Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Visita à Secretaria da Educação

Estivemos ontem na COGSP: o Tertuliano, do Fórum da Criança e do Adolescente de Marsilac, a Caroline do Pais Online e eu. Entregamos ao José Benedito o documento abaixo, ele se comprometeu a checar todos os itens e a agendar nova reunião dentro de 20 dias para dar as respostas solicitadas e a solução dos problemas. Detalhe: o documento é dirigido ao secretário Paulo Renato, mas não o protocolamos no gabinete da SEE, que é um "buraco negro". Preferimos deixá-lo com o José Benedito e pedir para que o entregue em mãos ao Secretário. Vamos ver...
E d u c a F ó r u m – http://educaforum.blogspot.com/

São Paulo, 30 de junho de 2010

Prof. Paulo Renato de Souza
Secretário de Estado da Educação

Cópias para
Sr. Governador José Serra
Chefe de Gabinete da SEE – Prof. Fernando Padula
Coordenador da COGSP – Prof. José Benedito de Oliveira
Coordenador da CEI – Prof. Rubens Mandetta

Ref.: Autoritarismo na rede estadual de ensino

Prezado Secretário,

A partir de junho 2008, ou seja, há 2 anos, iniciamos …

Informação de utilidade pública Pais Online

O semestre já está acabando e você perdeu a conta das aulas vagas que o seu filho teve. Prepare-se, pois no segundo semestre a situação vai piorar: as eleições vêm aí e muito profissional do ensino vai faltar para colaborar com a campanha do partido ao qual pertence. Mentira?...

O Pais Online criou um formulário que permite aos pais contabilizarem as aulas vagas de seus filhos. Use-o e cobre providências da escola, da diretoria de ensino, da secretaria da educação. Seu filho tem o direito de ter diariamente todas as aulas - e nada de reposição "meia boca" (filminho quebra-galho, pelada na quadra...).

Pegue o formulário clicando aqui e entenda que a aula vaga é o segundo maior problema da escola pública brasileira. Nesse quesito, aliás, o Brasil é campeão mundial.

A escola que deseduca VIII - Educar ou punir?

Recebemos do professor Fernando uma mensagem, por sinal muito educada (obrigada, Fernando!), questionando certo tendencionismo do blog no sentido de "culpar o professor e o sistema por tudo o que há de errado na educação", isentando o aluno, a família e a sociedade de suas responsabilidades. A mensagem do Fernando você encontra copiada nos comentários.

O Fernando aborda a questão do ECA, legislação que seria "a mais frouxa do mundo" com respeito aos "atos infracionais" dos menores.

Fico sempre assustada com esse tipo de argumento, pois não acredito em punir, mas em educar. Punir uma criança ou adolescente é, sim, necessário, quando todos os possíveis recursos já foram esgotados. Punir o adulto é SEMPRE necessário, pois entende-se que ele já tem maturidade suficiente para entender a gravidade do ato que cometeu.

Falar em "ato infracional" quando se trata de crianças e adolescentes é uma moda que pegou no Brasil há algumas décadas, desde que iniciou …

A escola tabu nº 12 - Os sociopatas da "educação"

Continuamos a receber comentários - muitos deles impublicáveis - falando que a violência nas escolas é devida à falta de educação dos alunos, que "vem de casa". Não adiantou mostrarmos aqui professor atirando apagador ou livro em aluno, amordaçando-o ou dando reguada em sua cabeça, xingando de retardado, songamonga ou ameba. O profissional da educação é sempre a "vítima"... A postura dos visitantes deste blog é a mesma da sociedade e da mídia brasileira, sempre apoiando os que têm "pudê", no caso, os ricos sindicatos da "educação", com suas poderosas agências de comunicação e mídia. Temos certeza de que, se tais fatos fossem punidos, o número de agressões, físicas e morais, que os alunos da rede pública recebem por parte de profissionais da educação diminuiria bastante.

Lembram da professora que convidou a classe inteira a repetir várias vezes: "Essa mãe tem que morrer!"? Infelizmente o fato não foi gravado e a professora - lógico - neg…

A escola que deseduca VII - Aluno amordaçado

Mais uma notícia que você não vai ver no Fantástico:

FOLHA.COM16/06 Professora amarra e amordaça aluno no Distrito Federal
A Polícia Militar do Distrito Federal autuou uma professora por maus tratos, constrangimento ilegal e por expor um aluno à situação vexatória, no início da tarde desta quarta-feira.
Segundo a PM, uma professora da escola Jardim Botânico amarrou uma criança na cadeira e colou a boca com fita adesiva para que ela não atrapalhasse a aula.
Outra professora viu a cena e chamou a direção da escola e o conselho tutelar. A polícia não informou o nome e idade dos envolvidos.



Alguém se atreve a comentar?...

A escola que deseduca VI - A laranja podre

Outro dia vimos o caso da menina de 10 anos que foi chamada de "retardada" pela professora, numa escola estadual no bairro de Itaquera, São Paulo. Hoje o Estadão publica a notícia de uma aluna de 15 anos que foi chamada de "songamonga" por um professor, também numa escola estadual, desta vez em Sorocaba, SP.

A rede estadual de São Paulo é campeã na deseducação de alunos, de forma descarada: a Secretaria assina documentos do tipo "é normal um professor chamar o aluno de bicha" e dá seu aval para castigos como o "do elástico", além de estimular a delação entre os alunos promovendo suspensões coletivas "até se descobrir os culpados" de qualquer ato de indisciplina ocorrido na escola.

Todos esses assuntos já foram exaustivamente tratados aqui, bem como inúmeros outros, alguns de extrema gravidade, como por exemplo a expulsão de alunos ou o esquema de desvio de verbas do ensino na região de Araraquara. É portanto difícil, muito difícil afirma…

Bullying na revista Nova Escola

Em reportagem de capa, a revista Nova Escola aborda o bullying e mostra que combater essa violência passa pela escola.

Pela primeira vez na mídia, o bullying é tratado de forma correta, ou seja, não como um tipo de "perversão" da criança e do adolescente, provocado pela falta de educação no seio da família. O enfoque da revista é mais voltado para o Cyber bullying, mas a abordagem é ampla.

Quem tem filhos na rede pública de ensino sabe que, na escola, qualquer tipo de agressão física ou verbal entre alunos costuma resultar em gritaria, repressão, suspensão e muitas vezes expulsão de algum deles. Não se busca qualquer meio pedagógico, o fato é sumariamente "solucionado" tirando-se da frente o agressor. Simples assim!

Parabéns à Nova Escola por ter reconhecido que a escola precisa tratar o bullying de forma pedagógica. Leia a matéria clicando aqui. Mesmo assim, a Nova Escola não recebe nossa avaliação "Mídia nota dez", pois não basta abordar as agressões entre…

What a wonderful world!

Eu não estaria nesta luta se não acreditasse que o Brasil possa se tornar uma grande nação. Mas não sou tão ingênua de acreditar que ainda verei essa mudança acontecer. Ela está nas mãos das novas gerações, sempre mais sábias do que a nossa, quando lhes permitem a liberdade de expressão.

Já comentei aqui o filme Pro dia nascer feliz. Comentei também a fala de uma professora no blog da Rosely Sayão dizendo que faz questão de dar aula ao mesmo tempo numa escola de elite e na rede pública, pelo prazer de trabalhar em dois mundos tão diferentes.

Dois mundos diferentes. Isto é Brasil.

O amigo Mauro, do Coep, colocou no Youtube uma cena desse filme que me faz acreditar no futuro. É uma discussão entre alunos de uma escola de elite sobre a realidade do país. Me pergunto em qual roda de adultos o assunto seria tratado com tanta lucidez e honestidade.



Só me resta esperar que esses adolescentes não deixem de discutir essa realidade, que não se entreguem ao comodismo e se atrevam a sair da "bol…

Suspensão de alunos: mãe é quem sabe das coisas!

Cansamos de falar do absurdo da suspensão de alunos, mas os argumentos legais não convencem, em um estado que é o campeão em suspensão e expulsão. Vejam os posts anteriores aqui:

Novamente a suspensão
Suspensão coletiva
A quem serve a suspensão de alunos?Em compensação, a jornalista Vanessa Cabral, mãe de alunos de escola pública, matou a charada! Com sensibilidade e bom senso, mostra que suspensão e expulsão são medidas antipedagógicas. Senhores educadores, agora pegou?

Leia o blog da Vanessa clicando aqui.

Lavagem cerebral

Gosto de comentários impublicáveis, pois eles mostram a falta de educação de quem os escreve, quase sempre profissionais da "educação". Costumo deletá-los para não tornar o blog "pesado", mas eles me provam a importância do nosso trabalho aqui.

Um deles, cheio de impropérios, foi comentar o post A escola que deseduca e fez um questionamento que preciso comentar. O "anônimo" de plantão (eles nunca assinam seus palavrões) coloca que EU MESMA estou xingando os alunos, ao chamá-los de "massa de manobra". Ora, vocês ouviram a professora perguntar para os alunos se ela havia chamado alguém de "retardada"! Qual foi a resposta da classe?... NÃÃÃÃO! (O que vocês acham que classe iria responder?...) É assim que começa a manipulação de cérebros infantis!
Outro caso que ocorreu com uma vizinha minha: ela foi se queixar de uma professora junto à direção da escola e no dia seguinte a professora fez um discurso para toda a classe. Ela pretendeu e cons…

A escola tabu nº 11 - Novamente a suspensão

A suspensão é uma das práticas mais antigas da escola, aqui e em todos os países. Por que, então, inseri-la na série "A escola tabu"?

Porque, na rede pública brasileira, ela costuma ser utilizada de forma especialmente perversa, em situações que só os próprios pais e alunos conhecem. Já vimos, em post anterior, a suspensão coletiva a favor da delação entre alunos e hoje vamos ver ela a favor... do esvaziamento da escola.
Sabemos que a rede pública de ensino é um imenso cabide de empregos com pouco ou nenhum compromisso com o aluno. Escola boa, para os sindicatos que manipulam o sistema, é escola vazia: classes cada vez menores, aulas cada vez menos frequentes, avaliação zero. Vejam a mensagem recebida de um aluno:

Oi, estudo na Escola Deputado José Storópoli e queria saber se é correto o diretor da escola dar suspensão coletiva por uma parte da sala ter faltado em véspera de feriado. Olha a situação: fomos segunda-feira e vários professores não foram dar aula, ficamos com aula …

A escola que deseduca V - A diretora mentirosa

Quando se fala de um engenheiro ou um médico que provocam algum acidente ou crime, a notícia é amplamente divulgada na mídia, pois a sociedade se preocupa em evitar casos futuros. No entanto, quando o crime é cometido por algum profissional do ensino, a opinião pública varia entre a incredulidade e a apatia. O caso que trouxemos outro dia, por exemplo, foi comentado com descaso e ironia, já que - afinal - a criança levou "apenas" dois pontos na cabeça devido ao ferimento causado por esse esporte tradicional praticado nas escolas públicas: o "lançamento do apagador".

Outro caso, na minha opinião até mais grave, também passou batido: assista o vídeo abaixo, relatando a situação de uma aluna de 10 anos que foi chamada de "retardada" pela professora.



Não que eu ache mais grave um insulto do que uma agressão física, embora possa às vezes deixar marcas mais profundas. Mas não é disso que se trata, aqui.

A extrema gravidade desse fato está no seguinte:

A própria mãe…

A escola que deseduca IV – Estimular a caguetagem

Alguns visitantes alegam que estamos promovendo uma “cruzada” contra a escola. Nada disso: nosso objetivo é alertar a sociedade e a mídia sobre a hipocrisia da classe “docente” brasileira, quando sustenta que “a educação vem de casa”. Bem que gostaríamos de afirmar que a má qualidade do ensino é o maior problema da educação brasileira... Infelizmente não é!

Leiam a mensagem que recebemos de um pai de aluno, mais uma que mostra a incompetência pedagógica da escola. Preservamos a identidade desse pai, pois sabemos que seu filho passaria a ser perseguido imediatamente após a publicação desta postagem.

Bom dia.
Estive procurando na internet sobre o assunto de suspensão coletiva de alunos e encontrei este espaço. Tenho um filho com 14 anos, que atualmente está cursando o 1º ano do ensino médio.
Na semana passada, a sala toda foi suspensa, dividindo-se a classe da seguinte forma: 2 dias as meninas e os outros 2 dias os meninos.
A razão da suspensão foi que alguém atirou uma caneta na professora …