira rola dentro dos bastidores. Enquanto a ex-dirigente e esses seus comparsas, ou seja, diretores de escola que estão atuando dentro das escolas de Araraquara e região, bem como políticos corruptos que os apóiam, não deixarem as escolas em paz, viveremos este caos, esta humilhação pela qual passam todos que trabalham honestamente dentro do setor educacional.

Relatos informais do que acontece no meio escolar fazem qualquer cristão tremer na sua fé. Diretores que entram sem nada e saem de carro zerinho todo mundo comenta. Certa vez um diretor cheio de orgulho disse: Eu só aceitaria retornar como diretor da escola estadual Prof. Victor Lacorte se me dessem mais cinco escolas para colocar meus amigos como diretores. Não me deram, fiquei na assessoria de um certo deputado estadual, aquilo é dor de cabeça, barganha como se a educação fosse uma coisa qualquer. Dizem que alguns têm apartamentos em Araraquara somente adquiridos com o dinheiro de escolas. Há funcionários de cargos simples com chácaras, casa na praia, carros do ano pra si e para os filhos. Ser dirigente de ensino, supervisor de ensino, diretor de escola, neste governo virou ser mercenário, escapam poucos. O pior de tudo é que todos sabem e ninguém, ninguém mesmo toma uma atitude para mudar este quadro e eles, os corruptos, sabem disso aproveitam até UM DIA A CASA CAIR. Lançaremos nessa imensidão podre dentro da educação estadual paulista uma cartilha com o título EDUCAR PARA A ÉTICA – CARTILHA DE COMBATE A CORRUPÇÃO NAS ESCOLAS PUBLICAS – que tenta fazer um chamamento às pessoas de bem que restam na educação para travar uma luta desigual contra essa corrupção desenfreada que toma de conta das escolas do Estado de São Paulo, em especial Araraquara.

O objetivo desta carta é fazer acordar os que ainda dormem em berço esplendido achando que o problema da corrupção em Araraquara não é problema deles, e também parabenizar os que antes de mim denunciaram e foram amordaçados pelas mãos da injustiça, e mesmo assim demonstraram coragem, garra e amor pela justiça e verdade. Denunciamos o que aflige e que cheira mal na educação do estado de São Paulo e especificamente da diretoria de ensino de Araraquara, denunciamos para que todos ouçam e façam o que deve ser feito, cobramos atitudes sérias no seu empenho nas apurações do maior esquema de desvio de recursos públicos da Educação do Estado de São Paulo como também mostrar nossa indignação e luta neste contexto.

Flavio Lima

10 dezembro 2009

É assim que se faz!


Recebemos mensagem de mais uma mãe que soube defender os direitos da filha, vítima da inércia e do descaso do sistema educacional, principalmente em Araraquara, a "ponta do iceberg" da corrupção em todo o Estado. Senhores pais, leiam abaixo o documento que ela encaminhou ao Conselho Tutelar e ao Ministério Público e o usem como exemplo!

A FALTA DE AULAS E A AULA VAGA CONSTITUEM OFERTA IRREGULAR DO ENSINO, CONTRARIANDO O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE:

ART. 54 - É dever do Estado assegurar à criança e ao adolescente:

VII - atendimento no ensino fundamental, através de programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde.
§ 1° - O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público subjetivo.
§ 2° - O não-oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público ou sua oferta irregular importa responsabilidade da autoridade competente.

Parabéns, Josélia, essa é a atitude que todos os pais deveriam tomar para garantir o direito de seus filhos a um ensino de qualidade. Aliás, como falar em qualidade, se a escola nem garante o mínimo - as aulas?

Bastariam dez mães ou pais como você em cada escola para promover uma revolução no ensino. Esse é o papel dos pais: não o de ficar fazendo a lição de casa para os filhos, como muitos pensam, mas de o de cobrar uma escola no mínimo decente. Como está claro na mensagem da Josélia, mais uma vez a escola culpa... os alunos pela falta de aulas! Senhores pais, cuidado para não cair na conversa dos maus profissionais da educação, que responsabilizam os alunos por suas próprias falhas, preguiça e incompetência.

Boa sorte, Josélia, continue informando novidades!


Araraquara-SP, 3 de novembro de 2009

Para Conselho Tutelar e Ministério Público

Ao cumprimentá-los, venho por meio deste documento solicitar providências quanto ao cumprimento da Lei 9394/1996 a respeito do direito à educação, particularmente no que se refere à efetivação dos 200 (duzentos) dias letivos.

Sou mãe da adolescente, G. R. W. N. F., (15 aos), estudante da 8ª série do Ensino Fundamental da Escola Estadual Bento de Abreu de Araraquara. Em função da gripe suína as aulas foram suspensas, o que considerei uma medida prudente. Solicitei o novo calendário da escola. De fato foram reprogramados os dias destinados a reposição, no entanto as aulas não estão acontecendo. Entrei em contato com a Coordenação Pedagógica que me informou que não estava havendo aula por causa da ausência dos estudantes. Perguntei que medida a escola estava tomando para assegurar o cumprimento dos dias letivos, tive apenas respostas vagas.

No dia 30/10/2009 houve reunião com pais e mães na escola. Estranhei porque nenhuma palavra a respeito disso foi colocada na reunião. Neste mesmo dia, procurei o diretor da escola e expliquei que minha filha não estava mais querendo ir à escola aos sábados de reposição de aulas, pois estas não estavam acontecendo. Ele me falou que os docentes comparecem, mas que os alunos e alunas é que não vão. Informei a ele que no próximo sábado letivo, dia 31/10/2009 estaria acompanhando minha filha à escola, que não podia falar por ninguém, mas que estaria lá para garantir o direito da minha filha. Neste sábado, dia 31/10/2009 às 13 horas eu estava na Escola Estadual Bento de Abreu. Encontramos apenas uma faxineira na entrada. Nos dirigimos para a sala de aula. Após meia hora, como não aparecia professor fui até a direção saber o que estava acontecendo. Eram 13 horas e 40 minutos. Fui informada que a professora já havia ido embora. A responsável entrou em contato com ela que retornou e ministrou as duas aulas, após as outras duas aulas anteriores. Se for necessário, irei todos os sábados a esta escola para fazer valer o direito da G. Mas penso que medidas precisam ser tomadas a respeito. Diante disso, solicito providências no sentido de assegurar o direito da minha filha à educação com o efetivo cumprimento dos dias letivos.

Atenciosamente,
Josélia Gomes Neves

06 dezembro 2009

Quem salva uma criança salva a humanidade


Não sei qual a autoria da frase do título, quem repete sempre isso é o amigo Mauro. Diante das dificuldades do nosso trabalho, que é totalmente voluntário e muito ingrato, já que conseguimos apenas "migalhas", é sempre uma grande satisfação quando recebemos mensagens positivas. Lembram da aluna de São João da Boa Vista, acusada de ter colocado fogo na lixeira da classe? Ela foi expulsa pelo Conselho de Escola e arrastada para um tribunal, mas foi finalmente inocentada pelo juiz, que desmascarou os colegas e a diretora da escola, que incentivou a difamação. Acabamos de receber uma mensagem da irmã, informando sua formatura. Parabéns, Francieli! Estamos felizes com o seu progresso e esperamos tê-la conosco no futuro, como advogada que defende os direitos dos alunos.


Giulia, dia 16 de dezembro é a formatura da minha irmã. Graças à sua orientação tivemos como lidar com a ditadura da diretora e conselho de escola, e ela pôde voltar às aulas inocentada e de cabeça erguida. Seu trabalho e os do que se dedicam como você nos dá alento quando estamos nas mãos de profissionais tão despreparados para educar nossas crianças e jovens. Deus abençõe essa luta que é de todos que precisam de uma educação de qualidade e respeito por parte desses profissionais.

Eduque seu professor!


O EducaFórum divulga a cartilha Como educar meu professor, de nosso amigo Mauro Alves da Silva, o maior conhecedor de legislação educacional em todo o país. Veja a justificativa do Mauro na elaboração da cartilha, que contém 10 lições:

Uma educação pública de boa qualidade exige professores bem educados. Já que os governantes e os políticos, nem as faculdades, não educam nosso professores, os alunos, as mães, os pais e a comunidade devem assumir o compromisso público de educar nossos professores.

DIGAM AO SEU PROFESSOR:

1) Escola não é segunda casa e nem segunda família.

2) Professor não é “amigo do aluno”… professor não é 2º pai do aluno… professor não é 2ª mãe do aluno!!!

3) Professor e professora são profissionais pagos com o dinheiro de todos… professor é pago com o nosso dinheiro…

4) Professor não é santo abnegado. Aqui em SP, o piso salarial é de R$ 1.500,00 para uma jornada de 40 horas semanais…

5) Professor não é coitadinho. Muito político tem parente vendendo aulas em escolas públicas. Mas é raro encontrar um deputado que tenha filho, neto ou sobrinho estudando em escola pública. Estes políticos votam projetos pensando única e exclusivamente no bem-estar dos seus parentes professores e diretores de escola… Os alunos que se danem.

6) Professor deve ser avaliado diariamente. Exija frequência diária. Exija que ele preste todo o tipo de esclarecimento. Cobre-lhe participação em todas as atividades da comunidade escolar.

7) Exija que seu professor o chame pelo nome. Professor que não sabe o nome do aluno não tem condições de educá-lo.

8 ) Criança e adolescentes são prioridades absolutas. Escola só deve existir se for para garantir o direito do aluno à educação de boa qualidade. Professor não é prioridade absoluta!

9) Professor, funcionário e direção escolar devem respeitar alunos, mães pais e comunidade. O respeito é um dever, não uma opção.

10) Toda obrigação deve estar diretamente relacionada a uma punição quando houver omissão. Professor responde pelos abusos e omissões em conformidade com o Estatuto do Magistério e até mesmo com o Código Penal. Professor que não ensina deve ser denunciado. Não devemos “passar a mão na cabeça” de maus profissionais.

05 dezembro 2009

Blog da Edilva Bandeira


A professora Edilva Bandeira é das poucas pessoas, no Brasil, que falam de educação não apenas de forma teórica, mas a partir da vivência em sala de aula. Parece óbvio que os profissionais da educação deveriam discutir educação a partir de sua prática, mas no Brasil não é assim.

A maioria daqueles que determinam a política educacional do país e que estão encastelados, dependurados, nas secretaria da educação de todo o Brasil, nunca pisaram numa sala de aula - ou então conhecem apenas a realidade da rede particular, esse feudo que garante a manutenção das distâncias sociais no país.

Para esses profissionais, o aluno costuma ser apenas um número, quando não um empecilho ao seu comodismo, já que eles vêem a educação apenas como emprego, no pior sentido da palavra. Sim, pois o emprego não é apenas uma forma de buscar o sustento, pode ser a ferramenta que promove mudanças positivas na sociedade e no mundo. Infelizmente, no Brasil, a educação é reduto dos sindicatos da classe, numa inversão de valores absurda. Em vez de os sindicatos promoverem a categoria e o ensino, eles estão a serviço da estagnação, promovendo o nivelamento por baixo. A prova disso está na resistência ao princípio da meritocracia e na insistência em exigir a manutenção do "direito à falta" do professor, esse escândalo de proporções internacionais que provoca é a AULA VAGA, fenômeno em que o Brasil é campeão mundial, solapando ao aluno de 20 a 40% do ano letivo, nas piores escolas.

E que os pais ou alunos não se atrevam a reclamar de absolutamente nada! Isso causa represálias e perseguições que culminam em processos administrativos, instâncias em que esses pais e alunos são definitivamente "triturados" até retirarem suas queixas.

É por isso que ficamos sempre muito felizes quando recebemos o contato de algum profissional da educação que trata com respeito o aluno e seus pais, coisa muito rara na rede pública. A professora Edilva Bandeira acompanha nosso trabalho há alguns anos e mantém um blog que vale muito a pena conhecer e apreciar. Parabéns, Edilva, continue trazendo informações interessantes e fazendo diferença na educação brasileira!