Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2007

2ª Vitória do ano!

Este ano começou bem! Janeiro ainda não acabou e tivemos nossa segunda vitória do ano. (Leiam sobre a primeira no post de 03/01.)

Acabamos de receber a seguinte mensagem de Marcel Guazzelli, o aluno do ProUni de que falamos no post de 22/01:

Venho por meio deste e-mail agradecer-lhes ter despendido uma parte do seu tempo em me ajudar. Muito poucas pessoas no mundo fazem isso por outra pessoa, muito menos por quem nem ao menos conhecem. Ontem, 29 de janeiro, fui desvinculado da faculdade que me emperrava e já é certeza que vou começar a estudar na Braz Cubas. Não tenho palavras para descrever quão grande foi seu gesto em acolher meu pedido e quão agradecido estou por ter me ajudado. Agradeço a toda equipe do seu blog. Muitíssimo obrigado mesmo!Marcel, você quer nos fazer chorar!!! Saiba que somos uma turma de comadres choronas (mas também pentelhas...). Nós é que agradecemos a sua coragem de ir à luta contra a tremenda bur(r)ocracia destepaizzz, onde a mão direita não sabe o que a esque…

Cidade sem prefeito

Confira mais uma genial sacada do nosso amigo Mauro Alves da Silva, copiada do blog da Cremilda. Seria legal saber quanto os ghost writers desses "nossos" políticos recebem pelos textos ridículos que nos impingem e a mídia publica... Afinal, isso também sai do nosso bolso, né não?
Preste bem atenção ao comentário sobre a preferência do ex-Secretário de Planejamento do governo Celso Pitta, hoje "Prefeito sem-voto", pelas construtoras: foi naquela época que nasceram as famosas escolas de lata. Já ouviu falar?...
Até quando seremos um país sem memória?
Ah! Quase ia esquecendo: esse "Prefeito sem-voto" recebeu uma verba do Governo Federal para o programa ProJovem (supletivo do Ensino Fundamental) e desviou para onde mesmo?... Veja nosso post de 18/01.

O desconhecido prefeito de São Paulo desfila toda sua ignorância educacional no artigo "São Paulo, 453: educação é o presente" (Folha de São Paulo, 25/01/2007).

Ao afirmar que "São Paulo nasceu há 453…

"Bendito" uniforme!

Como todo início de ano, vem uma enxurrada de e-mails de pais e mães de alunos perguntando se é justo que a escola exija o uso do uniforme. Este é um assunto que não agüüüüento mais tratar. Infelizmente vivemos numa sociedade onde o traje é quase tudo! Nós, os seres mais inteligentes deste planeta, nós que não precisamos mais de pêlo para nos aquecer, nós que inventamos o ar condicionado para refrescar nossos cérebros, não conseguimos imaginar nada mais importante do que o traje! Nas reuniões de Conselho de Escola nenhum assunto é mais debatido do que o uniforme. E isso cansa minha beleza, pois eu não agüüüënto mais falar sobre isto. Então, de uma vez por todas, senhores diretores de escola de todo o Brasil, entrem na linha! Vejam o que diz a Lei 3.913/83, do maior Estado do Brasil:

Artigo 1. Aos estabelecimentos oficiais de ensino do Estado fica proibido:
V – Instituir o uso obrigatório do uniforme

Ponto. Ponto final!! Será que todo ano a gente tem que repetir sempre esta lenga-lenga? S…

ProUni: mais uma!

Não há dúvida de que, se um aluno pudesse ingressar numa universidade pública ou pagar uma boa universidade particular, não apelaria para o ProUni. Muitos alunos fazem das tripas coração para poderem aproveitar essa oportunidade e às vezes são vítimas do descaso e da burocracia. Vejam o caso relatado na carta abaixo, enviada hoje ao ProUni. Esperamos que este ano o aluno possa finalmente ingressar na faculdade.

Quanto à "mania" que temos de publicar cartinhas aqui neste blog, conformem-se:
ESTE É UM BLOG CHATO!
Nosso trabalho é assim: mostrar exemplos e modelos para que os pais e alunos aprendam a usar os argumentos adequados a cada situação. Não queremos ser "babá" de ninguém e temos o maior prazer quando percebemos que nossos leitores conseguem aprender a reivindicar seus direitos, a reconhecer e citar os instrumentos legais que protegem seus interesses. Em geral, o primeiro pedido de ajuda que recebemos de alguém é confuso, seja pelo desespero, seja pela dificuld…

Se...

Se os professores deste país
tivessem a responsabilidade
de um puxador de samba,
de um mestre de bateria
ou de uma comissão de frente,
sem dúvida,
este país escreveria um outro
enredo para a sua educação.

Glória Reis
(Intertexto - Texto original do autor Hélio Aroeira)

Em boas mãos

Finalmente o assunto que envolve as sérias denúncias sobre o programa ProJovem, desenvolvido na EMEF Prefeito Adhemar de Barros, no Campo Limpo, São Paulo, está em boas mãos. Nossa amiga Cida Gomes, do Movimento Ideamos, encaminhou as denúncias à Promotora da Inclusão Social, Dra. Fernanda Leão de Almeida, que já atuou com muita firmeza na defesa de alunos da rede pública, como pode ser consultado na própria Internet.

A promotora Fernanda é FERA! Os alunos da rede pública de ensino precisam de pessoas assim, que possam garantir a obtenção de seus direitos e defendê-los das sórdidas ameaças e represálias que visam colocar panos quentes nos desmandos do sistema. Fazemos votos que a promotora investigue a fundo os motivos do sucateamento do programa, já que aparentemente as verbas foram repassadas do Governo Federal para a Prefeitura de São Paulo e desviadas para outros fins. Independentemente disso, pedimos que ela interfira nas ameaças que os alunos estão recebendo por estarem reivindi…

A situação se agravou!

Se você não acredita no ditado "nada é tão ruim que não possa ficar pior", leia o novo documento que estamos enviando hoje para as autoridades responsáveis pelo programa ProJovem. Além de os alunos terem o seu direito violado de completar o Ensino Fundamental com qualidade, estão sofrendo ameaças e represálias da CORPORAÇÃO, que manda, desmanda e abusa na educação deste pobre País. Todas as entidades em defesa da Escola Pública de São Paulo estão enviando um documento à Comissão Nacional de Direitos Humanos e ao Ministério da Justiça, relatando esses abusos.

E d u c a F ó r u m
Pais, alunos, educadores e cidadãos que lutam pela escola pública e pela cidadania

São Paulo, 18 de janeiro de 2007

Secretaria Geral da
Presidência da República
At. Sra. Maria José Vieira Feres
Coordenadora do programa
ProJovem

Cópia para o
Sr. Fernando Haddad
Ministro da Educação

Ref.: Nosso documento de 14/01 /
Agravamento dos problemas na implantação do programa ProJovem em São Paulo

Prezadas Autoridades,

Em adit…

O Brasil não conhece o Brasil

Sempre que falamos de Ameaças, Perseguições, Represálias e Intimidação de alunos na rede pública, nos acusam de atirar lama no "pobre professor". Já dissemos e repetimos: nosso objetivo é apoiar o professor, inclusive mostrando para os bons profissionais os absurdos que acontecem na rede pública, onde seus próprios filhos não estudam. O Brasil não conhece o Brasil e a divisão das classes é tão bem definida que fatos reais parecem ficção para quem não está envolvido neles. Não acreditamos em soluções dentro da ignorância, por isso nosso papel não é apenas denunciar, mas principalmente informar.

Hoje vamos relatar o desdobramento grave e perverso da denúncia dos alunos do ProJovem, que divulgamos em nosso post Férias, nós?!, de 14/01. Quando os alunos nos contataram, os instruímos a se unirem na defesa de seus direitos, pois sabíamos que a corporação tentaria intimidá-los e usar o velho truque de lançar uns contra os outros.

Pois é, ao entrarem hoje na sala de aula, os alunos r…

SER PROFESSOR, a função

Do comentário da Santa:
..."a escola no Brasil se transformou em um mix de coisas, um faz tudo, desde a parte da atividade física, da sexualidade, da saúde, da nutricional, do meio ambiente, da família, da política, da cidadania, além da aprendizagem, para qual existe. Reclama-se do professor e com razão, pois é impossível ser competente em tantas áreas distintas. Ser professor, psicólogo, assistente social, pai, etc... Daí muitas vezes professores desmotivados pelo despreparo, e o nível de exigência implica tb em salário compatível. "



Santa, quando ouço opiniões como essa sempre me vem em mente uma cena do "Meu pé de Laranja Lima" ou do "Cazuza" (não sei bem) em que o professor faz todos os alunos mostrarem as mãos pra ver se estavam com as unhas cortadas e limpas... Esses alunos tinham pais e família...
Por aí podemos ver que EDUCAR num sentido amplo sempre foi função dos professores!

Com a ditadura ficou mais fácil transforma-los em técnicos que repassam m…

Férias, nós?...

Ao contrário dos professores e demais profissionais da educação, nós, que não ganhamos $ (mas temos inúmeras satisfações por este trabalho) não temos férias: estamos sempre de plantão (mesmo em Fernando de Noronha, hehe) para auxiliar os pais e alunos que nos procuram. Hoje, um belo domingo de sol aqui em Sampa, foi a vez de um grupo de alunos do ProJovem, programa federal supletivo para alunos de 18 a 24 anos que queiram completar o Ensino Fundamental, com orientação profissionalizante. Tivemos dificuldades para obter informações mais concretas, pois o programa não consta do site do MEC. Trata-se de uma iniciativa da própria Secretaria Geral da Presidência da República, à qual endereçamos a mensagem aqui transcrita, na esperança de que os alunos sejam finalmente atendidos, pois também não estão de férias: o curso deveria ter iniciado em fevereiro, mas começou em maio de 06 e deverá terminar também em maio deste ano. Boa sorte para os alunos, vítimas do descaso e da indiferença govern…

Abaixo o cacoete!

Nosso objetivo aqui é promover o professor! É isso mesmo, não adianta esse risinho amarelo... Tanto é que sempre trazemos depoimentos de professores de alto nível, verdadeiros educadores. Se esses mestres costumam criticar a própria corporação, o que podemos fazer? Será que eles não estão certos?... Segue abaixo a carta enviada pela Professora Glória Reis, de Leopoldina, ao Jornal Estado de Minas, escrita após ler o artigo de um "catedrático" dizendo que o Fundeb não vai mudar nada porque não vai atingir o essencial, que é melhorar o salário dos professores. A única ressalva ao texto da Glória é a questão do "afeto" na relação professor-aluno. Afeto não nasce do nada, salvo da mente delirante do ex-Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Gabriel Chalita, do qual esperamos estar livres para sempre. O professor não precisa ter afeto pelo aluno: basta respeito, já será de bom tamanho!

Sobre o artigo "Fundeb salvador?" do Padre Geraldo Magela Teixeira (…

Música para os ouvidos

Que raridade, um texto tão oportuno e sensato! Para vocês, mais um artigo do professor Luiz Carlos de Menezes, que copiei da seção Pense Nisso, da revista Nova Escola.

Ao valorizar escolas que conseguem promover a boa Educação, ouço depoimentos sobre algumas tão mal qualificadas que sua recuperação faria pouco sentido, pois talvez só se salvasse o prédio - para outro uso. Deixando extremos à parte, há escolas melhores e piores e saber o que as distingue é essencial para aperfeiçoar as redes. Escolas privadas têm custos e benefícios comparados por pais de alunos que conferem o serviço que oferecem. Escolas públicas não estão em regime de mercado, mas é preciso uma contínua verificação da qualidade, que é um direito universal.

Dizem que a nós, brasileiros, falta cultura de avaliação, mas nos envolvemos o tempo todo em julgamentos de campeonatos esportivos, desfiles de escolas de samba, desempenho da economia... Com critérios práticos, estéticos ou éticos, analisamos e contratamos ou disp…

A mesma lenga-lenga de sempre

Não posso ler essa lenga lenga de professorazinhas sem me revoltar!

Folha de São Paulo, seção "Cartas dos leitores", 12/01/2007)
Educação "Os professores da rede estadual de São Paulo estão submetidos a um verdadeiro massacre. Recebem um salário aviltante, não têm condição de trabalho e sua rotina é insalubre. Lecionam em salas com 50 alunos adolescentes e têm apenas giz e lousa como instrumentos. Xerox de textos? Imagens? São pagos do próprio bolso. Tempo para se reciclar? Nenhum.Nesse cotidiano violento, "adoecedor" e frustrante, falar em "motivar o aluno", em "aulas interessantes" e em "disciplinas estanques" soa mais como piada.
Os bons alunos, que não são poucos, estão sendo desperdiçados. Os bons profissionais, que são muitos, estão abandonando o magistério por questão de sanidade."
FABIANA LOPES, professora (São Paulo, SP)"


Alguns números pra professora Fabiana parar de usar estereótipos pra justificar as aulas mal da…

Professora que ensina a fumar! Pode?

Está nos comentários do "A vez da Folha" mas acho que merece um post sobre isso:
David diz: "Meu filho, que 'passou' para a oitva série me conta que ele experimentou cigarro, que eu, fumante, o proibo (ele tem apenas 13 anos) COM A PROFESSORA. Eu estou sem saber o que fazer. Minha vontade é de ir a escola e dar-lhe a devida porrada, mas sou educado demais para isso.Pode?"
Não pode não! (e não vai aqui nenhuma histeria antitabagista porque também sou fumante!)
Outro dia perguntaram num comentário porque agora se chama professor de "educador" (eles odeiam isso!). Não pensem que é uma questão de nomenclatura só : é para que eles percebam que não estão lá só para vomitar matéria e aplicar provas mas para educar um ser humano em formação!
Enquanto esse ficha não cair nada vai mudar, enquanto professor não criar consciência de sua responsabilidade na formação de cidadãos e não se julgar somente repetidor de disciplinas a escola vai continuar sem ética, imo…

A vez da Folha

Me cutucaram para falar da matéria “Escola não motiva e perde alunos”, publicada na Folha de São Paulo de 07/01. Eu não ia comentar, pois já fiquei irritada com o título. O jornalista Antonio Góis, que respeito, certamente não escolheu a manchete (sei muito bem como funciona isso) e sua matéria deve ter sido toda retalhada e retocada como manda o “figurino”. Isso resultou num texto morno e amorfo que não dá nem de longe a dimensão do estrago. Vou refazer a manchete: Escola desmotiva e exclui alunos. Um título como esse ia agitar as Secretarias de Educação e os demais órgãos de ensino. Batalhões de supervisores e assessores ficariam preocupados com o uso da palavra “exclusão”, que poderia ser usada para responsabilizá-los. As palavras proibidas na rede pública de ensino são Exclusão, Expulsão, Perseguição, Represália, Intimidação e Constrangimento. São proibidas porque constituem crime. E a mídia também não se atreve a mencioná-las para... não perder o freguês! O dia que algum órgão de…

Que blog chato!

Este é um blog chato! Não somos nós que afirmamos isto, hehe. Mas concordamos com alguns leitores que procuram diversão, agito, variedades. Esses já podem assistir ao BBB, ou promover o BBE, como sugeriu nosso amigo Mauro. Mas esse seria ainda mais chato, hehe.

Para não perdermos o hábito da chatice, lá vai nossa resposta ao relatório recebido da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo sobre o aluno do Campo Limpo que havia ficado sem rematrícula. Não queremos entrar em polêmicas com a Secretaria, pois nosso objetivo é manter as portas abertas para ajudar os demais pais e alunos que nos procuram, portanto damos como encerrado este caso específico, mantendo porém nossos questionamentos com respeito ao assunto “tabu” expulsão de alunos.

À
Secretaria de Estado da Educação
Cópias para a GOGSP e DE Sul 1

Agradecemos o excelente tratamento dado à mãe do aluno Lucas, Sra. Genilda, em sua segunda visita à DE Sul 1.

Independentemente da solução dada à questão da rematrícula do aluno (assunto …

Estadão: seja mais ÃO!

No dia 24/12 publiquei o blog Dá pra ser mais JT?
Hoje estou questionando o Estadão, ilustre genitor do JT. Vão pensar que é discriminação contra o grupo Estado. É não: com a Folha nem tem papo!

O editorial A volta do “participacionismo”, publicado em 04/01, bate feio no projeto do deputado Enio Tatto que propõe a eleição dos diretores de escola pela comunidade. Como se tudo se reduzisse a uma questão partidária! Não é não: nada a favor da família Tatto ou da politicalha petista. Mas a questão da eleição dos diretores pela comunidade é um dos fatores que poderiam tirar a educação do marasmo. Quero falar da minha experiência pessoal como mãe de alunos da rede pública, na época em que me atrevi a matriculá-los numa escola municipal de São Paulo, em 1990, quando o secretário da educação era Paulo Freire. Paulo Freire, senhor editor do Estadão!, um mestre conhecido e respeitado em muitos países de “primeiro mundo”, menos nesta terra de ninguém onde qualquer um dá palpites em educação, sem o…

Primeira vitória do ano!

Impressionante e louvável a educação com que foi tratada hoje a mãe do aluno Lucas, Genilda da Silva Cané, pelo Dirigente de Ensino Sul 1, Hermany de Souza Roberto. O aluno teve sua rematrícula negada na EE Presidente Kennedy, no Campo Limpo, São Paulo. Leia o histórico em nossos posts Campanha contra a ojeriza e Dois tipos de vergonha, ambos de 20/12, Diretoria de Ensino apóia expulsão, de 19/12 e Mais uma expulsão, de 16/12. Tivemos que gastar muito “latim” para mostrar a inconstitucionalidade da expulsão de um aluno da escola, ainda mais um aluno trabalhador.

O dirigente pediu desculpas à mãe pela forma autoritária com que foi tratada na escola e na Diretoria de Ensino, garantindo que ele próprio providenciou a rematrícula do aluno com data de ontem, 02/01.

É uma vitória? É. Mas é triste que se tenha tanto trabalho para conseguir algo tão óbvio: um tratamento educado dentro de uma...instituição de ensino. Trata-se, na verdade, de mais uma vitória da Internet. Pela primeira vez em mui…

Feeelizzz Doismileseteee!

Em agradecimento pelas visitas e participação, escolhemos esta imagem para presentear vocês. Esperamos que gostem.

Gestão participativa

Leia, na página de textos, nosso artigo
Gestão participativa na escola: a exclusão da comunidade, publicado no livro Educação 2007, da Editora Humana, www.humanaeditorial.com.br

O texto conta com a colaboração dos nossos parceiros PaisOnline, Comunidade de Olho na Escola Pública, Grupo de Trabalho para o Fechamento da Febem, Glória Reis e Cremilda.

O artigo é fruto das nossas experiências de pais de alunos de escolas públicas e oferece soluções simples e eficazes, que dependem porém de...vontade política.

Àqueles que acham "um absurdo" os pais quererem participar da gestão da escola, damos três respostas:

Essa é a solução mais sensata para retirar a educação do marasmo em que se encontra, pois os pais são os maiores interessados na formação de seus filhos.Se os professores e diretores de escola tivessem seus filhos na rede pública, eles também seriam "pais gestores", não é? E, certamente, a escola seria muito melhor gerida. Portanto, um dos maiores problema da rede púb…